Abrir menu principal

Apeadeiro de Mandim

Disambig grey.svg Nota: Se procura a antiga estação na Linha do Tâmega, veja Estação Ferroviária de Mondim de Basto.
Mandim
Inauguração 14 de Março de 1932
Encerramento 24 de Fevereiro de 2002
Linha(s) Linha de Guimarães
(PK 12,529)
Coordenadas 41° 15′ 05,63″ N, 8° 37′ 39,61″ O
Concelho Maia
Serviços Ferroviários Abatido ao serviço
Horários em tempo real

O Apeadeiro de Mandim foi uma antiga infra-estrutura da Linha de Guimarães, que servia a localidade de Mandim, no Concelho de Maia, em Portugal. Foi substituído pela Estação Mandim do Metro do Porto.

HistóriaEditar

Esta interface foi inaugurada em 14 de Março de 1932 e entrou ao serviço no dia seguinte, já com a classificação de apeadeiro, como parte da então denominada Linha de Senhora da Hora à Trofa.[1][2] Na altura da sua abertura, prestava serviço completo, nos regimes de grande e pequena velocidades.[2][1] O comboio inaugural passou por este apeadeiro sem parar.[1]

Por um diploma do Ministério das Obras Públicas e Comunicações de 20 de Setembro de 1936, este apeadeiro baixou de categoria, passando a ser uma paragem.[3]

Em 24 de Fevereiro de 2002, foi encerrado o troço da Linha de Guimarães entre a Senhora da Hora e Trofa, para ser posteriormente substituído pelo Metro do Porto.[4]

O troço da Linha C do Metro do Porto entre o Fórum da Maia e o ISMAI foi aberto à exploração em 31 de Março de 2006. Contudo, na zona da Maia, a Linha C não aproveita o canal da antiga Linha de Guimarães, seguindo em vez disso por um canal construído de raiz que passa mais próximo do centro da localidade. Assim, o antigo apeadeiro de Mandim ficou sem usos ferroviários; no entanto, a linha C volta a aproveitar o canal da Linha de Guimarães nas proximidades deste apeadeiro, pelo que foi construída uma estação de metro para servir Mandim localizada apenas a 200 metros do apeadeiro original. No total, cerca de 3 km[5] do canal da antiga Linha de Guimarães na zona da Maia não foram aproveitados para a Linha C do Metro do Porto. Na década de 2010, a Câmara Municipal da Maia converteu este canal desativado numa ciclovia, um projeto chamado Ecocaminho da Maia. O primeiro troço da ciclovia, os 1,8 km entre o extremo sul do troço desativado da Linha de Guimarães (Via Periférica, no lugar de Souto) e as Vias Paralelas (no lugar de Brandinhães), foi inaugurado em 13 de julho de 2015.[6] Neste troço insere-se a antiga estação ferroviária da Maia. O segundo e último troço da ciclovia, os 1,5 km entre as Vias Paralelas e o antigo apeadeiro de Mandim, foi inaugurado em 16 de fevereiro de 2019, criando assim uma ciclovia com 3,3 km.[5][7]

Ver tambémEditar

Referências

  1. a b c «A Visita do Chefe de Estado ao Norte e a Inauguração do Túnel da Trindade e Linha da Senhora da Hora à Trofa» (PDF). Gazeta dos Caminhos de Ferro. 45 (1062). 16 de Março de 1932. p. 135-143. Consultado em 30 de Julho de 2013 
  2. a b «Viagens e Transportes» (PDF). Gazeta dos Caminhos de Ferro. 45 (1065). 1 de Maio de 1932. p. 218. Consultado em 30 de Julho de 2013 
  3. «Parte Oficial» (PDF). Gazeta dos Caminhos de Ferro. 48 (1164). 16 de Junho de 1936. p. 339-341. Consultado em 30 de Julho de 2013 
  4. Silva, Samuel (14 de novembro de 2010). «O comboio foi-se há muito. O metro talvez nunca venha a chegar». Público. Consultado em 31 de maio de 2018 
  5. a b «Está concluída a segunda fase do Ecocaminho da Maia». Notícias da Maia. 11 de fevereiro de 2019. Consultado em 20 de abril de 2019 
  6. «Maia: Ecocaminho». Ciclovia. Consultado em 20 de abril de 2019 
  7. Silva, Ana Sofia (4 de março de 2019). «Inaugurado II Troço do Ecocaminho». Maia Hoje. Consultado em 20 de abril de 2019 

Ligações externasEditar