Abrir menu principal
Bernardo José Bueno Miele
Nascimento 10 de setembro de 1923
São Bernardo do Campo
Morte 22 de dezembro de 1981
Ribeirão Preto
Progenitores Mãe: Maria Bueno Miele
Pai: Atílio Manoel Miele
Ocupação
  • Teólogo
  • Bispo

Bernardo José Bueno Miele (São Bernardo do Campo, 10 de setembro de 1923 - Ribeirão Preto, 22 de dezembro de 1981) foi um bispo auxiliar e então arcebispo da Arquidiocese de Ribeirão Preto entre os anos 1972 e 1981.

VidaEditar

Bernardo nasceu em São Bernardo do Campo, na Grande São Paulo, em 10 de setembro de 1923, filho de Atílio Manoel Miele e Maria Bueno Miele. Cursou o primário na Escola Dom Bosco de São Bernardo do Campo e o ginásio no Colégio Arquidiocesano dos Irmãos Maristas, no distrito de Vila Mariana, em São Paulo. Em 1945, aos 22 anos, quando concluiu o segundo ano de engenharia na Escola Politécnica da Universidade de São Paulo, abraçou a vida eclesiástica e entrou no Seminário Central de São Paulo. Em 1947, foi para Roma, onde cursou teologia da Faculdade de Teologia da Universidade Gregoriana e se licenciou em 1951.[1]

Foi feito sacerdote em 8 de dezembro de 1950 pelo cardeal Aloísio Masella na Igreja do Santíssimo Nome de Jesus. Em 1953, licenciou-se em direito canônico na Universidade Gregoriana e regressou ao Brasil. O cardeal Carlos Camelo de Vasconcellos Motta nomeou-o professor e diretor espiritual do Seminário Central de São Paulo, oficial do Tribunal Eclesiástico e assistente da Junta Arquidiocesana de Ação Católica. Em 1961, foi reitor do Seminário Central de Filosofia de Aparecida e regente das cadeiras de filosofia moral e teologia. Em 22 de novembro de 1962 foi eleito bispo titular de Bararo e auxiliar da Arquidiocese de Campinas. Sua ordenação episcopal ocorreu sob o arcebispo Paulo de Tarso Campos na Catedral de Campinas em 10 de fevereiro de 1963. Sob orientação de Paulo, dedicou-se ao acompanhamento das atividades pastorais da arquidiocese. Dada a saúde fragilizada do arcebispo, fez visitas pastorais, promoveu encontros e planejamento com o Secretariado de Coordenação, dinamizou as regiões pastorais informalmente encontrou clérigos e leigos. Incentivou então a renovação litúrgica, oferecendo subsídios, orientando párocos pessoalmente e dando apoio à equipe que iniciou a obra.[1]

Em 25 de janeiro de 1967, papa Paulo VI (1963–1978) nomeou-o arcebispo titular de Upema e coadjutor com direito a sucessão do arcebispo Felício César da Cunha Vasconcelos, na Arquidiocese de Ribeirão Preto, onde tomou posse em 3 de abril de 1967. Com o falecimento de Felício em 11 de julho de 1972, assumiu a arquidiocese. Em dezembro de 1980, submetido a exames médicos, iniciou uma série de tratamentos até falecer em 22 de dezembro de 1981 às 22h30, no Hospital Stella Maris, em Guarulhos. Estava em viagem de repouso até a cidade de Aparecida do Norte, onde passaria o Natal. A caminho, visitou o bispo João Bergese em Guarulhos, quando foi acometido de mal súbito e imediatamente internado. Seu sepultamento ocorreu em 23 de dezembro, às 10h00, na Catedral de Ribeirão Preto, após missa presidida pelo cardeal Paulo Evaristo Arns, com a participação de 19 Bispos e mais de 100 padres e diáconos.[1]

Referências

BibliografiaEditar