Abrir menu principal

Armando de Almeida Fernandes

historiador português
Armando de Almeida Fernandes
Nascimento Lamego
Cidadania Portugal
Alma mater Universidade de Lisboa, Universidade de Coimbra
Ocupação historiador, poeta
Prêmios Comendador da Ordem do Mérito

Armando de Almeida Fernandes (Britiande (Lamego), 26 de Novembro de 1917 - 2002) foi um historiador português. Considerado um dos maiores estudiosos da época medieval portuguesa[1] e um paleógrafo de excepção.[2]

BiografiaEditar

Era filho do Comendador Prof. João de Almeida Fernandes e de sua esposa, Aurora da Conceição Rodrigues, um dos mais novos dos dez filhos do casal. O seu pai era um homem culto, que apreciava os livros e o período greco-romano. Desde muito cedo o jovem Armando manifestou interesse pela história, e também pela música, pelo desenho e pelo retrato, tendo tido aulas de música, de latim e de inglês.

Frequentou o Colégio de Lamego até ao 5º ano, tendo seguido para Coimbra, onde cursou o 6° e o 7º anos, e os Preparatórios de Engenharia Civil. Acabaria por abandonar este curso, vindo a obter a Licenciatura em Engenharia Geográfica (Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa) e o Curso de Ciências Pedagógicas (Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra).

A partir dos vinte e cinco anos de idade dedicou-se ao estudo da História de Portugal, interesse que manteve até ao fim da vida, nomeadamente pelo período que se estende do século VI ao século XIII, pela Toponímia e pela Antroponímia-Onomástica. Legou-nos ainda um número significativo de retratos e gravuras, assim como poemas e peças musicais: cânticos religiosos dedicados à Virgem Maria, poemas sinfónicos, missas e uma ópera.

Em 1947 desposou Elda dos Santos Carvalho, natural de Tarouca, com quem teve dois filhos.

ObraEditar

O conjunto de sua obra é constituído por cerca de 70 publicações, às quais se somam um considerável número de inéditos, além de um acervo documental também inédito, primeiras versões, e outros.

É dos historiadores com maior número de entradas em obras de nomeada como a Grande Enciclopédia Portuguesa e Brasileira, a Revista de Guimarães, a Caminiana, a Bracara Augusta, os Cadernos Vianenses, a Revista da Beira Alta, entre outras.

Editou entre outras:

  • Faria e não Feira (1127-1128) (1991)
  • Taraucae Monumenta Histórica
  • Toponímia Portuguesa
  • Viseu, Agosto de 1109, nasce D. Afonso Henriques (1993)[3]
  • Ponte de Lima na Alta Idade Média (1960)[4]
  • Ponte de Lima Altimediévica (1963)[4]
  • Toponímia de Ponte de Lima[4]
  • Par+oquias Suevas e Dioceses Visigóticas (1997)
  • Castro ou Crasto Rey de Tarouca
  • Tabuaço, Toponímia (2002)

HomenagensEditar

  • Condecoração com a Ordem do Mérito, honras e insígnias, grau de Comendador pelo Presidente da República, Dr. Jorge Sampaio, em 2003, e entregue pelo Presidente da República, Professor Doutor Aníbal Cavaco Silva.[2]
  • Centro de Estudos A. de Almeida Fernandes, com o seu espólio pessoal, bibliográfico e documental, Santa Casa da Misericórdia de Tarouca.
  • Prémio A. de Almeida Fernandes - História Medieval Portuguesa, iniciativa organizada, anualmente de forma intercalada, pelos Municípios de Ponte de Lima e de Lamego.[4]
  • Prémio Almeida Fernandes, pelo Município de Viseu.[5]
  • Colóquio A. de Almeida Fernandes, organizado pela Academia Portuguesa da História.
  • Rua Dr. Armando de Almeida Fernandes, em Tarouca, após a atribuição da Medalha de Ouro pela respectivo Município[6]
  • Rua Armando Almeida Fernandes, em Santa Maria Maior da Meadela, concelho de Viana do Castelo.[7]
  • Alameda Dr. Almeida Fernandes, em Lamego, após a atribuição da Medalha de Cidadão Honorário e a colocação de um Monumento votivo pelo referido Município.[2]

Referências

BibliografiaEditar

  • Homenagem a A. de Almeida Fernandes no 86º aniversário do seu nascimento. Viseu: Ed. da Fundação Mariana Seixas/SACRE, 2003

Ligações externasEditar