Guarulhos

município brasileiro do estado de São Paulo

Guarulhos é um município da Região Metropolitana de São Paulo, no estado de São Paulo, no Brasil. É a segunda cidade mais populosa do estado, a 13ª mais populosa do Brasil e a 53ª mais populosa do continente americano, com 1 392 121 habitantes, segundo estimativa do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) para 1.º de julho de 2020.[3]

Guarulhos
  Município do Brasil  
Vista da cidade.
Vista da cidade.
Símbolos
Bandeira de Guarulhos
Bandeira
Brasão de armas de Guarulhos
Brasão de armas
Hino
Lema Vere paulistarvm sangvis mevs
"O meu sangue é genuinamente paulista"
Gentílico guarulhense
Localização
Localização de Guarulhos em São Paulo
Localização de Guarulhos em São Paulo
Mapa de Guarulhos
Coordenadas 23° 27' 46" S 46° 31' 58" O
País Brasil
Unidade federativa São Paulo
Região intermediária[1] São Paulo
Região imediata[1] São Paulo
Região metropolitana São Paulo
Municípios limítrofes Mairiporã, Nazaré Paulista (N), Santa Isabel (NE), Arujá, Itaquaquecetuba (L), São Paulo (S e O)
Distância até a capital 14,35 km[2]
História
Fundação 8 de dezembro de 1560 (459 anos)
Emancipação 24 de março de 1880 (140 anos)
Administração
Prefeito(a) Gustavo Henric Costa (PSD, 2017 – 2020)
Características geográficas
Área total [3] 318,675 km²
População total (estimativa IBGE/2020[3]) 1 392 121 hab.
 • Posição SP: 2º
Densidade 4 368,5 hab./km²
Clima tropical de altitude (Cwa)
Altitude 759 m
Fuso horário Hora de Brasília (UTC−3)
Indicadores
IDH (PNUD/2010[4]) 0,763 alto
 • Posição SP: 145°
PIB (IBGE/2016[5]) R$ 53 974 918,69 mil
 • Posição BR: 12º
PIB per capita (IBGE/2016[5]) R$ 40 367,54
Outras informações
Padroeiro(a) Nossa Senhora da Conceição

Guarulhos foi fundada em 8 de dezembro de 1560, pelo padre jesuíta Manuel de Paiva, com a denominação de Nossa Senhora da Conceição. Sua origem está ligada à de cinco outros povoamentos que tinham, como principal objetivo, defender o povoado de São Paulo de Piratininga contra um possível ataque dos Tamoios.

É a cidade não capital de estado mais populosa do Brasil e é considerada a 12ª cidade mais rica do Brasil. Em 2016, registrou um Produto Interno Bruto (PIB) na ordem de 53,9 bilhões de reais, o que representou mais de 1% de todo PIB brasileiro na época.[6]além de deter o 4º maior produto interno bruto (PIB) de seu estado e o 12º maior do país.[6]

EtimologiaEditar

Segundo José de Alcântara Machado de Oliveira, o nome da cidade decorre da denominação dos indígenas que habitavam a região, os guaramomis ou maramomis, que eram um ramo dos guaianás. O nome do aldeamento indígena fundado em 1595 que deu origem à cidade era "Conceição dos Guarulhos", em referência a Nossa Senhora da Conceição.[7]

HistóriaEditar

 Ver artigo principal: História de Guarulhos

Colonização e emancipaçãoEditar

No dia 8 de dezembro de 1560, o jesuíta Manuel de Paiva funda, nas margens do Rio Tietê, no local hoje ocupado pela cidade, o Aldeamento de Nossa Senhora da Conceição dos Guarus, que dará origem à cidade. O povoado foi fundado para a a catequese dos índios guarus, da tribo dos guaianases, e para a defesa da vila de São Paulo contra um possível ataque dos índios tamoios.

No final do século XVI e no século XVII, houve a mineração de ouro no atual norte de Guarulhos, após a descoberta de minas de ouro na região onde atualmente é o bairro de Lavras, em 1590, por Afonso Sardinha. A mineração usava a mão-de-obra de índios escravizados e traz crescimento ao aldeamento.

