Batalha de B-R5RB

Batalha de B-R5RB
Halloween War
Battle b-r5rb.jpg
Imagem da batalha no jogo
Data 27-28 de janeiro de 2014 (YC 116)
Local Universo virtual de EVE Online (centralizada no sistema B-R5RB, com batalhas e conflitos menores nos arredores)
Desfecho Vitória da CFC e alianças Russas
Beligerantes
Clusterfuck Coalition (CFC)[1]
  • Goonswarm Federation
  • RAZOR Alliance
  • Fidelas Constans
  • Gentlemen's Agreement
  • Fatal Ascension
  • Spacemonkey's Alliance
  • outros

Halloween Coalition[2]

  • Solar Fleet
  • Black Legion
  • Against ALL Authorities
  • Darkness of Despair
  • outros
N3/Pandemic Legion
  • Northern Coalition
  • Nulli Secunda
  • Fraternity.
  • Pandemic Legion
  • Kadeshi
  • Echoes Of Nowhere
  • outros
Comandantes
Lazarus Telraven

The Mittani
Sort Dragon
Mister Vee
Vily
Elo Knight
Wrik Hoover

outros
Manfred Sideous

Vince Draken
Grath Telkin
Elise Randolph
Makalu Zarya
Travis Musgrat

outros
Forças
~3670 naves capitais
~143 Titans
~273 Supercarriers
~817 Dreadnoughts
~233 Carriers
milhares de naves sub-capitais
~1616 naves capitais
~72 Titans
~172 Supercarriers
~355 Dreadnoughts
~414 Carriers
milhares de naves sub-capitais[3]
Baixas
16 Titans
2 Supercarriers
106 Dreadnoughts
5 Carriers
~1900 naves sub-capitais
59 Titans
12 Supercarriers
259 Dreadnoughts
112 Carriers
~1250 naves sub-capitais[4]
O total de forças envolveu 7.548 participantes. Perdas no jogo refletiram um valor de moeda real estimado em $300.000-330.000 dólares

A Batalha de B-R5RB (também chamada de Banho de Sangue de B-R5RB) foi uma batalha virtual de grande escala ocorrida no MMORPG de simulação espacial EVE Online em janeiro de 2014 (YC 116 no jogo), na época considerada possivelmente a maior batalha jogador contra jogador na história dos jogos eletrônicos. O conflito durou 21 horas e lançou a Clusterfuck Coalition e alianças Russas (CFC/Rus) contra a N3 e Pandemic Legion (N3/PL) e envolveu mais de 7.548 personagens, com um máximo de 2.670 jogadores no sistema B-R5RB ao mesmo tempo. As perdas totalizaram 11 trilhões de ISK (Interstellar Kredit, moeda interna do jogo), o equivalente ao valor teórico estimado no mundo real de $300.000 a $330.000 dólares, derivado a partir do valor real de um item do jogo que pode ser trocado pela moeda virtual.

Parte de um conflito mais duradouro, chamado de Halloween War ("Guerra do Dia das Bruxas"), a batalha iniciou após um único jogador que controlava uma estação espacial da N3/PL no sistema estelar B-R5RB ter acidentalmente falhado em realizar um pagamento programado de manutenção do jogo, o que fez o sistema estelar ficar aberto para ser capturado. Sendo uma área de preparação importante da N3/PL na guerra, a CFC e as alianças Russas começaram a enviar jogadores para o sistema em uma rápida ofensiva, enquanto a N3/PL moveu uma grande frota de defesa em resposta. Uma batalha massiva se iniciou no sistema, e vários outros pequenos conflitos ocorreram ao redor do universo do jogo, enquanto jogadores tentavam bloquear reforços de entrarem na batalha. A aliança CFC/Rus venceu ao infligir grandes perdas às frotas da N3/PL e capturar com sucesso o sistema B-R5RB. As perdas totais incluíram 576 naves capitais, sendo 75 Titans (as maiores naves disponíveis para os jogadores), além de milhares de naves menores.

Para comemorar a magnitute e o custo da batalha, os criadores do jogo, CCP Games, adicionaram um monumento permanente chamado The Titanomachy ("A Titanomaquia") ao sistema B-R5RB, consistindo de vários destroços de naves capitais.

