Antonia Pellegrino

Antonia Pellegrino[1] (Rio de Janeiro, 12 de agosto de 1979) é uma escritora e roteirista premiada pela Academia Brasileira de Letras[2] e Academia do Cinema Brasileiro. Destaca-se atualmente como uma das vozes mais ativas do feminismo no Brasil.

Antonia Pellegrino
Nascimento 12 de agosto de 1979 (41 anos)
Rio de Janeiro, RJ
Nacionalidade brasileira
Cônjuge Marcelo Freixo
Ocupação escritora e roteirista

VidaEditar

Antonia Pellegrino nasceu no Rio de Janeiro, em 12 de agosto de 1979. Formou-se em ciências sociais e fez mestrado em literatura, cultura e contemporaneidade, pela PUC-Rio. Se tornou uma vozes mais ativas do feminismo[3] hoje graças ao trabalho como editora do blog #AgoraÉQueSãoElas, sua influência nas redes sociais, falas[4] e textos públicos.

Com 15 anos de experiência como roteirista, Antonia é premiada pela Academia Brasileira de Letras, Academia do Cinema Brasileira, ABRA, New York Film Festival. Escreveu 3 longas metragens de ficção que, juntos, somam mais de 4 milhões de espectadores. Foi co-autora de cinco novelas e cinco seriados, produzidos por canais como TVGlobo, HBO e Multishow, entre 2004 e 2017. Foi colaboradora do roteiro do documentário, "Democracia Em Vertigem", de Petra Costa, indicado ao Oscar em 2020.

É autora de textos[5] publicados no caderno Ilustríssima, revista Piauí, Vogue, Trip, 451, entre outros[6]. Foi colunista das revistas TPM de 2004 a 2017. Tem contos em diversas antologias, entre elas Granta Brasil e Portugal. Publicou o livro Cem Ideias Que Deram Em Nada, em 2014. E foi colunista da Folha de S. Paulo[7], entre 2011 e 2012, e de 2017 a 2019.

Antonia criou a campanha #AgoraÉQueSãoElas, em 2015, chegando a obter 65 milhões de menções no twitter. Articulou a maior campanha em rede de combate à violência contra mulher na Brasil, #MexeuComUmaMexeuComTodas. É a realizadora do documentário #PrimaveraDasMulheres[8], lançado em 2017, e premiado pela ABRA e New York Festivals. É fundadora da plataforma #AgoraÉQueSãoElas e do Festival#Agora, o evento das mulheres no poder, já em sua terceira edição.

Antonia é presença frequente na televisão, já tendo ido a programas como Conversa com Bial, Fátima Bernardes, Amor e Sexo. Foi apresentadora de uma temporada do Starte, na GloboNews, em 2012. Em 2015 fez parte da bancada do Estudio I. Em 2018, atuou como criadora e host da websérie Blasfêmea, na plataforma Hysteria.

Em 2019, roteirizou a série "Vitimas Digitais"[9], GNT; criou, junto com Marcelo D2, a série Amar É Para Os Fortes, da Amazon Brasil. Atualmente, dirige a plataforma Agora É Que São Elas; realiza o podcast #NovoNormal, produzido pela Spotify e é produtora executiva da série sobre a vida e morte de Marielle Franco.

FilmografiaEditar

NovelasEditar

Ano Título Função
2004 Da Cor do Pecado Roteirista
2005 A Lua Me Disse Roteirista
2006 Cobras & Lagartos Roteirista
2008 Negócio da China Roteirista
2011 Aquele Beijo Roteirista

SériesEditar

Ano Título Função
2008 Alice Roteirista
2010 Amor em Quatro Atos Roteirista
2010 A Vida Alheia Roteirista
2011 Oscar Freire 279 Roteirista
2013 Pé na Cova Roteirista
2019 Vítimas Digitais Roteirista

CinemaEditar

Ano Título Função
2011 Bruna Surfistinha Roteirista
2012 Éden Roteirista
2013 Tim Maia Roteirista
2017 Primavera das Mulheres Diretora; Roteirista; Produtora
2019 Democracia em Vertigem Roteirista

Referências

  1. «Doce fúria». Inconsciente Coletivo. Consultado em 6 de março de 2020 
  2. http://www.academia.org.br/noticias/academia-brasileira-de-letras-anuncia-os-vencedores-de-seus-premios-literarios-de-2015
  3. «Quer entender o feminismo atual? Assista a #PrimaveraDasMulheres». GQ. Consultado em 6 de março de 2020 
  4. «Antonia Pellegrino: "Seguiremos fazendo cinema, atentos e fortes"». VEJA RIO. Consultado em 6 de março de 2020 
  5. https://www1.folha.uol.com.br/colunas/antonia-pellegrino-e-manoela-miklos/2019/01/caso-ze-mayer-nosso-metoo-pioneiro.shtml
  6. «Antonia Pellegrino: Bolsonaro tem medo de mulher». Folha de S.Paulo. 21 de julho de 2019. Consultado em 6 de março de 2020 
  7. «Opinião: Antonia Pellegrino: José Padilha não entendeu o mecanismo». Folha de S.Paulo. 1 de abril de 2018. Consultado em 6 de março de 2020 
  8. Flor, Aline. «Antonia Pellegrino filmou uma "Primavera das Mulheres" antes do Inverno que se instalou no Brasil». PÚBLICO. Consultado em 6 de março de 2020 
  9. «Série 'Vítimas Digitais' retrata casos reais e efeitos de crimes digitais - Emais». Estadão. Consultado em 6 de março de 2020