Com o declínio da mineração do ouro, a região de Guarulhos passou a ser ocupada por pequenas fazendas, onde criavam-se gado bovino e cavalos e plantava-se algodão, trigo e cana-de-açúcar, utilizando-se inicialmente a mão de obra escrava indígena e depois com mão de obra escrava negra, principalmente os de origem sudanesa. No entanto, a agricultura sofreu com o clima úmido e frio, que acarretou em doenças nas plantas. As fazendas também sofriam com outros problemas, como enchentes e arraste de pontes na época úmida.

Já no século XIX, veio a produção de tijolos ao longo das várzeas dos rios Tietê, Cabuçu de Cima e Baquirivu-Guaçu, surgindo centenas de olarias na cidade. Com a introdução do tijolo como material de construção na cidade de São Paulo, em substituição à taipa de pilão, as olarias guarulhenses passaram a fornecer tijolos para a capital. Algumas das principais ruas do centro atual eram, no passado, ocupadas por olarias.

Em 1880, Guarulhos se emancipou de São Paulo, com o nome de Nossa Senhora da Conceição dos Guarulhos. O nome atual só foi adotado após a promulgação da Lei nº 1 021, de 6 de novembro de 1906.[8][9][10][11]

Século XXEditar

O início do século XX foi marcado pela chegada da ferrovia e da energia elétrica (Light & Power), pelos pedidos para instalação da rede telefônica, licenças para implantação de indústrias, de atividades comerciais e pelos serviços de transporte de passageiros.

Em 1915 Guarulhos recebe o Ramal Guapira - Guarulhos, do Tramway da Cantareira, possibilitando o escoamento de madeira, pedra e tijolos, fabricados em diversas olarias da região e amplamente utilizados na construção civil na capital. A cidade ganhou cinco estações: Vila Galvão, Torres Tibagy, Gopoúva, Vila Augusta e Guarulhos, além do prolongamento até a Base Aérea, em Cumbica.

A década de 1930 foi marcada pelos atos de Intervenção Federal, Constituição da Junta Governativa de Guarulhos e pelo Movimento Constitucionalista (reflexos da Revolução de 1930 - fim da República Velha).

Em 1940, foi inaugurada a Biblioteca Pública Municipal. Em 1941, o primeiro Centro de Saúde da cidade. Dez anos após, inaugurou-se a Santa Casa de Misericórdia de Guarulhos. Em 1945, a Base Aérea de São Paulo (BASP) foi transferida do Campo de Marte, em São Paulo, para o bairro de Cumbica.[carece de fontes?]

Na década de 1950, chegaram, ao município indústrias dos setores elétrico, metalúrgico, plástico, alimentício, além das de borracha, calçados, peças para automóveis, relógios e couros. Nesta década, a inauguração das Rodovias Presidente Dutra e Fernão Dias aproximou pessoas e mercadorias da cidade. Guarulhos se viu unida a São Paulo, no momento histórico de aceleração industrial, e ao Rio de Janeiro, então capital federal e centro de decisões políticas e econômicas, gerando, portanto, um impulso para instalação de indústrias nos trechos das rodovias que passam pelo município. Nos seus 'anos dourados', Guarulhos também ganhou um Rotary Club e realizou a 1° Feira da Indústria e Comércio da cidade, no Parque Ibirapuera, em São Paulo.

A fase dos anos 1960 e 1970 foi marcada pela estruturação de atividades industriais, que em grande medida pautaram os caminhos da migração para São Paulo. Em 1963 foi fundada a Associação Comercial e Industrial de Guarulhos, hoje, Associação Comercial e Empresarial de Guarulhos (ACE).

Em 20 de janeiro de 1985, foi inaugurado o Aeroporto Internacional de São Paulo, que em 2001 recebeu o nome oficial de Aeroporto Internacional de São Paulo/Guarulhos - Governador André Franco Montoro. Em 2012 foi concedido à iniciativa privada, quando recebeu a marca GRU Airport – Aeroporto Internacional de São Paulo.[12][9][10]

GeografiaEditar

 
Vista da Serra da Cantareira da torre de controle de Cumbica.

O relevo guarulhense encontra-se sob o domínio do Planalto Atlântico, onde podemos verificar os seguintes tipos de relevo: várzeas, planícies aluviais, colinas, morros e serras. Sua área está inserida na Serra da Mantiqueira.[carece de fontes?]

