Abrir menu principal

Armando de Almeida Fernandes

historiador português

Armando de Almeida Fernandes (Britiande (Lamego), 26 de Novembro de 1917 - 2002) foi um historiador português. Considerado um dos maiores estudiosos da época medieval portuguesa[1] e um paleógrafo de excepção.[2]

Índice

BiografiaEditar

Era filho do Comendador Prof. João de Almeida Fernandes e de sua esposa, Aurora da Conceição Rodrigues, um dos mais novos dos dez filhos do casal. O seu pai era um homem culto, que apreciava os livros e o período greco-romano. Desde muito cedo o jovem Armando manifestou interesse pela história, e também pela música, pelo desenho e pelo retrato, tendo tido aulas de música, de latim e de inglês.

Frequentou o Colégio de Lamego até ao 5º ano, tendo seguido para Coimbra, onde cursou o 6° e o 7º anos, e os Preparatórios de Engenharia Civil. Acabaria por abandonar este curso, vindo a obter a Licenciatura em Engenharia Geográfica (Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa) e o Curso de Ciências Pedagógicas (Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra).

A partir dos vinte e cinco anos de idade dedicou-se ao estudo da História de Portugal, interesse que manteve até ao fim da vida, nomeadamente pelo período que se estende do século VI ao século XIII, pela Toponímia e pela Antroponímia-Onomástica. Legou-nos ainda um número significativo de retratos e gravuras, assim como poemas e peças musicais: cânticos religiosos dedicados à Virgem Maria, poemas sinfónicos, missas e uma ópera.

Em 1947 desposou Elda dos Santos Carvalho, natural de Tarouca, com quem teve dois filhos.

ObraEditar

O conjunto de sua obra é constituído por cerca de 70 publicações, às quais se somam um considerável número de inéditos, além de um acervo documental também inédito, primeiras versões, e outros.

É dos historiadores com maior número de entradas em obras de nomeada como a Grande Enciclopédia Portuguesa e Brasileira, a Revista de Guimarães, a Caminiana, a Bracara Augusta, os Cadernos Vianenses, a Revista da Beira Alta, entre outras.

Editou entre outras:

  • Faria e não Feira (1127-1128) (1991)
  • Taraucae Monumenta Historica
  • Toponímia Portuguesa
  • Viseu, Agosto de 1109, nasce D. Afonso Henriques (1993)[3]
  • Ponte de Lima na Alta Idade Média (1960)[4]
  • Ponte de Lima Altimediévica (1963)[5]
  • Toponímia de Ponte de Lima[6]
  • Par+oquias Suevas e Dioceses Visigóticas (1997)
  • Castro ou Crasto Rey de Tarouca
  • Tabuaço, Toponímia (2002)

HomenagensEditar

  • Condecoração com a Ordem do Mérito, honras e insígnias, grau de Comendador pelo Presidente da República, Dr. Jorge Sampaio, em 2003, e entregue pelo Presidente da República, Professor Doutor Aníbal Cavaco Silva.[7]
  • Centro de Estudos A. de Almeida Fernandes, com o seu espólio pessoal, bibliográfico e documental, Santa Casa da Misericórdia de Tarouca.
  • Prémio A. de Almeida Fernandes - História Medieval Portuguesa, iniciativa organizada, anualmente de forma intercalada, pelos Municípios de Ponte de Lima e de Lamego.[8]
  • Prémio Almeida Fernandes, pelo Município de Viseu.[9]
  • Colóquio A. de Almeida Fernandes, organizado pela Academia Portuguesa da História.
  • Rua Dr. Armando de Almeida Fernandes, em Tarouca, após a atribuição da Medalha de Ouro pela respectivo Município[10]
  • Rua Armando Almeida Fernandes, em Santa Maria Maior da Meadela, concelho de Viana do Castelo.[11]
  • Alameda Dr. Almeida Fernandes, em Lamego, após a atribuição da Medalha de Cidadão Honorário e a colocação de um Monumento votivo pelo referido Município.[12]

Referências

BibliografiaEditar

  • Homenagem a A. de Almeida Fernandes no 86º aniversário do seu nascimento. Viseu: Ed. da Fundação Mariana Seixas/SACRE, 2003

Ligações externasEditar