Anna Jarvis

Idealizadora do Dia das Mães.

Anna Maria Jarvis (Webster (Virgínia Ocidental), 1864 - West Chester (Pensilvânia), 24 de novembro de 1948) é reconhecida como idealizadora do Dia das Mães nos Estados Unidos.

Anna Jarvis
'
Nascimento 1 de maio de 1864
Webster
Morte 24 de novembro de 1948 (84 anos)
West Chester
Sepultamento Pensilvânia
Cidadania Estados Unidos
Progenitores
Alma mater
  • Mary Baldwin University
Ocupação ativista, fundidor,
Religião Metodismo
Causa da morte si

A ideia surgiu a partir de um episódio ocorrido na vida pessoal de Jarvis, a morte da mãe em 1905. As amigas, muito preocupadas com seu estado depressivo depois do fato, fizeram uma festa para eternizar o dia. Anna quis que a celebração fosse estendida a todas as mães. Depois de lutar três anos para oficializar a data, finalmente, em 26 de abril de 1910, o governador da Virgínia Ocidental, William E. Glasscock, acrescentou o Dia das Mães ao calendário de datas comemorativas daquele estado[carece de fontes?]. Em pouco tempo outros estados dos Estados Unidos aderiram à comemoração e com isso, em 1914, o presidente dos Estados Unidos, Woodrow Wilson [1] formalizou a data em todo o território nacional.

BiografiaEditar

Anna Jarvis nasceu na pequena cidade de Webster, no Condado de Taylor, na Virgínia Ocidental. Ela foi filha de Ann Maria Reeves Jarvis. A família mudou-se para perto de Grafton, também na Virgínia do Oeste, durante sua infância.

Em 12 de maio de 1907, dois anos após a morte de sua mãe, ela criou um memorial à sua mãe e iniciou um campanha para que o "Dia das Mães" fosse um feriado reconhecido. Ela obteve sucesso ao torná-lo nacionalmente reconhecido em 1914. A Capela do Dia Internacional das Mães foi estabelecida em Grafton para comemorar sua vitória.

Na década de 1920, Anna Jarvis ficou incomodada com a comercialização do feriado. Ela criou a Associação Internacional para o Dia das Mães, alegou direitos autorais sobre o segundo domingo de maio, e foi presa uma vez por perturbar a paz. Ela e sua irmã Ellsinore gastaram a herança da família fazendo campanha contra o feriado. As duas morreram na pobreza. Jarvis, segundo o obituário no New York Times, ficou magoada porque muitas pessoas mandavam para suas mães um cartão impresso. Dizia ela que:

"Um cartão impresso não significa nada mais que você é muito preguiçoso para escrever para a mulher que fez mais por você que qualquer outra pessoa no mundo. E tortas! Você leva uma caixa para a Mãe - e então come tudo você mesmo. Um belo sentimento!"

Anna Marie Jarvis nunca casou e não teve filhos. Ela morreu em West Chester, Pensilvânia, e está enterrada no Cemitério Laurel Hill, em Bala Cynwyd, Pensilvânia.

Referências