A Serra da Cantareira estende-se ao longo dos limites com Mairiporã, Nazaré Paulista e Santa Isabel, com nomes locais de Serra da Pirucaia, do Bananal, de Itaberaba ou Gil.[carece de fontes?]

O município de Guarulhos apresenta um clima tropical de altitude, com temperatura média anual entre 17 e 21 graus Celsius e geada esporádica em alguns lugares durante o inverno. A umidade relativa do ar média anual é de 81,1% e a precipitação pluviométrica é de 1470 mm. Ventos dominantes: SE - NO - E - O. (dados cedidos pelo Ministério da Aeronáutica - Divisão de Meteorologia).[carece de fontes?]

Por sua condição geográfica e climática, Guarulhos apresentava uma cobertura vegetal primitiva nativa representada pela Mata Atlântica, também denominada Floresta Cantareira e, pela Mata Planaltina ou de Transição. Com a expansão populacional e industrial essa cobertura sofreu grande desgaste.[carece de fontes?]

Panorama da cidade de Guarulhos

Parques e áreas verdesEditar

Existem atualmente em Guarulhos vários polos de fauna e flora, dentre os quais merecem maior destaque: Parque Estadual Cantareira (Núcleo Cabuçu), também conhecido por Reserva Estadual da Cantareira, que conta com aproximadamente 2 550 hectares; o Bosque Maia, localizado no distrito Maia (no bairro Jardim Maia), é o maior parque urbano de Guarulhos; Parque Júlio Fracalanza, localizado no bairro da Vila Augusta, é um importante parque de vizinhança da região e possui a Cidade Mirim, onde crianças aprendem com monitores especializados as regras e sinais de trânsito e aprendem a praticar a cidadania.

O Lago dos Patos ou Lago de Vila Galvão, localizado no bairro da Vila Galvão, o espaço possui 20 mil metros quadrados de água doce e área verde. O Parque Chico Mendes, localizado no bairro Vila Isabel no distrito de Pimentas, é a única área verde de importância da região. O espaço também abriga um Centro de Educação Ambiental, sanitários, quadra de esportes, campo de futebol, pista de skate, parquinho, mesas e bancos, quiosques, trilhas na mata e espaço para fabricação de adubo orgânico; Parque Bom Clima / JB Maciel, localizado no bairro Bom Clima, ao lado do Paço Municipal e o Parque da Saúde, no bairro Gopoúva, instalado em uma área de 15 mil metros quadrados doada pela Fundação para o Remédio Popular (FURP).[carece de fontes?]

ClimaEditar

Segundo dados do Instituto Nacional de Meteorologia (INMET), referentes ao período entre de 1983 a 2014, a menor temperatura registrada em Guarulhos foi de -0,3 °C em 6 de julho de 1997,[13] e a maior atingiu 37,5 °C em 15 de outubro de 2014.[14] O maior acumulado de precipitação em 24 horas foi de 140 mm em 16 de janeiro de 1991. Outros grandes acumulados foram 131 mm em 1° de fevereiro de 1995, 127,5 mm em 17 de dezembro de 2000, 121,4 mm em 11 de fevereiro de 1999, 112,2 mm em 26 de janeiro de 1987, 109,4 mm em 25 de maio de 2005, 108,9 mm em 1° de março de 2011, 101,7 mm em 29 de dezembro de 1995, 101,6 mm em 9 de setembro de 2009 e 101,4 mm em 11 de janeiro de 2011.[15] O clima é do tipo Cwa (tropical de altitude com inverno seco), de acordo com Köppen.[16]

