Abrir menu principal
André Dreyfus
Conhecido(a) por ajudou a fundar as bases da Biologia brasileira
Nascimento 5 de julho de 1897
Pelotas, Rio Grande do Sul, Brasil
Morte 16 de fevereiro de 1952 (54 anos)
São Paulo, Brasil
Residência Brasil
Nacionalidade brasileiro
Alma mater Faculdade de Medicina do Rio de Janeiro
Instituições
Campo(s) Biologia e genética

André Dreyfus (Pelotas, 5 de julho de 1897São Paulo, 16 de fevereiro de 1952) foi um médico e biólogo brasileiro. Dreyfus é considerado um dos fundadores da genética no Brasil.

Índice

BiografiaEditar

André Dreyfus nasceu em Pelotas, no Rio Grande do Sul, em 1897. Seus pais, franceses, viajaram para o Brasil fugindo da Guerra Franco-Prussiana, em 1870. [1][2]

Vida acadêmicaEditar

Em 1922, André Dreyfus mudou-se com sua família para o Rio de Janeiro, onde começou seus estudos de medicina na Faculdade de Medicina. Transferiu-se para São Paulo em 1927, assumindo o cargo de assistente na Faculdade de Medicina.[1][2][3]

Dreyfus foi um dos membros do grupo que criou a Universidade de São Paulo, tornando-se mais tarde diretor da Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras (FFCL) de 1943 a 1947. Como diretor da FFCL conseguiu a contratação de professores estrangeiros e recursos para os departamentos da faculdade.[1][2]

Recebeu na FFCL diversos cientistas do Brasil e do exterior, que contribuíram para o desenvolvimento de seu laboratório. Junto a Theodosius Dobzhansky e outros professores, como Krug e Harry M. Miller Jr., da Fundação Rockefeller, Dreyfus foi um dos primeiros responsáveis pelo desenvolvimento da genética moderna no Brasil.[1][2][3]

Dias antes de sua morte proferiu um discurso que resume o seu espírito e suas contribuições para o desenvolvimento da ciência no Brasil:

Atualmente, o edifício de Genética e Biologia Evolutiva da Universidade de São Paulo chama-se André Dreyfus, em sua homenagem.[4]

MorteEditar

André morreu em 16 de fevereiro de 1952, aos 54 anos, na capital paulista, devido a complicações causadas por hipertensão arterial.[1] Em 1949, uma hemorragia na retina prejudicou parte de sua visão.[1] Seu corpo foi sepultado no Cemitério São João Batista, no Rio de Janeiro.[1]

Ver tambémEditar

Referências

  1. a b c d e f g «André Dreyfus» (PDF). Consultado em 1 de março de 2012 
  2. a b c d Dayana de Oliveira Formiga (ed.). «A escola tropical de genética brasileira». Ciência e Cultura. Consultado em 7 de agosto de 2019 
  3. a b c Antonio Brito da Cunha (1994). «Perfis de Mestres: André Dreyfus». São Paulo. Estudos Avançados. 8 (22). ISSN 0103-4014. Consultado em 16 de Março de 2012 
  4. Universidade de São Paulo (ed.). «Cadeira de Biologia Geral». Instituto de Biociências. Consultado em 7 de agosto de 2019 

Ligações externasEditar