Abrir menu principal
Question book-4.svg
Esta página cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde abril de 2017). Ajude a inserir referências. Conteúdo não verificável poderá ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Disambig grey.svg Nota: Para outros significados de Borgia, veja Borgia (desambiguação).
Casa dos Bórgia
Brasão de Armas da Casa dos Bórgia.
País: Flag of Spain.svg Espanha
 Itália
Fundador: Alfonso Bórgia (primeiro membro conhecido)
Ano de fundação: século XIV

Os Bórgia ou Borja foram uma família nobre hispano-italiana que se tornou proeminente durante o Renascimento.

Se tornaram proeminentes nos assuntos eclesiásticos e políticos nos séculos XV e XVI, produzindo três papas, Alfons de Borja, que governou como Papa Calisto III, durante os anos 1455-1458, Rodrigo Lanzol Borgia, como Papa Alexandre VI, durante os anos 1492-1503, e Giovanni Battista Pamphilj (descendente de Rodrigo Bórgia), que governou como Papa Inocêncio X, durante os anos 1644-1655. Especialmente durante o reinado de Alexandre VI, foram acusados de vários crimes, em geral, sobre evidências consideráveis, incluindo nepotismo, adultério, simonia, roubo, estupro, corrupção, incesto e assassinato[1] (especialmente homicídio por envenenamento por arsênico[2]).

Atualmente, são lembrados por seu governo corrupto e o nome se tornou sinônimo de traição e envenenadores; passando para a história como uma família cruel e desejosa de poder.

A chegada de Rodrigo Borgia ao papado levou a família a participar de uma série de intrigas e disputas entre os vários pequenos estados em que a Itália estava dividida na época. Os Sforza, Orsini, Farnese, já foram aliados ou inimigos dos Bórgias. Especula-se que a ideia de Rodrigo poderia ter sido criar um império na terra, estendendo-se dos Estados Pontifícios a grande parte da Itália e passando para os seus direitos de dinastia, tanto sobre os territórios quanto sobre a liderança da Igreja Católica, embora esta hipótese realmente não esteja fundamentada. Os Bórgias passaram para a história graças à sua inteligência para sair de situações que pareciam perdidas. Com a morte de Alexandre VI em 1503 (provavelmente envenenado por quem mais tarde se tornou seu sucessor no trono de Roma), seu filho César (que inspirou o florentino Nicolau Maquiavel a escrever "O Príncipe"), teve de fugir de Roma e faleceu em Viana, Navarra, lutando ao lado de seu cunhado João III de Navarra, rei de Navarra. Por seu lado, Lucrezia Borgia em Ferrara, continuou o trabalho de seu pai como mecena.

Índice

Membros da famíliaEditar

Origem e continuidadeEditar

Na cultura popularEditar

A família Bórgia foi infame em sua época, e sua carreira escabrosa inspirou numerosos romances, peças de teatro, óperas e filmes. As referências aos Borgias na cultura popular são numerosas.[3]

RomancesEditar

Romances AnimadosEditar

Peças de teatroEditar

  • Lucrezia Borgia, por Victor Hugo
  • The Tyrant: An Episode in the Career of Cesare Borgia, a Play in Four Acts (1925), por Raphael Sabatini
  • The Memory of Water, por Shelagh Stephenson

ÓperasEditar

FilmesEditar

JogosEditar

TelevisãoEditar

Ver tambémEditar

Referências

  1. Graziella Beting. «A saga da família Bórgia». História Viva | Duetto Editorial 
  2. Arsenic: A Murderous History. Dartmouth Toxic Metals Research Program, 2009
  3. «De Mario Puzo a Milo Manara, autores contam a história dos Bórgia». Folha de S. Paulo. 4 de março de 2013 
  4. http://www.fullbooks.com/The-Borgias1.html

BibliografiaEditar

Ligações externasEditar

 
O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Bórgia