Dados climatológicos para Guarulhos
Mês Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez Ano
Temperatura máxima recorde (°C) 36,4 36,5 35 33 31,6 31,2 30,8 33,6 35,9 37,5 36 36 37,5
Temperatura máxima média (°C) 29,2 29,4 28,5 26,9 23,9 23 22,8 24,5 24,8 26,6 27,6 28,4 26,3
Temperatura média compensada (°C) 23,4 23,5 22,8 21,3 18,5 17,1 16,6 17,8 18,8 20,4 21,5 22,5 20,4
Temperatura mínima média (°C) 19,1 19,2 18,6 17,1 14,3 12,5 12 12,7 14,1 15,8 16,9 18,1 15,9
Temperatura mínima recorde (°C) 13,3 14 11,7 7,4 5 1,6 2,4 2,8 3,8 8,5 10,5 12,5 1,6
Precipitação (mm) 269,1 224,9 203,9 86,6 79 41,7 48,5 32,1 88,9 122,5 134,8 226,8 1 558,8
Dias com precipitação (≥ 1 mm) 16 14 14 7 7 4 4 3 7 9 10 15 110
Umidade relativa compensada (%) 75,4 75,5 75,5 74,6 75,9 75,4 74,1 69,9 72,6 73,7 73 75 74,2
Horas de sol 141,1 136,6 156,1 162,1 157,5 155,2 162 169,9 127,2 138,2 145,2 139,5 1 790,6
Fonte: Instituto Nacional de Meteorologia (INMET) (normal climatológica de 1981-2010;[13] recordes de temperatura: 01/07/1983 a 30/11/2014)[17][14]

DemografiaEditar

 
Região central de Guarulhos
 
Vista do distrito de Gopoúva.

Censo em 2010Editar

População estimada em 2020

1 392 121[3]

Cor/Raça Porcentagem
Brancos 53,5%
Negros 6,3%
Pardos 38,8%
Amarelos 1,3%
Indígenas 0,1%

Fonte: Censo 2010

ReligiãoEditar

Segundo o Censo de 2010, os católicos representam 48 por cento da população, seguido pelos protestantes de várias denominações (33 por cento) e espíritas (3 por cento). Outras religiões representam 16 por cento da população.

A igreja mais antiga do município é a Catedral Nossa Senhora da Conceição, edificada em 1560, ano da fundação do município, sendo a sede da Diocese de Guarulhos, criada em 1981.

SubdivisõesEditar

O município de Guarulhos é divido em 47 distritos[20] mais o Aeroporto Internacional de São Paulo-Guarulhos. Estes distritos, por sua vez, são subdivididos em 535 bairros.[21] Abaixo segue a listagem dos 47 distritos e os seus respectivos 535 bairros: [22]

Divisão administrativa de Guarulhos

EconomiaEditar

 
Calçadão da Rua Dom Pedro II, no Centro
 
Atividades econômicas em Guarulhos (2012)[23]

A Economia de Guarulhos começou no período colonial, em 1597 por Afonso Sardinha com a mineração de Ouro na região das Lavras Velhas do Geraldo ou Catas Velhas onde hoje é conhecida apenas como bairro das Lavras. Esse período do ciclo do ouro em Guarulhos durou mais de 200 anos. Com o fim da exploração aurífera, vieram, depois, os ciclos do Tijolo ao longo das várzeas dos rios Tietê, Cabuçu e Baquirivu-guaçu surgindo centenas de olarias na cidade, na maioria pelos imigrantes italianos. Com a introdução do tijolo como material de construção substituindo a taipa de pilão, as olarias em Guarulhos encontrou espaço na economia Paulista. O surgimento das indústrias em Guarulhos começou a partir de 1915 com a implantação do ramal da Tramway da Cantareira que acabaram sendo atendidos pela linha ferroviária.[carece de fontes?]

Guarulhos foi considerada a 13ª cidade mais rica do Brasil, em 2013, com um Produto Interno Bruto (PIB) na ordem de 49,3 bilhões de reais, o que representa 1,01% de todo PIB brasileiro na época.[6]

Em Guarulhos, estão instaladas diversas indústrias como exemplo: Bauducco, Aché, Phibro, Yamaha, Randon, Gerdau, ABB, Usiminas, Pepsico e Cummins, É ainda um dos maiores centros na área de logística, contando com vários Centros de Distribuição como da Riachuelo, C&C, Ponto Frio e Dia.[carece de fontes?]

O setor de logística e transportes em Guarulhos é muito vasto, e a partir dessa necessidade diversos cursos de especialização se tornaram presentes na cidades. Entre eles a faculdade pública estadual FATEC.[carece de fontes?]

