Abrir menu principal

Wikipédia β

Batalha de Áden (2018)

confronto militar travado entre a organização separatista e o governo iemenita
Batalha de Áden (2018)
Guerra Civil Iemenita
Data 28 de janeiro de 2018 – presente
Local Áden, Iêmen
Desfecho Vitória do CTS
  • Os separatistas do Conselho de Transição do Sul ganham, num ataque repentino, o controle da maior parte de Áden alcançando o Palácio Al-Mashaiq;[1]
  • Três dias depois, os separatistas proclamam vitória sobre as tropas de Hadi;[2]
Beligerantes
Iémen Forças Armadas do Iêmen (Governo Hadi) Apoiado por:
 Arábia Saudita
Conselho de Transição do Sul (CTS) Apoiado por:
 Emirados Árabes Unidos[8]
Comandantes
Iémen Abdrabbuh Mansur Hadi
Iémen Ahmed Obeid bin Daghr
Iémen Ali Mohsen al-Ahmar
Aidarus al-Zoubaidi[9]
Hani bin Braik
   

A Batalha de Áden foi um confronto militar travado entre a organização separatista Conselho de Transição do Sul e o governo iemenita do presidente Abd Rabbuh Mansur Al-Hadi, apoiado pela coalizão árabe, na cidade de Áden.[10] Várias pessoas morreram, milhares deixaram suas casas e pelo menos 40 000 civis foram presos na cidade sem ajuda, em condição precária.[11]

Índice

AntecedentesEditar

No Iêmen, os separatistas reivindicam a independência da região sul, que foi um Estado independente até 1990 conhecido como Iêmen do Sul, com sua capital em Áden.[12][13][14] Após a sua incorporação na República Árabe do Iêmen, houve duas grandes tentativas de separação, a Guerra Civil do Iêmen de 1994 [15] e a insurgência no sul do Iêmen (2009-2015).

O Conselho de Transição do Sul foi criado em maio de 2017 após o governador de Áden, Aidarus al-Zoubaidi, ser destituído de seu cargo em 27 de abril de 2017 pelo presidente iemenita Abdrabbuh Mansur Hadi.[16][17][18]

A Assembleia Nacional do Sul, composta por 303 membros de todas as províncias do sul, realizou sua primeira sessão parlamentar em Áden em 26 de dezembro de 2017.[19]

Em meio a tensões entre o Conselho de Transição do Sul (CTS), apoiado pelos Emirados Árabes Unidos, e o governo Hadi, apoiado pela Arábia Saudita, o Conselho de Transição do Sul anunciou em 21 de janeiro de 2018 que derrubaria o governo iemenita dentro de uma semana, a menos que o presidente Hadi demitisse todo seu gabinete, incluindo o primeiro-ministro Ahmed Obeid bin Daghr por corrupção.[20][21] O Conselho de Transição do Sul também declarou estado de emergência até que suas demandas fossem atendidas.[22] O governo respondeu proibindo protestos em Áden, porém o Conselho de Transição do Sul organizou uma manifestação anti-governo para 28 de janeiro de 2018.[23]

BatalhaEditar

Na manhã de 28 de janeiro, após a expiração do ultimato, uma manifestação pedindo a demissão do governo eclodiu em Áden.[24] O governo responde tentando dispersá-la.[24]

Rapidamente, os separatistas tomaram o controle da sede do governo.[25] Em resposta, o primeiro-ministro Ahmed bin Dagher denuncia um "golpe de força" e convida a coalizão árabe a intervir para acabar com o conflito.[26] No entanto, os soldados emiradenses e sauditas não tomam parte nos combates.[26]

À tarde, os combates prosseguem com a ajuda de artilharia pesada, que são usadas pelos dois beligerantes.[27] Os combates ocorrem principalmente no distrito de Crater, nas proximidades do palácio presidencial,[28] bem como em Khor Maksar,[28] onde os separatistas conseguem tomar o controle de uma base militar.

Em 29 de janeiro, os combates continuaram com a mesma intensidade, com o uso de tanques, embora os separatistas enviassem reforços de Abyan e Ma'rib.

Na noite de 29 de janeiro, os separatistas sitiam o palácio presidencial al-Maachiq, no qual o governo encontra-se entrincheirado[29] e, em seguida, assume o controle da entrada principal.[30]

Na manhã de 30 de janeiro, as forças leais ao Conselho de Transição do Sul controlam praticamente toda a cidade.[31][29] O presidente Hadi e os integrantes do seu governo foram cercados no palácio presidencial e os rebeldes do CTS declararam ele sob "de facto prisão domiciliar".[32] Logo em seguida, eles tomaram o distrito de Dar Sad.[33]

Na virada do dia 31 de janeiro, foi reportado por residentes da cidade que Adén já estaria completamente sob controle das forças separatistas do Conselho de Transição do Sul.[34] No mesmo dia, a vila do primeiro-ministro foi tomada.[35] Combates não teriam sido mais reportados depois disso.

