António Maria de Bettencourt Rodrigues

político português da 1ª república

António Maria de Bettencourt[nota 1] Rodrigues GCC (São Nicolau, Cabo Verde, 6 de março de 1854Cascais, Estoril, Monte Estoril, 4 de outubro de 1933) foi um médico, diplomata e político português.

António Maria de Bettencourt Rodrigues
António Maria de Bettencourt Rodrigues
Nascimento 5 de março de 1854
Morte 1933
Cidadania Portugal, Reino de Portugal
Alma mater
Ocupação médico, escritor, político
Prêmios
  • Grã-Cruz da Ordem Militar de Cristo

Família

editar

Filho mais novo de José Júlio Rodrigues (Goa, Goa Norte, Bardez, Salvador do Mundo, 6 de maio de 1812 - Luanda), Goês católico, bacharel em Direito pela Faculdade de Direito da Universidade de Coimbra, Delegado do Procurador Régio no Funchal, juiz do Tribunal da Relação de Luanda, e de sua mulher (Funchal, Sé, 13 de agosto de 1842) Teresa Cristina de Sá e Bettencourt (Funchal, Sé - ?).[1][2]

Biografia

editar

Médico alienista, doutor em Medicina pela Faculdade de Medicina da Universidade de Paris, Ministro Plenipotenciário em Paris em 1913 e de 1917 a 1918, Senador pelo Círculo Eleitoral da Estremadura em 1918, Ministro dos Negócios Estrangeiros dos Governos Óscar Carmona e José Vicente de Freitas de 1926 a 1928, durante a Ditadura Militar, e Presidente da Delegação Portuguesa à Sociedade das Nações[3][4]

A 5 de Outubro de 1927 foi agraciado com a Grã-Cruz da Ordem Militar de Nosso Senhor Jesus Cristo.[5]

Entidades científicas e culturais

editar

Bettencourt-Rodrigues era filiado a várias entidades de cunho científico e cultural:[6]

  • Sociedade de Medicina Legal de Nova Iorque;
  • Academia Real de Ciências de Lisboa;
  • Academia da França;
  • Instituto Histórico e Geográfico de São Paulo;
  • Instituto Pasteur de São Paulo;
  • Sociedade de Medicina e Cirurgia de São Paulo.[nota 2]

Atuação política

editar

No seu retorno a Portugal,[6] atuou na sua política, destacando-se como:

  • Ministro plenipotenciário de Portugal em Paris;
  • Senador pelo Círculo Eleitoral de Estremadura;
  • Ministro dos Negócios Estrangeiros;

Obras e reconhecimentos

editar

Deixou publicada uma importante obra científica.[4][7]

Publicou também as seguintes obras:[6]

  • A República Portuguesa (1911);
  • Prováveis alianças e agrupamentos de nações. Uma confederação luso-brasleira: Factos, opiniões e alvitres (1923);
  • Por estradas e atalhos (1932).

Foi agraciado com a comenda da Grã-Cruz da Ordem Militar de Nosso Senhor Jesus Cristo.[6]

Notas e referências

Notas

  1. Aleixo Manuel da Costa, "Dicionário de Literatura Goesa", Vol. 3, p. 157 faz-se eco duma lenda que nasceu, vá lá saber-se por quê, de que estes irmãos se chamavam de Bettencourt porque eram conhecidos em Coimbra por os "bitoncares", talvez porque o pai era natural de Britona. Então, para acabar com esse epíteto que os desagradava, tê-lo-iam transformado em de Bettencourt! Esta lenda só foi possível por ignorar o seu autor que a mãe dos dois irmãos Rodrigues se chamava de Bettencourt, pelo que o nome que usaram era perfeitamente legítimo.
  2. Participou da primeira reunião preparatória da entidade, quando foi indicado membro. Atuou na primeira diretoria, entre 1895 e 1896.[6]

Referências

  1. Fernando de Meneses Vaz, "Famílias da Madeira e Porto Santo", Vol. 1, p. 138, tít. de Araújos, § 4.º, n.º 9
  2. "Os Luso-Descendentes da Índia Portuguesa", Jorge Eduardo de Abreu Pamplona Forjaz e José Francisco Leite de Noronha, Fundação Oriente, 1.ª Edição, Lisboa, 2003, Volume III N - Z, pp. 428 e 431
  3. A. H. de Oliveira Marques (coord.), "Parlamentares e Ministros da 1.ª República (1910-1926)", p. 377
  4. a b "Os Luso-Descendentes da Índia Portuguesa", Jorge Eduardo de Abreu Pamplona Forjaz e José Francisco Leite de Noronha, Fundação Oriente, 1.ª Edição, Lisboa, 2003, Volume III N - Z, p. 431
  5. «Cidadãos Nacionais Agraciados com Ordens Portuguesas». Resultado da busca de "António Maria de Bettencourt Rodrigues". Presidência da República Portuguesa. Consultado em 19 de março de 2016 
  6. a b c d e BEGLIOMINI, Helio - Fundadores da Sociedade de Medicina e Cirurgia de São Paulo - São Paulo: Expressão e Arte, 2022. Pág.73-76
  7. Aleixo Manuel da Costa, "Dicionário de Literatura Goesa", Vol. 3, pp. 151 a 157
  Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.