Guarulhos possui um diversificado setor comercial, de modo que apresenta cinco grandes centros de compras. A cidade também conta com o chamado Aeroshopping, uma vez que o próprio aeroporto transformou-se em um grande centro de compras, atraindo turistas das mais variadas localidades. Também já está em construção o Parque Shopping Maia, localizado no bairro do Picanço, que terá como alvo o atendimento das classes A e B do município e da região. A cidade tem diversos minishoppings e galerias espalhados por sua região, merecendo destaque os instalados no Centro, na Vila Galvão e no Jardim Presidente Dutra. Na área de autoshoppings, dispõe do Autoshopping, situado na margem oposta da Rodovia Presidente Dutra (quando comparado ao Shopping Internacional).[carece de fontes?]

Além dos centros de compras, galerias e shoppings, o município é repleto de áreas comercias espalhadas por diversos bairros. Segundo a Lei de Zoneamento de Guarulhos, a localidade das principais áreas comercias são o Centro, a região de comércio mais antiga da cidade; a Vila Galvão, com grande presença de agências bancárias; Taboão, região comercial que se desenvolveu ao redor da Praça Oito de Dezembro; Cumbica, á rea densamente comercial no cruzamento das Avenidas Monteiro Lobato e Santos Dumont; Bonsucesso, Localizado à leste do município; Jardim Presidente Dutra, um dos mais densos centros comerciais da cidade; Pimentas, considerada a mais nova área comercial do município, sendo a mais distante do Marco Zero de Guarulhos (Praça Tereza Cristina) e Ponte Grande, localizado na divisa com São Paulo, entre a Marginal do Tietê e Rodovia Presidente Dutra.[carece de fontes?]

Vista panorâmica da região central de Guarulhos.

InfraestruturaEditar

Atualmente, a concessionária responsável pela rodovia Presidente Dutra está ampliando o número de faixas de rolagem entre Cumbica e o Centro. Desta forma, a cidade passará a contar com 8 faixas no sentido Rio de Janeiro - São Paulo.[carece de fontes?]

Segurança pública e criminalidadeEditar

Desde 2000, a cidade tem diminuído a sua taxa de criminalidade. No período entre 1999 e 2009, a taxa de homicídios caiu 71% na cidade.[24]

Homicídios Dolosos por 100 mil habitantes em Guarulhos[25]

SaúdeEditar

 
Hospital Geral de Guarulhos

O município conta com catorze hospitais (públicos e privados), sendo que, merecem, destaque:

  • Hospital Padre Bento
  • Hospital Unimed;
  • Hospital Bom Clima;
  • Hospital Carlos Chagas;
  • Hospital Stella Maris;
  • Hospital Seisa;
  • Hospital Medtour;
  • Hospital Municipal Pimentas Bonsucesso;
  • Hospital Municipal de Urgências;
  • Hospital Geral de Guarulhos;
  • Hospital Geral de Guarulhos (Santa Casa de São Paulo)
  • Hospital Municipal da Criança e do Adolescente;
  • Hospital e Maternidade Jesus José e Maria;
  • Hospital Brasil;

Também se fazem presentes 69 unidades básicas de saúde,[26] sete pronto atendimentos,[27] além de quatro Centro de Especialidades Médicas (Centro, Cantareira, São João e Pimentas-Cumbica),[28] quatro centros odontológicos[29] e sete unidades psicossociais.[30]

O município apresenta os seguintes índices ligados a saúde:

TransportesEditar

O Aeroporto de Guarulhos – Governador André Franco Montoro, também conhecido por Aeroporto Internacional de Cumbica (IATA: GRU, ICAO: SBGR), é o principal e o mais movimentado aeroporto do Brasil. Localizado na cidade, no bairro de Cumbica, ocupa uma área de 13,32 quilômetros quadrados.[carece de fontes?]

