Abrir menu principal
Antônio do Desterro Malheiros, O.S.B.
Bispo da Igreja Católica
Bispo do Rio de Janeiro
Atividade Eclesiástica
Ordem Ordem de São Bento
Diocese Arquidiocese de São Sebastião do Rio de Janeiro
Nomeação 1 de setembro de 1745
Predecessor João da Cruz Salgado de Castilho, O.C.D.
Sucessor José Joaquim Justiniano Mascarenhas Castelo Branco
Mandato 1745 - 1773
Ordenação e nomeação
Ordenação presbiteral 28 de agosto de 1718
Nomeação episcopal 21 de julho de 1739
Ordenação episcopal 25 de janeiro de 1739
por Dom Tomás Cardeal de Almeida
Dados pessoais
Nascimento Viana da Foz do Lima
13 de junho de 1694
Morte Rio de Janeiro
5 de dezembro de 1773 (79 anos)
Nome religioso Frei António de Nossa Senhora do Desterro Malheiro Reimão
Nome nascimento Antônio Malheiros Reimão
Nacionalidade português
brasileiro
Funções exercidas -Bispo de Angola e Congo (1738-1745)
dados em catholic-hierarchy.org
Bispos
Categoria:Hierarquia católica
Projeto Catolicismo

Antônio Malheiros Reimão ou mais precisamente frei António de Nossa Senhora do Desterro Malheiro Reimão, OSB (Ponte de Lima, 13 de junho de 1694Rio de Janeiro, 5 de dezembro de 1773) foi um prelado português beneditino e o sexto bispo católico do Rio de Janeiro.

BiografiaEditar

Dom Antônio nasceu na Casa de Pomarchão, Arcozelo (Ponte de Lima), distrito de Viana do Castelo, no seio de uma família nobre local.

Frei Antônio (Antônio Malheiros Reimão) tinha doutorado em Teologia pela Universidade de Coimbra.

Professou sua fé na Ordem de São Bento em 25 de janeiro de 1711, sendo ordenado padre em 28 de agosto de 1718.

Foi nomeado bispo de São Paulo de Luanda em 3 de setembro de 1738, sendo confirmado em 25 de janeiro de 1739, sendo seu consagrante Dom Tomás de Almeida.

Em 15 de dezembro de 1745, foi transferido para a Diocese de São Sebastião.

Náufrago, ainda frei, foi dar à praia na altura da atual Copacabana. Atribuindo aquela santa a sua salvação, fez construir em sua devoção uma ermida que daria nome à praia e ao bairro.

Devoto de São Francisco de Paula, o Bispo do Rio de Janeiro Frei Antônio do Desterro Malheiros Reimão resolveu fundar em 1756, uma confraria da Ordem Terceira dos Mínimos e a atual Igreja de São Francisco de Paula – Largo de São Francisco, no Rio de Janeiro. No início, a Ordem mandou construir para si em 1757 uma casa própria e depois resolveu edificar uma capela à sua altura, inicialmente abrigada na Igreja de Santa Cruz dos Militares.

Nessa qualidade, em 1759 lançou a pedra fundamental de uma pequena ermida para abrigar a Venerável Ordem Terceira dos Mínimos de São Francisco de Paula. Essa edificação seria o embrião da atual Igreja de São Francisco de Paula, no Largo de São Francisco de Paula, no Rio de Janeiro.

Note-se que já o solar que tinha em Viana do Castelo, aquele que hoje é conhecida pela Casa e Capela das Malheiras, mandado construir ou remodelar por ele tinha como protector o mesmo santo mínimo.

Ainda na cidade do Rio, integrou o triunvirato que assumiu o governo da Capitania do Rio de Janeiro, em 1763, após a morte do Gomes Freire de Andrade, 1º Conde de Bobadela.

Frei Antônio (Dom Antônio do Desterro) como Bispo do Rio de Janeiro, fundou em 1763 o hospital para leprosos no bairro de São Cristóvão no Rio de Janeiro. Hoje este hospital e denominado Hospital Frei Antônio.

Tendo os moradores de São José de Taquari (atual Taquari, no Rio Grande do Sul), edificado uma capela, a mesma, por provisão do Frei Antônio do Desterro, a 11 de maio de 1764, foi elevada a curato.

Em 26 de março de 1772 criou a freguesia de Porto Alegre. Na ocasião, o nome de Porto de São Francisco dos Casais foi alterado para Nossa Senhora Madre de Deus de Porto Alegre, atual Porto Alegre.

Frei Galvão foi ordenado sacerdote a 19 de julho de 1792, no Rio de Janeiro, por este religioso.

Dados genealógicosEditar

Filho de:

Referências

Ligações externasEditar