AmbientaçãoEditar

EVE Online é um MMORPG de simulação espacial no qual os jogadores podem realizar diversas atividades, incluindo mineração, comércio, exploração, e combate. Jogadores podem formar corporações, as quais podem se juntar para formar alianças entre si. Muitas destas alianças criam coalisões informais para trabalhar em objetivos comuns e batalhar contra alianças adversárias. Apesar da prevalência de coalisões, não há uma mecânica formal no jogo para essas "super-alianças". A Halloween War ("Guerra do Dia das Bruxas") foi um conflito no universo virtual do jogo que iniciou por volta do Halloween, em outubro de 2013, e teve as coalisões CFC, alianças Russas, e aliados, contra as coalisões N3, Pandemic Legion, e aliados.[4][5][6]

B-R5RB servia como uma área de preparação para todas as frotas da Pandemic Legion.[4][6] Alguns dias antes da batalha de B-R5RB, a CFC e as alianças Russas sofreram uma grande perda contra as forças da N3/PL, devido à formação estratégica da N3/PL que consistia de muitas naves super-capitais, Titans e Supercarriers, no centro de uma esfera composta por centenas de outras naves.[4][7]

BatalhaEditar

Início do conflitoEditar

Em 27 de janeiro de 2014 (YC 116 no jogo), o aniversário de um ano da imensa Batalha de Asakai, uma corporação que fazia parte da coalisão N3/PL acidentalmente falhou em realizar um pagamento programado para a força de segurança do jogo. O jogador responsável afirmou que a falha ocorreu devido a um bug, visto que possuía dinheiro suficiente e estava com a opção de pagamento automático ativada.[8] Esta falha de pagamento fez com que o sistema estelar B-R5RB perdesse seu status de soberania, permitindo que outros jogadores pudessem capturá-lo sem precisar esperar pelo "tempo de reforço", um período em tempo real de vários dias que permite que os defensores possam juntar reforços e preparar uma defesa.[4][5][9]

Um batedor inimigo descobriu a tentativa de retomada de controle da região, que estava sendo feito de maneira escondida.[10] Por volta das 14:00 UTC, com uma hora restando para finalizar a retomada do sistema, a coalisão CFC/Rus enviou uma frota de naves capitais para a estação, eliminando a presença da N3/PL, e iniciando sua própria tentativa de estabelecer controle.[8][10] A captura do sistema B-R5RB seria importante porque permitiria que a coalisão CFC/Rus pudesse prender ativos da Pandemic Legion, incluindo centenas de naves capitais e sub-capitais, previnindo que elas participassem da guerra. As forças da CFC/Rus lutaram para ganhar controle do sistema, com milhares de jogadores entrando no jogo para preparar suas frotas.[4]

Batalha pelo B-R5RBEditar

N3/PL iniciou movimentações para retomada do sistema, mas as alianças Russas destruíram todas as unidades de controle territoriais presentes no sistema inteiro.[4] N3/PL então enviou sua frota de carriers e supercarriers para as proximidades da estação na sua conhecida formação de esfera, que anteriormente havia derrotado a coalisão CFC/Rus.[4][7] Como o conflito ocorreu de maneira inesperada em uma segunda-feira, CFC/Rus decidiu aproveitar a oportunidade de ganhar superioridade no campo antes da N3/PL poder responder, aplicando toda a sua frota capital no sistema e, ao mesmo tempo, aplicando suas frotas sub-capitais nos sistemas de preparação da N3, para atrasar os reforços.[4][11]