A Linha 13 Jade da CPTM, inaugurada em 31 de março de 2018 que liga a estação Engenheiro Goulart, em São Paulo, a Estação Aeroporto-Guarulhos, próxima ao Terminal 1 do Aeroporto Internacional, com parada junto ao Terminal Rodoviário da cidade no Parque Cecap. A estação Aeroporto é interligada através de passarela ao Terminal Taboão.[31]

Há projeto de construção de duas estações da Linha 2 do Metrô de São Paulo no município, no bairro Ponte Grande e próximo à Via Dutra.[32]

Atualmente, três empresas operam o sistema de ônibus urbano municipal com linhas estruturais, que fazem a ligação do centro com os terminais nos bairros (Viação Urbana Guarulhos, no lote 1 - azul; Empresa de Ônibus Vila Galvão, no lote 2 - vermelho/verde e Viação Campo dos Ouros, no lote 3 - amarelo). Também operam na cidade 307 micro-ônibus de permissionários habilitados em processo licitatório, que atendem nas linhas alimentadoras, aquelas que fazem a ligação entre os bairros periféricos e os terminais nos respectivos bairros. Também existe na cidade o serviço noturno, com 10 permissionários que operam 5 linhas da 00h00 até as 05h00, ligando os principais bairros da cidade com hospitais, restaurantes, velórios municipais. E por fim, Guarulhos conta com uma linha seletiva, operada por 8 micro-ônibus, que liga o Aeroporto de Guarulhos ao Shopping Internacional, no bairro do Itapegica. Esta linha tem uma tarifa superior à municipal.[carece de fontes?]

Há, ainda, o Terminal Turístico Rodoviário de Guarulhos que se localiza no bairro Parque Cecap. Além do Terminal Turístico Rodoviário de Guarulhos, o município conta com mais cinco terminais de ônibus, sendo dois exclusivamente com linhas municipais (São João e Pimentas) e outros três que operam também linhas metropolitanas: Cecap, Taboão e Vila Galvão.[carece de fontes?]

Guarulhos também já foi servida por um outro e mais antigo ramal ferroviário, o Ramal de Guarulhos da antiga Estrada de Ferro Cantareira, por onde passava o Tramway da Cantareira (Trem da Cantareira). O ramal ligava o Centro de Guarulhos ao bairro de Santana, na zona norte da capital paulista, na antiga Estação Areal, o qual se entroncava com a linha principal da ferrovia, que seguia para o bairro da Cantareira e para a zona central da capital paulista, no bairro do Pari. Na antiga estação de Guarulhos, havia-se também um entroncamento com um pequeno ramal que seguia para a Base Aérea de Cumbica, onde hoje também se situa o Aeroporto Internacional.

Nos anos 1940, as linhas da Estrada de Ferro Cantareira foram absorvidas pela Estrada de Ferro Sorocabana, que trocou suas bitolas de 60 cm para bitola métrica, porém não conseguiu pôr em prática a eletrificação destas. Considerado como "deficitário" pelas autoridades locais nos anos 1960, apesar de sua enorme demanda de passageiros, que dele se utilizavam para trabalhar ou estudar na capital, o ramal de subúrbio foi desativado e extinto no ano de 1965.

Atualmente, somente existe uma réplica da antiga estação de Guarulhos na Praça Quarto Centenário, no Centro da cidade. Parte do antigo trajeto do ramal foi reaproveitado no leito da Linha 1 do Metrô de São Paulo. O antigo Ramal de Guarulhos também seria imortalizado na clássica música Trem das Onze, de Adoniran Barbosa.[33]

RodoviasEditar

 
Viaduto Cidade de Guarulhos, construído sobre a Rodovia Presidente Dutra (BR-116; SP-60).

Guarulhos tem o privilégio de ser cortada por rodovias de grande importância no cenário estadual e federal, sendo elas:

FerroviasEditar

Desde 2018, Guarulhos é servida pela Linha 13 da CPTM, que conecta o Aeroporto Internacional de São Paulo-Guarulhos ao bairro de Engenheiro Goulart, na zona leste da capital paulista e um serviço complementar (GRU-Express), um serviço expresso prestado pela CPTM, ligando o Aeroporto de Guarulhos à Estação Luz no bairro homônimo no centro da capital paulista.[34]

EducaçãoEditar

 
FATEC de Guarulhos.

A cidade de Guarulhos conta com universidades como a Escola de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade Federal de São Paulo no Pimentas, desde 2007, Universidade Guarulhos (UNG), Centro Universitário Metropolitano de São Paulo (FIG-UNIMESP), a Faculdade de Tecnologia do Estado de São Paulo (FATEC).

