Atração turística

Uma atração turística é um local de interesse onde os turistas visitam, tipicamente pelo seu valor natural ou cultural inerente ou exposto, significado histórico, beleza natural ou construída, proporcionando lazer e diversão.[2]

Times Square em Midtown Manhattan, Nova York, é o centro do distrito de teatros da Broadway e um centro de mídia. O cruzamento também tem uma das maiores taxas de frequência anual de qualquer atração turística do mundo, estimada em 50 milhões.[1]

ModalidadesEditar

 
As praias tropicais e a cultura balinesa são atrações que atraem turistas a este famoso resort na ilha, como os rituais Melasti realizados na praia.
 
Turistas se familiarizando com a estrutura da cidade velha medieval de Porvoo.

Locais de belezas naturais como praias, resorts em ilhas tropicais, parques nacionais, montanhas, desertos e florestas são exemplos de atrações turísticas tradicionais que as pessoas podem visitar.[3] As atrações turísticas culturais podem incluir locais históricos, monumentos, templos antigos, zoológicos, aquários, museus e galerias de arte, jardins botânicos, edifícios e estruturas (como fortes, castelos, bibliotecas, antigas prisões, arranha-céus, pontes), parques temáticos e carnavais, museus de história viva, arte pública (esculturas, estátuas, murais), comunidades de enclaves étnicos, trens históricos e eventos culturais.[2] Visitas a fábricas, patrimônio industrial, arte criativa e oficinas de artesanato são objeto de nichos culturais como o turismo industrial e o turismo criativo. Mas eventos esportivos como um jogo de futebol, corrida de Fórmula 1 ou regata de vela também podem atrair turistas.[4][5][6]

As expectativas dos turistas ao visitar um determinado local estão relacionadas a várias características do destino escolhido: cultura, arquitetura, gastronomia, infraestrutura, paisagem, eventos, compras, etc. Essas características atraem as pessoas ao destino e contribuem para a experiência geral da viagem.[7] O objetivo principal das atrações é atrair a atenção do cliente para que ele possa ir a um local específico e explorar as várias atrações nas férias. Na indústria de viagens e turismo, as atrações desempenham um papel particularmente importante, pois atrai turistas de todo o mundo.[8][9][10]

 
Desertos como o Saara também são atrações turísticas.

As atrações turísticas também são criadas para capitalizar em lendas, como um suposto local de acidente de OVNIs perto de Roswell, Novo México, e os supostos avistamentos de monstros de Loch Ness na Escócia. Comunidades étnicas podem se tornar atrações turísticas, como Chinatowns nos Estados Unidos e o bairro britânico de Brixton em Londres, Inglaterra. Os turistas também procuram experiências culinárias locais especiais, como cozinhas de rua em metrópoles asiáticas[11] ou a cultura de café na Europa Central. Em particular, os bens culturais e os locais individuais do Patrimônio Mundial da UNESCO se tornou uma atração turística. Se muitos turistas frequentam lugares individuais, isso pode levar à poluição ambiental e à resistência da população local, como em Barcelona ou Veneza. Em relação a todo este assunto, já existem listas de destinos não recomendados aos turistas.[12][13][14][15]

 
Castelo Miramare, Trieste - uma das principais atrações turísticas do norte da Itália, que é visitado principalmente por italianos.

Embora algumas atrações turísticas proporcionem aos visitantes uma experiência memorável por uma taxa de admissão razoável ou mesmo gratuita, outras podem ser de baixa qualidade e superfaturar seus produtos e serviços (como entrada, comida e souvenirs) para lucrar excessivamente com os turistas. Esses lugares são comumente conhecidos como armadilhas para turistas.[16]

ExemplosEditar

Construções famosasEditar

Localidades com belezas naturaisEditar

Atrações culturaisEditar

Destino turísticoEditar

Um destino turístico é uma cidade, vila ou outra área que dependa significativamente das receitas do turismo, ou "um país, estado, região, cidade ou vila que é comercializada ou se autodenomina como um local para os turistas visitarem".[17]

França, Estados Unidos e Espanha foram os três destinos internacionais mais populares em 2017. O número total de viajantes internacionais que chegaram a esses países foi de cerca de 234 milhões,[18] contribuindo com 8,9%, 7,7% e 14,9%, respectivamente, para o PIB total desses países.[19]

Embora alguns anos atrás a África fosse pobre em turismo, o continente é atualmente considerado a segunda região turística de crescimento mais rápido, com mais de 67 milhões de turistas visitando a África em 2018. A Etiópia, com uma taxa de crescimento de 48,6% em 2018, está no topo da a lista de centros turísticos africanos.[20] Outros locais turísticos na África incluem Cidade do Cabo, África do Sul, Necrópole de Gizé, Egito, Reserva Nacional Maasai Mara, Quênia, Cataratas Vitória, Zimbábue e Zâmbia.[21]

Do ponto de vista da oferta da indústria do turismo, um destino é geralmente definido por uma fronteira geopolítica e o marketing do destino é mais comumente financiado por governos. Do ponto de vista do viajante, um destino pode ser percebido de forma bem diferente.[22][23][24]

Impacto econômico e proteçãoEditar

O turismo gera benefícios econômicos substanciais tanto para os países anfitriões quanto para os países de origem dos turistas. Especialmente nos países em desenvolvimento, uma das principais motivações para uma região se promover como destino turístico é o benefício econômico esperado. Segundo a Organização Mundial do Turismo, 698 milhões de pessoas viajaram para o exterior em 2000.[25]

As atrações turísticas podem:

  • contribuir para as receitas do governo; as contribuições diretas são geradas por impostos sobre a renda de empregos e empresas de turismo, e por impostos diretos sobre turistas, como taxas de embarque;
  • fornecer emprego;
  • apoiar a conservação de habitats, espécies e locais históricos;
  • estimular o investimento em infraestrutura;
  • contribuir para as economias locais;
  • fornecer ganhos em moeda estrangeira.

