Antonio Caggiano

Antonio Caggiano
Cardeal da Igreja Católica
Arcebispo-emérito de Buenos Aires
Atividade eclesiástica
Diocese Arquidiocese de Buenos Aires
Nomeação 15 de agosto de 1959
Predecessor Dom Fermín Emilio Lafitte
Sucessor Dom Juan Carlos Aramburu
Mandato 1959 - 1975
Ordenação e nomeação
Ordenação presbiteral 23 de março de 1912
Nomeação episcopal 13 de setembro de 1934
Ordenação episcopal 17 de março de 1935
por Dom Filippo Cortesi
Nomeado arcebispo 15 de agosto de 1959
Cardinalato
Criação 18 de fevereiro de 1946
por Papa Pio XII
Ordem Cardeal-presbítero
Título São Lourenço em Panisperna
Lema Impendam et super impendar
Dados pessoais
Nascimento Coronda
30 de janeiro de 1889
Morte Buenos Aires
23 de outubro de 1979 (90 anos)
Nacionalidade argentino
dados em catholic-hierarchy.org
Cardeais
Categoria:Hierarquia católica
Projeto Catolicismo

Antonio Caggiano (Coronda, 30 de janeiro de 1889Buenos Aires, 23 de outubro de 1979) foi um cardeal católico argentino, bispo de Rosário e depois arcebispo de Buenos Aires.

VidaEditar

Antonio Caggiano recebeu sua formação filosófica e teológica no seminário de Santa Fé. Ele recebeu o sacramento da Ordem Sagrada em 23 de março de 1912 e depois trabalhou por vários meses como pastor paroquial. De 1913 a 1931 foi professor na formação dos sacerdotes da diocese de Santa Fe e como pastor da Ação Católica.

Nos anos de 1933 e 1934 Antonio Caggiano exerceu as funções de vigário geral no Ordinariato Militar.

Em 13 de setembro de 1934, o Papa Pio XI nomeou-o Bispo de Rosario. Recebeu a ordenação episcopal em 17 de março de 1935 pelo arcebispo Filippo Cortesi, o núncio apostólico na Argentina.

Em 18 de fevereiro de 1946, o papa Pio XII o elevou a cardeal-presbítero com a igreja titular de San Lorenzo em Panisperna no Colégio de Cardeais. Em 1955 participou da primeira conferência geral dos bispos latino-americanos no Rio de Janeiro. Após a morte de Pio XII, o Cardeal Caggiano participou do Conclave de 1958 que elegeu o Papa João XXIII. Foi nomeado em 15 de agosto de 1959 Arcebispo de Buenos Aires. Ao mesmo tempo, foi nomeado bispo militar da Argentina e bispo dos fiéis bizantinos na Argentina. A inauguração em Buenos Aires ocorreu em 25 de outubro do mesmo ano.[1]

Antonio Caggiano participou no Concílio Vaticano II de 1962 a 1965 e no Conclave de 1963. Ele representou o papa em várias celebrações como legado papal.

Em 21 de abril de 1975, o papa Paulo VI aceita a sua renúncia como Arcebispo de Buenos Aires e Ordinário para os crentes bizantinos.[1] Em 7 de julho do mesmo ano foi aceite a sua renúncia como bispo militar.

Desde então pelo Motu proprio Romano Pontifici Eligendo de Paulo VI, todos os cardeais com 80 anos ou mais perderam o direito de votar em um conclave, mas também não participaram dos dois conclaves de 1978. Em 17 de dezembro de 1978, ele foi o protocardeal-presbítero. Antonio Caggiano morreu em 23 de outubro de 1979 em Buenos Aires e foi sepultado na catedral local.

PronunciaçõesEditar

Em 23 de dezembro de 1960, Antonio Caggiano expressou no jornal argentino La Razón a sua opinião sobre os acontecimentos do julgamento de Adolf Eichmann, que viveu vários anos sob identidade falsa na Argentina:[2] "É do nosso país buscar perdão e esquecimento. Não importa o que seu nome é, Ricardo Klement [nome de código Eichmann] ou Adolf Eichmann, o nosso dever cristão é a perdoá-lo pelo que ele fez. " [2] Predefinição:"[3]

Precedido por
Dom Fermín Emilio Lafitte
 
Arcebispo de Buenos Aires

1959-1975
Sucedido por
Dom Juan Carlos Aramburu
Precedido por
Ermenegildo Pellegrinetti
 
Cardeal-presbítero de
São Lourenço em Panisperna

1946 - 1979
Sucedido por
Michael Michai Kitbunchu
Precedido por
Joseph Frings
 
Cardeal-Protopresbítero

1978-1979
Sucedido por
Carlos Carmelo de Vasconcelos Motta

ReferênciasEditar

  1. a b «Datos históricos, 23». Buenos Aires (Arquidiócesis) (em spanisch). Erzbistum Buenos Aires. Consultado em 8 de fevereiro de 2016 
  2. a b Uki Goñi (2002). La auténtica Odessa – la fuga nazi a la Argentina de Perón. [S.l.]: Paidós. p. 132, 216, 298 u.ö. ISBN 9788449313295 
  3. Jill Hedges (2011). Argentina. A Modern History. [S.l.]: I.B.Tauris. p. 138. ISBN 9781848856547