A batalha começou a tender para o lado da N3/PL quando o comandante da frota conseguiu concentrar o dano e destruir várias naves Titans da CFC/Rus, fazendo também outras saírem da batalha devido a esgotarem suas defesas.[4] Entretanto, o comandante da N3/PL tomou a decisão de tentar focar e destruir a nave Titan do comandante de todas as forças Russas em campo.[4] Esta nave, em particular, possuía alta resistência aos danos, somado à uma frota inteira dando-lhe assistência com reparos, o que prolongou sua duração na batalha por tempo suficiente para que cinco Titans da N3/PL fossem destruídas.[4] Um dos membros da N3/PL reportou para a Associated Press que "a CFC parece estar vencendo, mas esperamos conseguir virar o jogo quando todos os nossos jogadores dos Estados Unidos conseguirem ficar online".[12] Mas quando os jogadores americanos finalmente entraram no jogo, a Pandemic Legion não tinha os números que esperavam, e a CFC bloqueou sistemas adjacentes para previnir que eles participassem da batalha principal.[10] Eventualmente, a N3/PL não teve mais poder de fogo para destruir nenhuma outra Titan adversária, e a ordem de retirada foi efetuada.[10] Durante a fuga, focaram o fogo em múltiplas naves Dreadnoughts da CFC/Rus, esperando poder causar o máximo de dano possível.[11] Devido à sua rede de espiões, a CFC sabia que a N3/PL havia ordenado a fuga, e aplicou frotas para impedir e atrasar a retirada.[11] A N3/PL perdeu ainda mais Titans, Super Carriers, e naves capitais durante a extração, com muitas ficando presas por habilidades de ruptura de dobra espacial.[4] A batalha acabou definitivamente quando o universo de EVE ficou offline para sua manutenção diária, às 11:00 UTC de 28 de janeiro, desconectando todos os jogadores.[4]

ImpactoEditar

Mais de 7.548 personagens únicos participaram da batalha como um todo, dos quais 6.058 participaram diretamente no sistema B-R5RB, com um máximo de 2.670 no sistema ao mesmo tempo.[4][5] Estes números incluem 717 corporações e 55 alianças.[4] Joystiq chamou a batalha de potencialmente a maior luta PvP já registrada até então em todos os jogos eletrônicos.[13] O conflito de 21 horas resultou na perda de 75 Titans (sendo 59 da N3/PL e 16 da CFC),[4][14] 13 Supercarriers, 370 Dreadnoughts, e 123 Carrriers, junto de milhares de outras naves menores e inúmeros drones.[15]

Um valor aproximado de 11 trilhões de ISK foram perdidos durante a batalha, e publicações da mídia reportaram o conflito como o maior e mais caro na história do EVE Online, estimando um custo entre $300.000 e $330.000 dólares em valor real.[6][7][16] A estimativa vem de um valor listado no relatório oficial da CCP Games, e se baseou na conversão teórica das licenças de piloto virtuais através do seu respectivo valor em dólar.[4] Apesar da conversão direta da moeda virtual ISK em moeda real ser estritamente proibida e as licenças virtuais estarem disponíveis dentro do jogo, elas também podem ser compradas por $20 dólares, sendo este o valor usado como base para a estimativa das perdas da batalha.[17] Entretanto, isso não significa que esta quantidade de valor real foi perdido, já que muitas naves foram compradas através de recursos obtidos no próprio jogo.[18] Um economista contratado pela CCP Games para analisar a economia de EVE Online afirmou que "como um economista, isto não importa. Em ambos os casos isso é um valor econômico que é criado pelo trabalho dos jogadores, seja por esforços na vida real ou virtual. Eles dão seu sangue, suor e lágrimas para construir essas coisas e ter vantagens em uma batalha, porque nesta batalha, assim como em toda batalha no mundo real, é o recurso que você tem disponível."[18]

Próximo do fim da batalha, o CEO da maior corporação membro da CFC[19][20] reportou para o Polygon que "como vingança pela batalha de Asakai, foi de certa maneira irônico; nossas forças perderam três Titans e sete supercarriers no ano passado em Asakai, além de perdermos a batalha. Este ano, destruímos mais de 40 Titans adversárias e ainda temos mais sete horas de destruição pela frente".[6] Ainda próximo do fim, no site devotado ao EVE Online TheMittani.com, foi afirmado que "naves destruídas aqui decidirão não apenas esta guerra, mas a próxima também, e a seguinte depois dela", reiterando também algumas das repercussões econômicas da batalha, incluindo o aumento do preço de um dos material do jogo como consequência e o seu impacto sobre a produção industrial.[10]

Após a batalha, a Pandemic Legion recuou da região, formando um acordo com a CFC que permitiu evacuar bilhões de seus recursos presos no sistema B-R5RB.[21] Outras forças da N3 também recuaram, e poucos dias depois as alianças da CFC já haviam capturado outros 23 sistemas na região.[22] No longo prazo, a batalha pelo B-R5RB estabeleceu a CFC, posteriormente renomeada como "The Imperium", como uma superpotência no EVE Online, com pouca resistência desafiando-a pelos dois anos seguintes.[23]

