António Avelar de Pinho

cantor, compositor e escritor português

Antonio Avelar de Pinho (Entroncamento, 1947), é um músico, compositor, autor de letras de canções, escritorprodutor musical e de programas de televisão. Foi um dos fundadores de bandas portuguesas emblemáticas, como Filarmónica Fraude e Banda do Casaco. [1][2]

António Avelar de Pinho
Informação geral
Nome completo António Manuel Flor Avelar de Pinho
Nascimento 27 de maio de 1947 (75 anos)
Origem Portugal, Lisboa
País Portugal Portugal
Ocupação(ões) Músico, compositor, produtor e editor discográfico
Período em atividade 1968-presente

BiografiaEditar

António Manuel Flor Avelar de Pinho, nasceu no Entroncamento no dia 27 de Maio de 1947. [3][1]

Após ter feito a escola primária, foi enviado para o Colégio Militar em Lisboa que detestou. Seguiu-se o Instituto Superior Técnico que abandona após dois anos sem concluir o curso de engenharia. [4][5][6][7]

Em 1968, junta-se aos músicos João Carvalho, José Parracho, Luís Linhares, Júlio Patrocínio e Antunes da Silva, com os quais funda a banda Filarmónica Fraude, cujo primeiro e único LP, intitulado Epopeia, editado em 1969 e produzido por Luís  Villas-Boas, é considerado o primeiro disco de rock com letras em português escritas por ele. [6][2][8][9]

Alguns anos mais tarde, em 1973, ele e Nuno Rodrigues fundam a Banda Do Casaco, dividindo entre eles a produção e a escrita das letras das canções, para além de ter sido um dos vocalistas da mesma. Escrevem de imediato o primeiro álbum do grupo, ao qual dão o nome de Dos Benefícios dum Vendido no Reino dos Bonifácios, editado em 1975, e que apresenta o tom surrealista e a influência das recolhas de Michel Giacometti  que irá marcar todo o percurso da banda. Fará parte da banda até ao inicio da década de oitenta. [1][10][6][11][7]

Em 1977, ele e Nuno Rodrigues escrevem e coproduzem o disco do programa infantil Fungagá da Bicharada emitido pela RTP, cujos apresentadores eram Júlio Isidro e José Barata-Moura. [12][13]

Após abandonar a Banda do Casaco, vai trabalhar na Valentim de Carvalho onde continua a trabalhar com Nuno Rodrigues, no Departamento Nacional de Artistas e Repertório. Lá produzem e escrevem para artistas como António Mourão, Concha, Gabriela Schaaf, José Campos e Sousa, Lara Li, Marco Paulo, entre outros. [3][14]

Passado um ano demite-se e produz, como free-lancer, o disco Ar de Rock que dá a conhecer Rui Veloso e Carlos Tê, após os convencer a colocarem as letras em português e a gravarem o tema Chico Fininho. [7][3][9]

É convidado por Cláudio Condê a ir trabalhar na Polygram e lá fica 10 anos, durante os quais produz e escreve para vários artistas portugueses, nomeadamente: Amália, Carlos Alberto Vidal (futuro Avô Cantigas), Doce, Da Vinci, Dina, Dino Meira, Herman José, José Cid, Rão Kyao, Rita Guerra, Tonicha, entre outros. É também ele que produz os primeiros discos dos Heróis do Mar e dos Táxi. [7][3][15][16]

Em 1982, cria com Carlos Alberto Vidal, o alter-ego Avô Cantigas para o programa da RTP, O Passeio dos Alegres, apresentado por Júlio Isidro e que tinha um segmento dedicado às crianças. [17][18][19][20] António Avelar de Pinho foi também empresário de vários artistas, entre eles, Carlos Paredes e Rão Kyao. [5][16]

É durante a década de 80 que começa a escrever para programas de televisão, entre eles O Tal Canal de Herman José. [3][1][21]

Através da Companhia das Ideias (empresa por ele fundada em 1990), desenvolve vários projectos musicais e para televisão. Entre eles destacam-se o TOP Mais no qual se estreou Catarina Furtado. [3][1][22]

Cria a série policial Claxon, interpretado por António Cordeiro, emitida pela RTP e que se tornou numa série de culto. [23] É também o criador do programa infanto-juvenil Vitaminas, no qual António Cordeiro interpretava a personagem Félix Fracasso e Carlos Alberto Vidal era o apresentador. [24][25][21]