Além disso, o município conta com as seguintes instituições de ensino superior: Uninove com o curso de Medicina, Faculdades Integradas Torricelli (administrada pelas Faculdades Anhanguera), Faculdade Eniac, Escola Superior Paulista de Administração (Faculdade de Negócios de Guarulhos), Facig, Faculdade IDEPE e Faculdades de Guarulhos, além de contar com um unidade semipresencial da Universidade Metodista de São Paulo (localizada nas dependências do Shopping Bonsucesso).

A cidade também conta com um campus do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de São Paulo (IFSP), que, desde o segundo semestre de 2006, ministra os cursos técnicos em manutenção e suporte de informática e automação industrial e, ainda, cursos de nível superior de tecnologia em análise e desenvolvimento de sistemas e automação industrial para o período noturno e, para o diurno, superior em licenciatura em matemática. Em 2013, Guarulhos recebeu com outra instituição de ensino superior, a Faculdade Progresso, originada do tradicional Colégio Progresso da Vila Galvão.[carece de fontes?]

Os índices relacionados à área de educação do município são os seguintes:

ComunicaçõesEditar

Em 1960, foi criada a Companhia Telefônica de Guarulhos, numa tentativa de substituir os obsoletos 120 telefones manuais que eram operados pela Companhia Telefônica Brasileira.[carece de fontes?]

Em 1962, a Companhia Telefônica de Guarulhos operava 2 000 terminais telefônicos automáticos, com o prefixo 49. Quando da criação do sistema Telebrás, em 1974, a Telecomunicações de São Paulo adquiriu a Companhia Telefônica de Guarulhos, então com 7 000 terminais, com a condição de que todas as chamadas telefônicas entre os dois municípios fossem consideradas chamadas locais. Na ocasião, o prefixo 49 foi alterado para 209. Em 2003, foi alterado para 6409 e, atualmente é 2409. O número de terminais aumentou para 20 000 em 1977.[carece de fontes?]

CulturaEditar

 
Entrada do Sesc Guarulhos

A maior revelação da música de Guarulhos até os dias de hoje é o grupo de rock Mamonas Assassinas. A cidade conta ainda com orquestras como Orquestra Sinfônica Jovem Municipal e Orquestra de Câmara de Guarulhos.[carece de fontes?]

São diversas as manifestações religiosas presentes no município de Guarulhos. Dentre as manifestações católicas realizadas na cidade, as mais importantes são a Festa de Nossa Senhora de Bonsucesso e as missas em homenagem a Nossa Senhora da Conceição e a São Judas Tadeu. Entre as manifestações evangélicas, destacam-se a Marcha para Jesus, Night Gospel, S.O.S Vida, entre outros.[carece de fontes?]

Centro culturaisEditar

O Arquivo Histórico Municipal é reponsável por conservar os itens de valor histórico ou cultural para a cidade. A cidade conta com um sistema de bibliotecas públicas,[36] com matriz na Biblioteca Monteiro Lobato.[37] Há dois teatros na cidade, o Teatro Padre Bento e o Teatro Nelson Rodrigues.[38] Há locais tombados pela prefeitura, como o Casarão José Maurício[39] e o Sítio da Candinha.[40]

Guarulhos ainda conta com a 44ª unidade do Serviço Social do Comércio, o Sesc Guarulhos. O local tem 34 mil m² de área e possui salas de música, teatro, biblioteca, piscinas e áreas esportivas. O prédio também engloba um acervo de arte brasileira, com 24 obras de arte.[41][42]

EsportesEditar

O primeiro clube de futebol de Guarulhos foi o Paulista, que atuava onde hoje está localizada a Praça Getúlio Vargas. Hoje, o município conta com o Estádio Municipal Antônio Soares de Oliveira. O município de Guarulhos possui duas equipes profissionais de futebol: a A.A. Flamengo e a A.D. Guarulhos (ambas disputando a Segunda Divisão do Campeonato Paulista).[carece de fontes?]

Um destaque nos esportes de Guarulhos é o primeiro time de rugby, o Lusa Rhynos Rugby. É o único time em atuação na cidade. O local de treino do time é no Estádio Municipal Arnaldo José Celeste e está aberto para todo o público e adeptos do esporte (Lusa Rhynos Rugby disputa o Campeonato Paulista de Acesso).[carece de fontes?]

