Abrir menu principal
A piloto francesa Hellé Nice recebe, no Automóvel Clube, um troféu por sua participação no GP de 1936.

O Automóvel Clube do Rio de Janeiro foi uma entidade automobilística do Rio de Janeiro e responsável, dentre outras atividades, pela realização do Grande Prêmio Cidade do Rio de Janeiro.

HistóriaEditar

o Automóvel Clube do Brasil foi fundado no dia 27 de setembro de 1907, tendo sido reconhecido oficialmente pelo governo federal em 1908.[1]

O clube atendia a uma necessidade da elite carioca das primeiras décadas do século XX que, vinda da monarquia e sob forte influência cultural inglesa, procurava criar clubes de sociabilidade onde pudessem exercer a hierarquia social e, no caso específico, fomentar a cultura automobilística como meio de transporte, lazer, esporte e a abertura de autoestradas.[2]

Ganhou grande importância histórica para o Brasil porque foi em sua sede que o então presidente João Goulart proferiu em 30 de março de 1964 um discurso em resposta aos oficiais militares que o criticaram pelo apoio dado à revolta de marinheiros, durante uma homenagem que lhe fora prestada por sargentos das três armas e polícias militares, na comemoração do 40º aniversário da Associação dos Subtenentes e Sargentos da Policia Militar, evento que desencadeou o Golpe Militar que mergulhou o país na ditadura.[3][4]

Após sua extinção a sede, com a fachada preservada, abrigou um hotel e também uma empresa de investimentos.[5] Em 2008 serviu de cenário a filmagens do diretor Luiz Fernando Carvalho.[6]

Referências

  1. Automóvel Clube do Brasil, Equipe do site. «Bem Vindos a página oficial do Automóvel Clube do Brasil.». Consultado em 8 de dezembro de 2018 
  2. Gisele Sanglard (julho de 2010). «Laços de sociabilidade, filantropia e o Hospital do Câncer do Rio de Janeiro». Hist. cienc. saude-Manguinhos vol.17 supl.1 Rio de Janeiro. Consultado em 23 de março de 2016 
  3. Leandro Fortes (23 de setembro de 2012). «O último e tardio "aviso" a Jango». Carta Capital (transcrição). Consultado em 23 de março de 2016 
  4. Institucional (7 de Maio de 2014). «1964: Automóvel Clube». TV Cultura. Consultado em 23 de março de 2016 
  5. Márcio Kroehn. «Meninos do Rio». istoÉ Dinheiro, ed. 648. Consultado em 23 de março de 2016 
  6. Émile Cardoso Andrade, Michelle dos Santos (2014). «A estética educativa de Luiz Fernando Carvalho: a tevê como mediação cultural» (PDF). UEG. Consultado em 23 de março de 2016