António Avelar de Pinho, é também conhecido pela ligação ao Festival da Canção para o qual escreveu várias canções em parceria com Nuno Rodrigues. [26] Entre elas destacam-se Eu só quero cantada por Gabriela Schaaf que fica em segundo lugar na edição de 1979 e Alibabá, Um homem das Arábias cantada em 1981 pelas Doce que ficam em quarto lugar. [27][26][28]

Em 1982, é um dos autores da canção Bem Bom que ganha o festival e que leva as Doce até ao Festival da Eurovisão da Canção, onde irão representar Portugal e no qual ficam em 13º lugar. [29][30]

Continua a compor para o festival escrevendo para letras em parceria com Luis Oliveira para Lara Afonso, MariaFolia, TribURbana (compostos por Agir e Milene Candeias), entre outros. [31][32] Em 2018 fez parte do júri do festival e dois anos mais tarde foi um dos compositores convidados. [33][34]

Com Pedro de Freitas Branco (músico) foi o autor da série juvenil "Os Super 4" com mais de 19 livros publicados, os mais recentes, a partir de 2005, tem sido escritos apenas por Pinho. [35]

Obras SeleccionadasEditar

DiscografiaEditar

Com a Banda do Casaco gravou os albúns: [3][36]

  • 1974 - Dos Benefícios dum Vendido no Reino dos Bonifácios [37]
  • 1976 - Hoje Há Conquilhas Amanhã não Sabemos [39]
  • 1978 - Contos da Barbearia
  • 1980 - No Jardim da Celeste

Bibliografia SeleccionadaEditar

É autor de vários livros infanto-juvenis, entre eles: [40][41][42]

  • 2020 - Formiga duma figa, com ilustrações de João Vaz de Carvalho, editado pela Porto Editora [43]
  • Coleção “Os Super4”, co-autor Pedro de Freitas Branco, editado pelas editoras Bertrand e Presença [3][44]

