Abrir menu principal

Bernardo José Bueno Miele

Bernardo José Bueno Miele
Nascimento 10 de setembro de 1923
São Bernardo do Campo
Morte 22 de dezembro de 1981
Ribeirão Preto
Progenitores Mãe: Maria Bueno Miele
Pai: Atílio Manoel Miele
Ocupação
  • Teólogo
  • Bispo

Bernardo José Bueno Miele (São Bernardo do Campo, 10 de setembro de 1923 - Ribeirão Preto, 22 de dezembro de 1981) foi um bispo auxiliar e então arcebispo da Arquidiocese de Ribeirão Preto entre os anos 1972 e 1981.

VidaEditar

Bernardo nasceu em São Bernardo do Campo, na Grande São Paulo, em 10 de setembro de 1923, filho de Atílio Manoel Miele e Maria Bueno Miele. Cursou o primário na Escola Dom Bosco de São Bernardo do Campo e o ginásio no Colégio Arquidiocesano dos Irmãos Maristas, no distrito de Vila Mariana, em São Paulo. Em 1945, aos 22 anos, quando concluiu o segundo ano de engenharia na Escola Politécnica da Universidade de São Paulo, abraçou a vida eclesiástica e entrou no Seminário Central de São Paulo. Em 1947, foi para Roma, onde cursou teologia da Faculdade de Teologia da Universidade Gregoriana e se licenciou em 1951.[1]

Foi feito sacerdote em 8 de dezembro de 1950 pelo cardeal Aloísio Masella na Igreja do Santíssimo Nome de Jesus. Em 1953, licenciou-se em direito canônico na Universidade Gregoriana e regressou ao Brasil. O cardeal Carlos Camelo de Vasconcellos Motta nomeou-o professor e diretor espiritual do Seminário Central de São Paulo, oficial do Tribunal Eclesiástico e assistente da Junta Arquidiocesana de Ação Católica. Em 1961, foi reitor do Seminário Central de Filosofia de Aparecida e regente das cadeiras de filosofia moral e teologia. Em 22 de novembro de 1962 foi eleito bispo titular de Bararo e auxiliar da Arquidiocese de Campinas. Sua ordenação episcopal ocorreu sob o arcebispo Paulo de Tarso Campos na Catedral de Campinas em 10 de fevereiro de 1963. Sob orientação de Paulo, dedicou-se ao acompanhamento das atividades pastorais da arquidiocese. Dada a saúde fragilizada do arcebispo, fez visitas pastorais, promoveu encontros e planejamento com o Secretariado de Coordenação, dinamizou as regiões pastorais informalmente encontrou clérigos e leigos. Incentivou então a renovação litúrgica, oferecendo subsídios, orientando párocos pessoalmente e dando apoio à equipe que iniciou a obra.[1]

Em 25 de janeiro de 1967, papa Paulo VI (1963–1978) nomeou-o arcebispo titular de Upema e coadjutor com direito a sucessão do arcebispo Felício César da Cunha Vasconcelos, na Arquidiocese de Ribeirão Preto, onde tomou posse em 3 de abril de 1967. Com o falecimento de Felício em 11 de julho de 1972, assumiu a arquidiocese. Em dezembro de 1980, submetido a exames médicos, iniciou uma série de tratamentos até falecer em 22 de dezembro de 1981 às 22h30, no Hospital Stella Maris, em Guarulhos. Estava em viagem de repouso até a cidade de Aparecida do Norte, onde passaria o Natal. A caminho, visitou o bispo João Bergese em Guarulhos, quando foi acometido de mal súbito e imediatamente internado. Seu sepultamento ocorreu em 23 de dezembro, às 10h00, na Catedral de Ribeirão Preto, após missa presidida pelo cardeal Paulo Evaristo Arns, com a participação de 19 Bispos e mais de 100 padres e diáconos.[1]

Referências

BibliografiaEditar