As Chaves da Casa Branca

As Chaves da Casa Branca é um sistema de previsão para determinar o resultado das eleições presidenciais nos Estados Unidos que foi desenvolvido pelo historiador americano Allan Lichtman e pelo geofísico russo Vladimir Keilis-Borok em 1981.

Com este sistema, Lichtman previu corretamente os resultados de todas as eleições presidenciais de 1984 a 2020, com exceção de 2000.

As 13 ChavesEditar

The Keys to the White House é uma lista de verificação de treze declarações verdadeiras / falsas que dizem respeito às circunstâncias que cercam uma eleição presidencial. Quando cinco ou menos das afirmações a seguir são falsas, prevê-se que o partido titular vencerá a eleição. Quando seis ou mais são falsos, prevê-se que o partido titular perderá.[1]

  1. Ganhos de meio de mandato: após as eleições de meio de mandato, o partido titular detém mais cadeiras na Câmara dos Representantes dos EUA do que após as eleições de meio de mandato anteriores.
  2. Sem contestação nas primárias: não há contestação séria para a indicação do partido em exercício.
  3. Titular que busca a reeleição: O candidato titular do partido é o presidente titular.
  4. Sem terceiros: não há terceiros significativos ou campanha independente.
  5. Economia de curto prazo forte: A economia não entrou em recessão durante a campanha eleitoral.
  6. Economia de longo prazo forte: O crescimento econômico real per capita durante o período é igual ou superior ao crescimento médio durante os dois períodos anteriores.
  7. Mudanças importantes na política: A administração em exercício efetua mudanças importantes na política nacional.
  8. Sem agitação social: Não há agitação social sustentada durante o mandato.
  9. Sem escândalo: a administração em exercício não foi contaminada por grandes escândalos.
  10. Nenhuma falha estrangeira / militar: A administração em exercício não sofre nenhuma falha importante em questões estrangeiras ou militares.
  11. Grande sucesso estrangeiro / militar: A administração em exercício obtém grande sucesso em assuntos estrangeiros ou militares.
  12. Titular carismático: O candidato do partido em exercício é carismático ou um herói nacional.
  13. Desafiador pouco carismático: O candidato desafiador do partido não é carismático ou um herói nacional.

Visão geralEditar

Um candidato carismático, no que diz respeito às Chaves 12 e 13, é um candidato com uma personalidade extraordinariamente persuasiva ou dinâmica que lhe dá um apelo muito amplo. Lichtman considera James G. Blaine, William Jennings Bryan, Theodore Roosevelt, Franklin D. Roosevelt John F. Kennedy, Ronald Reagan e Barack Obama candidatos carismáticos. Em contraste, Donald Trump tinha um apelo intenso com apenas uma pequena fatia do eleitorado.[2]

Essa qualidade também não é permanente: Barack Obama exalou carisma nas eleições de 2008, mas não conseguiu alcançar a mesma conexão com o público em 2012. Quanto a ser um "herói nacional", o candidato deve ser visto pelo público como tendo desempenhado um papel fundamental no sucesso de alguma empreitada nacional. Lichtman considera Ulysses Grant e Dwight Eisenhower como heróis nacionais, ambos grandes líderes de guerra.[3]

Registro de previsão de LichtmanEditar

Em 2000, Lichtman previu que Al Gore seria eleito presidente.[4] No final das contas, Gore ganhou o voto popular nacional, mas perdeu o Colégio Eleitoral e, portanto, não se tornou presidente. Normalmente, mas não necessariamente, o vencedor do voto popular nacional também ganha o Colégio Eleitoral, o órgão de votação que de fato seleciona o presidente. Foi o que aconteceu com Gore em 2000, e não acontecia na América desde 1888.

Em sua defesa, Lichtman argumenta que em 2000 ele previu especificamente o vencedor do voto popular nacional, que Gore de fato venceu.[5] Em seu livro de 1988, The Thirteen Keys to the Presidency, Lichtman havia de fato definido seu modelo como a previsão do resultado do voto popular.[6] No entanto, ele não lembrou os leitores dessa nuance em seus artigos de jornal, onde fez sua previsão para 2000.[7][4]

Em 2016, Lichtman previu que Donald Trump venceria a eleição. Porem Trump perdeu o voto popular. Lichtman diz que depois da eleição de 2000, ele parou de prever o resultado do voto popular e simplesmente previu o presidente eleito, explicando que as discrepâncias entre o Colégio Eleitoral e o voto popular aumentaram drasticamente.[8][9][10]

