Anisogamia

A anisogamia é uma forma de reprodução sexual que envolve a união ou fusão de dois gâmetas que diferem em tamanho e / ou forma. O gâmeta menor é masculino, uma célula espermática, enquanto o gâmeta maior é feminino, normalmente um óvulo. A anisogamia é comum e disseminada em organismos multicelulares. [1] Tanto nas plantas quanto nos animais, a diferença de tamanho do gâmeta é a diferença fundamental entre fêmeas e machos.[2]

Provavelmente evoluiu da isogamia. [3] Uma vez que a definição biológica de masculino e feminino é baseada no tamanho do gâmeta, a evolução da anisogamia é vista como a origem evolutiva dos sexos masculino e feminino. [4] É também o ponto de partida para o dimorfismo sexual,[5] o pré-requisito para a seleção sexual, [6] e leva os sexos a diferentes características sexuais primárias. [7]

Acredita-se que a anisogamia também define a evolução das diferenças de comportamento entre os sexos.[8] Embora exista algum debate sobre esse ponto de vista. [1]

Geoff Parker, Robin Baker e Vic Smith foram os primeiros a fornecer um modelo matemático para sua evolução que fosse consistente com a teoria evolucionária moderna. [4] Sua teoria foi amplamente aceita, mas atualmente existem outras teorias sobre a evolução da anisogamia. [9]

Referências

  1. a b Lehtonen, Jussi; Kokko, Hanna; Parker, Geoff A. (19 de outubro de 2016). «What do isogamous organisms teach us about sex and the two sexes?». Philosophical Transactions of the Royal Society B: Biological Sciences (em inglês) (1706). 20150532 páginas. ISSN 0962-8436. PMC 5031617 . PMID 27619696. doi:10.1098/rstb.2015.0532. Consultado em 7 de dezembro de 2021 
  2. Krebs, J. R. (1993). An introduction to behavioural ecology. N. B. Davies 3rd ed ed. Oxford [England]: Blackwell Scientific Publications. OCLC 667015698 
  3. Sperm biology : an evolutionary perspective. Tim Birkhead, David J. Hosken, Scott Pitnick 1st ed ed. Amsterdam: Elsevier/Academic Press. 2009. OCLC 455328677 
  4. a b Togashi, T.; Bartelt, J. L.; Yoshimura, J.; Tainaka, K.-i.; Cox, P. A. (21 de agosto de 2012). «Evolutionary trajectories explain the diversified evolution of isogamy and anisogamy in marine green algae». Proceedings of the National Academy of Sciences (em inglês) (34): 13692–13697. ISSN 0027-8424. PMC 3427103 . PMID 22869736. doi:10.1073/pnas.1203495109. Consultado em 7 de dezembro de 2021 
  5. Togashi, T.; Bartelt, J. L.; Yoshimura, J.; Tainaka, K.-i.; Cox, P. A. (21 de agosto de 2012). «Evolutionary trajectories explain the diversified evolution of isogamy and anisogamy in marine green algae». Proceedings of the National Academy of Sciences (em inglês) (34): 13692–13697. ISSN 0027-8424. PMC 3427103 . PMID 22869736. doi:10.1073/pnas.1203495109. Consultado em 7 de dezembro de 2021 
  6. The evolution of primary sexual characters in animals. Janet L. Leonard, Alex Córdoba-Aguilar. Oxford: Oxford University Press. 2010. OCLC 671655905 
  7. Encyclopedia of animal behavior. Jae C. Choe Second edition ed. Amsterdam: [s.n.] 2019. OCLC 1088561040 
  8. Andersson, M. B. (1994). Sexual Selection. Princeton: Princeton University Press. OCLC 1129222895 
  9. Majerus, M. E. N. (2003). Sex wars : genes, bacteria, and biased sex ratios. Princeton: Princeton University Press. OCLC 49576752