Referências

  1. a b c d e «BIOGRAFIA: António Avelar de Pinho». Festival da Canção. Consultado em 9 de agosto de 2021 
  2. a b «BLITZ – Debaixo da Língua n' O Sol da Caparica: "Nunca me passou pela cabeça escrever noutro idioma", confessa António Avelar de Pinho». Jornal blitz. Consultado em 9 de agosto de 2021 
  3. a b c d e f g h «António Avelar Pinho». Syncsongs - Music Publishing. Consultado em 8 de agosto de 2021 
  4. «Arquivo.pt». arquivo.pt. Consultado em 9 de agosto de 2021 
  5. a b «Tenho muitas saudades do meu pai». O Mirante. 19 de abril de 2006. Consultado em 8 de agosto de 2021 
  6. a b c Brito, Bruno (2018). O Rock Progressivo em Portugal: 1967-1981 (PDF). Lisboa: ISCTE - UL 
  7. a b c d Branco, Luis de Freitas. «António Avelar de Pinho."Convenci o Rui Veloso eo Carlos Tê a gravar o Chico Fininho"» (PDF). Jornal i 
  8. Freitas Branco, Luis. «50 anos de Filarmónica Fraude e o primeiro grande álbum de rock português - Artigo do Jornal Observador». arquivo.pt. Consultado em 9 de agosto de 2021 
  9. a b Branco, Pedro de Freitas (12 de novembro de 2019). Sobreviventes (em inglês). [S.l.]: Marcador Editora 
  10. Portelo, Carlos (8 de agosto de 2014). «Parcerias de sucesso - António Avelar de Pinho / Nuno Rodrigues Parte 2». Festivais da Canção. Consultado em 9 de agosto de 2021 
  11. «António Avelar Pinho (Filarmónica Fraude, Banda do Casaco, Autor, Produtor)». Mural Sonoro revista digital/digital magazine. Consultado em 9 de agosto de 2021 
  12. «O Covil do Vinil». ocovildovinil.pt. Consultado em 9 de agosto de 2021 
  13. Infopédia. «Fungagá da Bicharada - Infopédia». Infopédia - Dicionários Porto Editora. Consultado em 9 de agosto de 2021 
  14. «Notícias». festivais. Consultado em 9 de agosto de 2021 
  15. «Parcerias de Sucesso – António Pinho & Nuno Rodrigues – parte 1». 13 de junho de 2015. Consultado em 9 de agosto de 2021 
  16. a b «"Tome conta de mim", disse-me Carlos Paredes». Observador. Consultado em 9 de agosto de 2021 
  17. Botelho, Nuno (1 de abril de 2017). «Regresso ao paraíso perdido». Expresso. Expresso 
  18. «Avô Cantigas estreia ″Canta-me histórias″». www.jn.pt. Consultado em 10 de agosto de 2021 
  19. «Carlos Alberto Vidal (Avô Cantigas) | Costa e Ramos». Consultado em 10 de agosto de 2021 
  20. «Portugal: Conheça os compositores do Festival da Canção 2020 [Parte 1]». ESC PORTUGAL | A Eurovisão em Português. Consultado em 10 de agosto de 2021 
  21. a b Pimenta, Rita. «António Avelar de Pinho escreve histórias que são canções». PÚBLICO. Consultado em 15 de agosto de 2021 
  22. «Catarina Furtado». Cook Off - RTP. Consultado em 15 de agosto de 2021 
  23. «Claxon - Série Policial». Arquivos RTP. Consultado em 15 de agosto de 2021 
  24. Tavares, Tiago. «10 tesourinhos da produção infantil da RTP». Observador. Consultado em 15 de agosto de 2021 
  25. Portugal, Rádio e Televisão de. «VITAMINAS - Infantis e Juvenis - RTP». www.rtp.pt. Consultado em 15 de agosto de 2021 
  26. a b «Parcerias de sucesso - António Avelar de Pinho / Nuno Rodrigues Parte 2». Festivais da Canção. Consultado em 15 de agosto de 2021 
  27. «Festival da Canção 1979: Gabriela Schaaf - "Eu só quero"». Eurovisionworld. Consultado em 15 de agosto de 2021 
  28. «Palavras de Bolso de 04 Out 2017 - RTP Play - RTP». RTP Play. Consultado em 15 de agosto de 2021 
  29. «Eurovision 1982 Portugal: Doce - "Bem-bom"». Eurovisionworld. Consultado em 15 de agosto de 2021 
  30. Livre, Antena. «DOCE: A irreverência, o sucesso e os escândalos..."BEM BOM", o filme a 8 de Julho». www.antenalivre.pt. Consultado em 15 de agosto de 2021 
  31. «Paulo de Carvalho e Agir na Final do Festival da Canção». Festival da Canção. Consultado em 15 de agosto de 2021 
  32. «Biografia de Lara Afonso». festivais. Consultado em 15 de agosto de 2021 
  33. «Nove jurados vão avaliar as canções do Festival da Canção 2018». Festival da Canção. Consultado em 15 de agosto de 2021 
  34. «FC2020: REVELADOS OS COMPOSITORES DO FESTIVAL DA CANÇÃO 2020». ESC PORTUGAL | A Eurovisão em Português. Consultado em 15 de agosto de 2021 
  35. «Os super 4 - A canção do golfinho | Trade Stories». tradestories.pt. Consultado em 8 de agosto de 2021 
  36. «Banda do Casaco - Fonoteca Municipal do Porto». fonoteca.cm-porto.pt. Consultado em 8 de agosto de 2021 
  37. «Dos Benefícios dum Vendido no Reino dos Bonifácios». Fonoteca Municipal - Catálogo. Consultado em 8 de agosto de 2021 
  38. «Coisas do Arco da Velha». Fonoteca Municipal - Catálogo. Consultado em 8 de agosto de 2021 
  39. Artur (30 de dezembro de 2006). «"Hoje há conquilhas, amanhã não sabemos" – Banda do Casaco». O Coiso (em inglês). Consultado em 8 de agosto de 2021 
  40. «Pinho, António Avelar de». Worldcat. Consultado em 8 de agosto de 2021 
  41. «Obras de António Avelar de Pinho que constam do catálogo da BNP». BNP - Biblioteca Nacional Portuguesa. Consultado em 8 de agosto de 2021 
  42. «António Avelar de Pinho». www.goodreads.com. Consultado em 10 de agosto de 2021 
  43. «Formiga duma figa». Biblioteca Nacional de Portugal - Catálogo. Consultado em 8 de agosto de 2021 
  44. «Livros de Antonio avelar de pinho pedro de freitas branco | Estante Virtual». Livros de Antonio avelar de pinho pedro de freitas branco | Estante Virtual. Consultado em 8 de agosto de 2021 

Ligações ExternasEditar