Previsões das Eleições americanas por Allan Lichtman[11][12]
1984 1988 1992 1996 2000 2004 2008 2012 2016 2020
Titular (partido) Ronald Reagan George H. W. Bush George H. W. Bush Bill Clinton Al Gore George W. Bush John McCain Barack Obama Hillary Clinton Donald Trump
Desafiante (partido) Walter Mondale Michael Dukakis Bill Clinton Bob Dole George W. Bush John Kerry Barack Obama Mitt Romney Donald Trump Joe Biden
Midterm gains Verdade Verdade Falso Falso Verdade Verdade Falso Falso Falso Falso
No primary contest Verdade Verdade Verdade Verdade Verdade Verdade Verdade Verdade Falso[a] Verdade
Incumbent seeking re-election Verdade Falso Verdade Verdade Falso Verdade Falso Verdade Falso Verdade
No third party Verdade Verdade Falso[b] Falso[c] Verdade Verdade Verdade Verdade Falso[d] Verdade
Strong short-term economy Verdade Verdade Falso Verdade Verdade Verdade Falso Verdade Verdade Falso
Strong long-term economy Falso Verdade Falso Verdade Verdade Falso Falso Falso Verdade Falso
Major policy change Verdade[e] False Falso Falso Falso Falso False Verdade[f] Falso Verdade[g]
No social unrest Verdade Verdade Verdade Verdade Verdade Verdade Verdade Verdade Verdade Falso[h]
No scandal Verdade Verdade Verdade Verdade Falso[i] Verdade Verdade Verdade Verdade Falso[j]
No foreign/military failure Verdade Verdade Verdade Verdade Verdade Falso[k] Falso[l] Verdade Verdade Verdade
Major foreign/military success Falso Verdade[m] Verdade[n] Falso Falso Verdade[o] Falso Verdade[p] Falso Falso
Charismatic incumbent Verdade Falso Falso Falso Falso Falso Falso Falso[q] Falso Falso
Uncharismatic challenger Verdade Verdade Verdade Verdade Verdade Verdade Falso Verdade Verdade Verdade
False keys 2 3 6 5 5 4 9 3 7 7
Predicted winner Ronald Reagan George H. W. Bush Bill Clinton Bill Clinton Al Gore George W. Bush Barack Obama Barack Obama Donald Trump Joe Biden
Actual winner Ronald Reagan George H. W. Bush Bill Clinton Bill Clinton George W. Bush George W. Bush Barack Obama Barack Obama Donald Trump Joe Biden

DesenvolvimentoEditar

Enquanto participava de um jantar no Caltech em 1981, Allan Lichtman conheceu Vladimir Keilis-Borok, um importante geofísico russo. Ambos os homens eram estudiosos da Fairchild na Caltech.[13] Keilis-Borok estava interessado em aplicar suas técnicas de previsão aos sistemas políticos democráticos. Isso não foi possível para ele fazer dentro da União Soviética, que era uma autocracia de partido único, e alguém no partido o encaminhou para Lichtman. Lichtman atraiu o interesse de Keilis-Borok porque ele era um historiador quantitativo que analisou matematicamente as tendências da história americana. Lichtman concordou em ajudar Keilis-Borok a aplicar suas técnicas de previsão às eleições presidenciais americanas.[14]

Lichtman e Keilis-Borok examinaram dados coletados de todas as eleições presidenciais de 1860 a 1980 para identificar fatores que pareciam preditivos de resultados eleitorais. De seus próprios estudos sobre as eleições presidenciais americanas, Lichtman chegou à conclusão de que os eleitores, na verdade, não são muito influenciados pela encenação das campanhas eleitorais e, em vez disso, votam de acordo com o desempenho do presidente em exercício no cargo.

Lichtman e Keilis-Borok publicaram seu modelo de previsão em um artigo de 1981, e neste estágio seu sistema tinha apenas 12 questões.[15] Posteriormente, eles expandiram para 13. Em 1982, Lichtman fez sua previsão para as eleições de 1984.[16]

Conclusões teóricasEditar

Lichtman diz que a lição das 13 chaves é que a governança, e não a campanha, é o que determina quem vencerá as eleições presidenciais. Se os eleitores acharem que o país foi bem governado nos quatro anos anteriores, eles reelegerão o presidente em exercício ou o candidato do partido do titular; caso contrário, eles transferirão as funções da presidência para a oposição. Diante dessa percepção, Lichtman diz que os candidatos deveriam investir menos dinheiro e esforço em suas campanhas eleitorais, uma vez que, na verdade, elas têm pouco efeito no resultado.