Com os combates principais terminados, o governo iemenita e o CTS iniciaram uma troca de prisioneiros.[36]

Ver tambémEditar

Referências

  1. «UAE jet enables separatists to seize army base in Aden». www.aljazeera.com 
  2. pengying (31 de janeiro de 2018). «Separatist southern forces seize Yemen's Aden from Saudi-backed gov't». Xinhua News Agency 
  3. «Aden clashes subside after coalition calls for calm». The National. 28 de Janeiro de 2018 
  4. «At least 14 killed in Yemen suicide attack as PM reportedly prepares to flee Aden». SBS News. 28 de Janeiro de 2018 
  5. «Yemen's Southern Movement: President Has Very Limited Influence – Analyst». Sputnik. 29 de Janeiro de 2018 
  6. «Istana Kepresidenan Dikepung Pasukan Separatis, PM Yaman Bersiap Angkat Kaki». okezone.com. 30 de Janeiro de 2018 
  7. Osama bin Javaid (30 de Janeiro de 2018). «Yemen: UAE-backed separatists 'take control' of Aden». Al Jazeera 
  8. Osama bin Javaid (28 de Janeiro de 2018). «Yemen: Separatists take over government headquarters in Aden». Al Jazeera 
  9. «Emirati-backed South Yemen separatists allegedly clash with Saudis in Aden». AMN. 28 de Janeiro de 2018 
  10. «Yémen: les séparatistes sudistes, à la recherche de l'indépendance perdue». Le Point. 28 de Janeiro de 2018 
  11. «40,000 displaced Yemenis stranded without aid in Aden: UN». MailOnline. 31 de janeiro de 2018. Consultado em 31 de janeiro de 2018 
  12. «Jemen: Separatisten erobern Regierungssitz in Aden». Focus. 28 de Janeiro de 2018 
  13. «Separatisten attackieren Sitz der Regierung in Aden». DLF24. 28 de Janeiro de 2018 
  14. «Yémen : combats autour du siège du gouvernement à Aden». Le Point. 28 de Janeiro de 2018 
  15. «Separatisten sind in Jemen auf dem Vormarsch». NZZ. 28 de Janeiro de 2018 
  16. «Südjemen: Separatisten in Aden besetzen mehrere Staatseinrichtungen – Medien». Sputnik. 28 de Janeiro de 2018 
  17. «Separatisten erobern Sitz der jemenitischen Regierung in Aden». TAH. 28 de Janeiro de 2018 
  18. «Separatisten kämpfen um Regierungssitz in Aden». Welt. 28 de Janeiro de 2018 
  19. «Southern National Assembly holds first session in Aden». MEMO. 23 de dezembro de 2017 
  20. «UAE-backed group vows to 'overthrow' Yemen's government». Al Jazeera. 22 de Janeiro de 2018 
  21. «Kämpfe um Regierungssitz im Jemen». Tagesschau. 28 de Janeiro de 2018 
  22. «Yemen: Extremely complex crisis». Al-Ahram. 26 de janeiro de 2018 
  23. «Yemen government bans protests in Aden ahead of separatist deadline». Reuters. 27 de janeiro de 2018 
  24. a b «Yémen: des séparatistes prennent le contrôle du siège du gouvernement à Aden - Moyen-Orient - RFI». RFI 
  25. «Yémen : des séparatistes s'emparent du siège du gouvernement à Aden». Europe 1 
  26. a b Le Point, magazine. «Yémen : combats autour du siège du gouvernement à Aden». Le Point 
  27. «Le Premier ministre du Yémen dénonce un "coup de force" des séparatistes». France 24 
  28. a b Louis Imbert (29 de janeiro de 2018). «Coup de force des séparatistes sudistes contre le gouvernement yéménite à Aden». Le Monde 
  29. a b «Yémen : les forces séparatistes prennent le contrôle d'Aden». L'Orient-Le Jour 
  30. «Yémen : des combattants séparatistes encerclent le palais présidentiel à Aden». L'Orient-Le Jour 
  31. «Separatistas no Iêmen controlam quase toda a segunda maior cidade do país após 3 dias de combates». G1 
  32. «Separatistische Rebellen in Aden umstellen Palast von Jemens Präsident». Der Standard. 30 de janeiro de 2018 
  33. «Yemen separatists capture Aden, government confined to palace». Menafn.com. 30 de janeiro de 2018 
  34. «Yemen separatists capture most of Aden, residents say». BBC. 31 de janeiro de 2018 
  35. «Des forces séparatistes se déploient dans la deuxième ville du Yémen». Libération. 31 de janeiro de 2018 
  36. «Yemen government, 'Southern Council' swap captives in Aden». Menafn.Com. 31 de janeiro de 2018. Consultado em 10 de fevereiro de 2018