Abrir menu principal
Text document with red question mark.svg
Este artigo ou secção contém fontes no fim do texto, mas que não são citadas no corpo do artigo, o que compromete a confiabilidade das informações (desde outubro de 2013). Ajude a melhorar este artigo inserindo fontes.
Anatólio Falé
Informação geral
Nome completo Anatólio dos Reis Falé
Nascimento 7 de Julho de 1913
Local de nascimento Lagos
Portugal Portugal
Morte 22 de julho de 1980 (67 anos)
Local de morte Lagos
Género(s) Música folclórica
Ocupação(ões) Compositor, professor e músico
Instrumento(s) Acordeão e Violino
Gravadora(s) Biblioteca Nacional de Portugal
Sociedade Portuguesa de Autores
Afiliação(ões) José Lopo da Veiga

Anatólio dos Reis Falé, mais conhecido por Anatólio Falé (Lagos, 7 de Julho de 1913 - Lagos, 22 de Julho de 1980), foi um professor, músico e compositor português.

Placa de homenagem a Anatólio Falé, no exterior da casa onde nasceu, em Lagos.

BiografiaEditar

Nascimento e formaçãoEditar

Anatólio dos Reis Falé nasceu na cidade de Lagos em 7 de Julho de 1913, filho de Luís dos Reis Falé e de Maria da Conceição Falé. Frequentou as escolas primária e Industrial em Lagos. Iniciou a sua educação musical aos oito anos de idade.

Carreira artística e profissionalEditar

Tornou-se um músico profissional aos dezassete anos, como exímio acordeonista e violista. Radicado em Lisboa durante alguns anos, estendeu a sua actividade musical ao Cinema, Teatro e Rádio, onde se popularizou.

Participou com grande sucesso em diversas orquestras e compôs dezenas de trabalhos inéditos registados na Biblioteca Nacional de Portugal e na Sociedade Portuguesa de Autores, para além de editoras nacionais e estrangeiras. Musicou igualmente letras de canções dos mais variados poetas. Muito ligado à sua terra natal, criou músicas ligeiras para letras de vários conterrâneos, incluindo as músicas do filme Algarve em Flor, de Fernando Ponte e Sousa, que compôs em conjunto com José Lobo da Veiga. Também compôs várias composições musicais, gravadas em disco e em filmes, para editoras nacionais e estrangeiras.

Regressou a Lagos no final dos anos 40, onde continuou a sua actividade de compositor, e exerceu como professor de Educação Musical.

Também ocupou as posições de director no Instituto Mozart e no Clube Artístico Lacobrigense, presidente no Grémio Recreativo Lacobrigense e na Sociedade Filarmónica Lacobrigense 1º de Maio, e foi fundador e presidente de uma Escola de Música por correspondência, com milhares de alunos em Portugal e outros países.

É autor de obras reconhecidas internacionalmente pelo seu elevado valor pedagógico, entre elas:

  • Método de Solfejo (8 volumes)
  • Método de Acordeão (20 volumes)
  • Curso de Viola Moderna (3 volumes)

FalecimentoEditar

Anatólio dos Reis Falé faleceu em Lagos, no dia 22 de Julho de 1980.

HomenagensEditar

A Câmara Municipal de Lagos deu o nome de Anatólio Falé a uma rua da cidade[1] e colocou uma placa de homenagem, assinalando as datas do seu nascimento e da sua morte, na fachada do prédio onde nasceu e viveu as últimas dezenas de anos da sua existência. A Academia de Música de Lagos promove anualmente o Concurso de Música Anatólio Falé, dirigido a alunos matriculados em Conservatórios e Escolas de Música certificadas pelo Ministério da Educação.

Referências

  1. «Freguesia de São Sebastião» (PDF). Câmara Municipal de Lagos. Consultado em 9 de Dezembro de 2018. Arquivado do original (PDF) em 23 de Setembro de 2015 

BibliografiaEditar

  • FERRO, Silvestre Marchão (2002). Vultos na Toponímia de Lagos. Lagos: Câmara Municipal de Lagos. 358 páginas. ISBN 972-8773-00-5 
  • MARREIROS, Maria Maria (2000). Quem foi Quem. 200 Algarvios do Século XX. Lisboa: Colibri 


  Este artigo sobre músico é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.