ReferênciasEditar

  1. Allan Lichtman made his prediction for 2016 before the Democratic National Convention had nominated Hillary Clinton, and thus listed this key as "undetermined". By that point, six of the other 12 keys on the list were false, meaning Lichtman could predict a Clinton loss in any case. As it transpired, Clinton won 59.67% of the vote at the 2016 Democratic National Convention, well below the two-thirds threshold required to turn this key true.
  2. Ross Perot managed to poll more than 10% in many polls and was able to gain a spot in the 1992 presidential debates.
  3. Ross Perot was still a factor and polled more than 10% in some pollings.
  4. Gary Johnson and Jill Stein, the Libertarian and Green candidates, were both polling more than 10% in some polls.
  5. Reagan enacted major cuts in taxes and social spending.
  6. The Affordable Care Act.
  7. Major tax reforms.
  8. Numerous incidents of unrest, including the 2017 protests in Charlottesville and the 2020 nationwide protests sparked by George Floyd's murder.
  9. Bill Clinton was impeached for lying about his affair with Monica Lewinsky.
  10. Trump was impeached for pressuring the government of Ukraine to investigate Joe Biden, among other scandals.
  11. The 9/11 attacks and mounting US casualties in Iraq.
  12. The unresolved military conflicts in Iraq and Afghanistan.
  13. Detente with the Soviet Union, and a bilateral nuclear disarmament treaty.
  14. Victory in the Gulf War.
  15. The defeat of the Taliban in Afghanistan and Saddam Hussein in Iraq.
  16. The killing of Osama bin Laden.
  17. Obama did not succeed in connecting with the voters the same way he had in 2008.
  1. Lichtman (2020), Predicting the Next President, chpt. 2
  2. Lichtman (2020), Predicting the Next President, chpt. 12: "Trump is a consummate showman who commands media attention but appeals only to a narrow slice of the electorate rather than achieving broad appeal like Ronald Reagan."
  3. Lichtman (2020), Predicting the Next President, chpt. 2, p. 46
  4. a b Allan J. Lichtman (2000). «ELECTION 2000: The Keys Point to Gore». Social Education. 64 (6): 376–377 

    "Thus, on balance, barring a most improbable turn of events, the American people will ratify the record of the current Democratic administration this year and elect Al Gore president of the United States."
  5. Joseph Jaffe, Allan Lichtman (18 de novembro de 2020). The Keys to the White House - Distinguished Professor, Allan Lichtman (YouTube streaming video) 
  6. Lichtman (1990), The Thirteen Keys to the Presidency, p. 6: "When five or fewer keys are false, the incumbent party wins the popular vote"
  7. Allan J. Lichtman (1999). «The Keys to Election 2000». Social Education. 63 (7). 422 páginas 
  8. Lichtman, Featuring Allan. «Video: Opinion | He Predicted Trump's Win in 2016. Now He's Ready to Call 2020.». The New York Times (em inglês). ISSN 0362-4331. Consultado em 15 de fevereiro de 2021 
  9. «The Keys to the White House - Distinguished Professor, Allan Lichtman - YouTube». www.youtube.com. Consultado em 15 de fevereiro de 2021 
  10. In The Thirteen Keys to the Presidency (1990), Lichtman wrote: "When five or fewer keys are false, the incumbent party wins the popular vote". By contrast, in The Keys to the White House (2005), he wrote: "When five or fewer of these propositions are false, or turned against the party holding the White House, that party wins another term in office."
  11. He Predicted a Trump Win in 2016. What's His Forecast For 2020? (streaming video). New York Times. 5 de Agosto de 2020 
  12. «Historian's Prediction: Donald J. Trump to Win 2016 Election». American University 
  13. Moscato & De Vries (2019), p. 53
  14. Kashina (2014), Vladimir Keilis-Borok: A Biography, p. 105
  15. A. J. Lichtman; V. I. Keilis-Borok (Novembro de 1981). «Pattern recognition applied to presidential elections in the United States, 1860-1980: Role of integral social, economic, and political traits». Proceedings of the National Academy of Sciences of the United States of America. 78 (11): 7230–7234. Bibcode:1981PNAS...78.7230L. PMC 349231 . PMID 16593125. doi:10.1073/pnas.78.11.7230  
  16. Allan J. Lichtman. «How to Bet in '84». Washingtonian 

BibliografiaEditar