Por causa da atenção dada pela mídia à batalha, assim como ocorreu com Asakai, ela inspirou milhares de pessoas a entrar no jogo, com as assinaturas de novos jogadores aumentando em 10% nos 30 dias seguintes (apesar da maioria parar de jogar após cerca de um mês), o equivalente a uma receita adicional de $50.000 dólares para a CCP Games.[24]

EscalaEditar

O número total de jogadores no sistema B-R5RB alcançou o máximo de 2.670, menor do que o maior conflito anterior no EVE, que ocorreu no sistema 6VDT-H e alcançou 4.070 jogadores na batalha principal.[25] Entretanto, B-R5RB teve mais batalhas secundárias em regiões adjacentes ocorrendo em paralelo, envolvendo mais jogadores no total geral.[4][5] Posteriormente, ela foi superada em quantidade de jogadores pela batalha no sistema 9-4RP2, que alcançou mais de 6.000 personagens em um único sistema e muitos outros em batalhas adjacentes.[26] Entretanto, devido a problemas técnicos na batalha de 9-4RP2, a batalha de B-R5RB continua sendo o maior conflito do EVE Online em termos de recursos destruídos.[26]

ComemoraçãoEditar

Após o jogo entrar em manutenção, a desenvolvedora CCP Games anunciou que iria criar um monumento permanente no sistema estelar B-R5RB para comemorar a batalha. Titanomachy foi criado usando novos modelos de naves Titans destruídas, que foram lançados após a batalha.[4][15] O nome referencia tanto a classe de naves Titan usada no jogo, quanto os Titãs da mitologia Grega e os deuses do Olimpo.[27] A CCP Games anunciou na página oficial de EVE Online que estava planejando instalar o monumento durante a manutenção de 31 de janeiro, e que estavam "trabalhando duro para distribuir os destroços em um arranjo assustadoramente bonito".[4]