Em caso de guerra, muitas atrações turísticas podem ser danificadas, a fim de causar danos duradouros ao inimigo ou para financiar a guerra. Portanto, tentativas internacionais são feitas para proteger e preservar essas bases econômicas e culturais de uma comunidade, cidade ou país. Há uma cooperação intensa entre as Nações Unidas, a UNESCO e a Blue Shield International[26] na proteção de bens culturais e locais do Patrimônio Mundial da UNESCO. No entanto, a cooperação entre organizações e autoridades estaduais não é suficiente para evitar destruição, roubo e pilhagem. O presidente fundador da Blue Shield International Karl von Habsburg resumiu com as palavras: “Sem a comunidade local e sem os participantes locais, isso seria completamente impossível”.[27][28][29]

Referências

  1. Shields, Ann (10 de novembro de 2014). «The World's 50 Most Visited Tourist Attractions – No. 3: Times Square, New York City – Annual Visitors: 50,000,000». Travel+Leisure. Consultado em 12 de junho de 2015. No. 3 Times Square,...No. 4 (tie) Central Park,...No. 10 Grand Central Terminal, New York City 
  2. a b Suthan, Moony (23 de fevereiro de 2018). Mundo Famoso Turista Destinos: Um Guia de Turismo Mundial Completo E Útil Para Turistas. [S.l.]: Independently Published 
  3. Barretto, Margarita (3 de dezembro de 2014). Manual de iniciação ao estudo do turismo. [S.l.]: Papirus Editora 
  4. Paulo, Do G1 São (8 de novembro de 2014). «Números apontam que F1 eleva receita e impulsiona imagem de SP». São Paulo. Consultado em 1 de outubro de 2021 
  5. «Estádios viram pontos turísticos para torcedores na cidade de São Paulo - Esportes». Estadão. Consultado em 1 de outubro de 2021 
  6. «Crescer - NOTÍCIAS - Fábricas para visitar com os filhos». revistacrescer.globo.com. Consultado em 1 de outubro de 2021 
  7. Universitat Pompeu Fabra - Barcelona "What most attracts us to a tourist destination? Attractions, culture and gastronomy" April 8, 2019.
  8. Burkhard Schnepel, Felix Girke, Eva-Maria Knoll: Kultur all inclusive. Identität, Tradition und Kulturerbe im Zeitalter des Massentourismus. (2013)
  9. Steven Pike, "Destination Marketing Essentials", Oxford, (2016).
  10. Rolf Hochreiter/Ulrich Arndt, Die Tourismusindustrie: Eine Markt- und Wettbewerbsanalayse, (1978), p. 111.
  11. See: Françoise Hauser "Reisen: Singapurs Streetfood ist Weltkulturerbe zum Essen" In: Die Welt, 25.01.2021.
  12. Hannah Ellis-Petersen: Thailand bay made famous by The Beach closed indefinitely. In: The Guardian. 3. Oktober 2018.
  13. Thomas Urban "Barcelona geht gegen den Massentourismus an" In: Sueddeutsche Zeitung, 13.2.2018.
  14. Geoff Whitmore "5 Destinations Suffering From Overtourism (And Where To Go Instead)" In: Forbes, 19.11.2019.
  15. 12 destinations travelers might want to avoid in 2018
  16. «Definition of TOURIST TRAP». www.merriam-webster.com (em inglês). Consultado em 11 de fevereiro de 2021 
  17. Beirman, David (2003). Restoring Tourism Destinations in Crisis: A Strategic Marketing Approach. [S.l.]: CABI Publishing. ISBN 9781865089119. island. 
  18. «10 Most Visited Countries In The World». WorldAtlas (em inglês). 25 de janeiro de 2018. Consultado em 1 de maio de 2018 
  19. «Contribution of travel and tourism to GDP (% of GDP) by countries, 2017 - knoema.com». Knoema (em inglês). Consultado em 1 de maio de 2018 
  20. «Africa's tourism industry is now the second fastest growing in the world». Quartz Africa 
  21. «What are the Main Tourist Attractions in Africa?». Africa Wanderlust 
  22. Pike, Steven; Page, Stephen (2014). «Destination marketing organizations and destination marketing: A narrative analysis of the literature». Tourism Management. 41: 202–207. doi:10.1016/j.tourman.2013.09.009. hdl:2299/20103 
  23. Saraniemi, S; Kylanen, M (2011). «Problemizing the concept of tourist destination: An analysis of different theoretical approaches.». Journal of Travel Research. 50 (2): 133 
  24. Pike, Steven (2016). Destination Marketing Essentials Second ed. Oxford: Routledge. ISBN 978-1-138-91290-8 
  25. «Folha de S.Paulo - Negócios: Turismo mundial cresce 7,4% no ano passado - 31/01/2001». www1.folha.uol.com.br. Consultado em 1 de outubro de 2021 
  26. «Blue Shield International - Protecting cultural heritage». Blue Shield International (em inglês). Consultado em 1 de outubro de 2021 
  27. Action plan to preserve heritage sites during conflict - UNITED NATIONS, 12 Apr 2019
  28. «Austrian Armed Forces Mission in Lebanon» (em alemão) 
  29. Rick Szostak: The Causes of Economic Growth: Interdisciplinary Perspectives. Springer Science & Business Media, 2009, ISBN 9783540922827.
 
O Commons possui uma categoria com imagens e outros ficheiros sobre Atrações turísticas