Ver tambémEditar

Referências

  1. Moore, Bo (8 de fevereiro de 2014). «Inside the Epic Online Space Battle That Cost Gamers $300,000» (em inglês). Wired. Consultado em 8 de fevereiro de 2014 
  2. Raimo, Tarek (6 de janeiro de 2015). «The Grand Chessboard 2014» (em inglês). Crossing Zebras. Consultado em 22 de novembro de 2016 
  3. «Solar Fleet Killboard» (em inglês). 28 de janeiro de 2014. Consultado em 5 de fevereiro de 2014. Arquivado do original em 21 de setembro de 2018 
  4. a b c d e f g h i j k l m n o p q r s t u CCP Dolan (1 de fevereiro de 2014). «The Bloodbath of B-R5RB, Gaming's Most Destructive Battle Ever». Eve Online.com (em inglês). CCP Games. Consultado em 3 de fevereiro de 2014 
  5. a b c d Pitcher, Jenna (30 de janeiro de 2014). «Eve Online's Bloodbath of B-R5RB cost up to $330,000». Polygon (em inglês). Vox Media. Consultado em 3 de fevereiro de 2014 
  6. a b c d Pitcher, Jenna (28 de janeiro de 2014). «Eve Online wages largest war in its 10 year history». Polygon (em inglês). Vox Media. Consultado em 3 de fevereiro de 2014 
  7. a b c Savage, Phil (28 de janeiro de 2014). «EVE Online's biggest ever battle: trillions of ISK in damages and over 70 titans lost». PC Gamer (em inglês). Future plc. Consultado em 7 de abril de 2016 
  8. a b The Mittani (27 de janeiro de 2014). «Sov Drops in B-R5 Immensea Staging System» (em inglês). TheMittani.com. Consultado em 3 de fevereiro de 2014. Arquivado do original em 3 de fevereiro de 2014 
  9. O'Neil, Ian (31 de janeiro de 2014). «Most Destructive Space Battle Rocks Virtual Universe». Discovery News (em inglês). Discovery Communications. Consultado em 3 de fevereiro de 2014 
  10. a b c d e Aras, Ali (28 de janeiro de 2014). «B-R5RB: The Biggest Battle in All Of EVE» (em inglês). TheMittani.com. Consultado em 3 de fevereiro de 2014. Arquivado do original em 3 de fevereiro de 2014 
  11. a b c Alizabeth (29 de janeiro de 2014). «The Largest Virtual Battle Ever» (em inglês). TheMittani.com. Consultado em 4 de fevereiro de 2014. Arquivado do original em 8 de março de 2016 
  12. Lang, Derrik J (29 de janeiro de 2014). «Huge online battle destroys $600k of ships». Stuff.co.nz (em inglês). Fairfax New Zealand. Consultado em 3 de fevereiro de 2014 
  13. Drain, Brendan (2 de fevereiro de 2014). «EVE Evolved: The Bloodbath of B-R5RB». Joystiq (em inglês). AOL. Consultado em 7 de fevereiro de 2014. Arquivado do original em 19 de janeiro de 2019 
  14. Savage, Phil (7 de abril de 2016). «CCP issue final battle report on EVE Online's most destructive battle». PC Gamer (em inglês). Future plc. Consultado em 3 de fevereiro de 2014 
  15. a b Stieber, Zachary (31 de janeiro de 2014). «EVE Online: The Final Tally of the Bloodbath Battle B-R5RB (+Commemoration Details)». The Epoch Times (em inglês). The Epoch Times. Consultado em 3 de fevereiro de 2014 
  16. McCormick, Rich (29 de janeiro de 2014). «Spaceships worth more than $200,000 destroyed in biggest virtual space battle ever». The Verge (em inglês). Vox Media. Consultado em 8 de fevereiro de 2014 
  17. Taborek, Travis (5 de fevereiro de 2014). «The Greatest Battle That Never Was: 'EVE Online' War Most Expensive in History». The Bottom Line (em inglês). Associated Students of the University of California, Santa Barbara. Consultado em 8 de fevereiro de 2014 
  18. a b Kuchera, Ben (12 de fevereiro de 2014). «The true cost of Eve Online's massive space battles can't be measured in cash alone». Polygon (em inglês). Vox Media. Consultado em 12 de fevereiro de 2014 
  19. «Goonswarm Federation Alliances». dotlan (em inglês). Consultado em 4 de agosto de 2014 
  20. «EVE Nullsec Powerblocks». EVE Dingo (em inglês). Consultado em 4 de agosto de 2014. Arquivado do original em 8 de fevereiro de 2014 
  21. The Mittani (30 de janeiro de 2014). «Pandemic Legion To Withdraw From South» (em inglês). TheMittani.com. Consultado em 4 de fevereiro de 2014. Arquivado do original em 4 de fevereiro de 2014 
  22. Flatterpillo (4 de fevereiro de 2014). «Nullsec Update: Week of January 27th» (em inglês). TheMittani.com. Consultado em 8 de fevereiro de 2014. Arquivado do original em 8 de fevereiro de 2014 
  23. Prescott, Shaun (28 de março de 2016). «EVE Online is apparently hurtling towards another massive war». PC Gamer (em inglês). Future plc. Consultado em 30 de março de 2016 
  24. Milik, Oskar (2016). «The Digital Grind: Time and Labor as Resources of War in EVE Online». In: Carter, Marcus; Bergstrom, Kelly; Woodford, Darryl. Internet Spaceships Are Serious Business: An EVE Online Reader (em inglês). Minneapolis: University of Minnesota Press. 114 páginas. ISBN 978-1-4529-5029-7 
  25. CCP Logibro (30 de julho de 2013). «Battle for 6VDT-H - summary and numbers». Eve Online.com (em inglês). CCP Games. Consultado em 25 de julho de 2018 
  26. a b Steven Messner (25 de janeiro de 2018). «Why Eve Onlines million dollar battle was a huge bust». PC Gamer (em inglês). Future plc. Consultado em 25 de julho de 2018 
  27. Fandino, Daniel (2018). «Remembering Fictional History and Virtual War in EVE Online». In: McDaniel, Kathryn N. Virtual Dark Tourism: Ghost Roads. Col: Palgrave Studies in Cultural Heritage and Conflict (em inglês). Cham, Switzerland: Palgrave MacMillan. pp. 294–295. ISBN 978-3-319-74687-6