Ver tambémEditar

Referências

  1. a b Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (2017). «Base de dados por municípios das Regiões Geográficas Imediatas e Intermediárias do Brasil». Consultado em 10 de fevereiro de 2018 
  2. «Distância São Paulo-Guarulhos». Distance.to. Consultado em 1 de fevereiro de 2017 
  3. a b c d «Guarulhos». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. 1º de julho de 2020. Consultado em 30 de agosto de 2020 
  4. «Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil» (PDF). Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). 2010. Consultado em 31 de julho de 2013 
  5. a b «Produto Interno Bruto dos Municípios 2016». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Consultado em 4 de março de 2019 
  6. a b c «PIB dos Municípios Brasileiros 2016». IBGE. 2018 
  7. Dick, Maria Vicentina de Paula do Amaral (1 de janeiro de 1992). A dinâmica dos nomes na Cidade de São Paulo, 1554-1897. [S.l.]: Annablume. ISBN 9788585596675 
  8. Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo (6 de novembro de 1906). «Lei nº 1 021, de 6 de novembro de 1906». Consultado em 24 de fevereiro de 2019 
  9. a b «História de Guarulhos». Prefeitura Municipal de Guarulhos. Consultado em 6 de novembro de 2020 
  10. a b «HISTÓRIA - Conheça um pouco da origem de Guarulhos». GuarulhosWeb. Consultado em 6 de novembro de 2020 
  11. ARANTES, José Tadeu (20 de junho de 2016). «História da mineração de ouro em Guarulhos é resgatada em pesquisa». Jornal da USP. Consultado em 6 de novembro de 2020 
  12. GRU Airport
  13. a b «NORMAIS CLIMATOLÓGICAS DO BRASIL». Instituto Nacional de Meteorologia. Consultado em 21 de abril de 2018 
  14. a b «BDMEP - série histórica - dados diários - temperatura máxima (°C) - Guarulhos». Instituto Nacional de Meteorologia. Consultado em 24 de maio de 2014 
  15. «BDMEP - série histórica - dados diários - precipitação (mm) - Guarulhos». Instituto Nacional de Meteorologia. Consultado em 24 de maio de 2014 
  16. «World Maps of Köppen-Geiger climate classification». koeppen-geiger.vu-wien.ac.at. Consultado em 1 de fevereiro de 2017 
  17. «BDMEP - série histórica - dados diários - temperatura mínima (°C) - Guarulhos». Instituto Nacional de Meteorologia. Consultado em 24 de maio de 2014 
  18. Censo IBGE 2010
  19. a b c «Ranking_Todo o Brasil (2010)». Consultado em 30 de maio de 2016 
  20. Guarulhos.org. «Divisão Administrativa de Guarulhos». Consultado em 18 de maio de 2010 
  21. Ricardo Valota (4 de Agosto de 2011). «Manutenção deixa 111 bairros de Guarulhos (SP) sem água nesta 5ª feira». sítio estadao.com.br. Consultado em 16 de Outubro de 2012 
  22. «Título ainda não informado (favor adicionar)». www.guarulhos.org Bairros de Guarulhos
  23. «Atividades econômicas em Guarulhos (2012)». Plataforma DataViva. Consultado em 13 de janeiro de 2014 
  24. ACE-Guarulhos, Marketing. «Número de homicídios cai 71% nos últimos 10 anos na cidade, diz SSP». ACE-Guarulhos 
  25. «Estado SP: Produtividade Policial». Secretária de Segurança Pública. Consultado em 1 de fevereiro de 2017 
  26. https://www.guarulhos.sp.gov.br/index.php/unidades-basicas-de-saude-ubs
  27. https://www.guarulhos.sp.gov.br/policlinicas-upa
  28. https://www.guarulhos.sp.gov.br/index.php/cemeg
  29. https://www.guarulhos.sp.gov.br/index.php/centro-de-especialidades-odontologicas-ceo
  30. https://www.guarulhos.sp.gov.br/centro-de-atencao-psicossocial-caps
  31. «Trem para o Aeroporto de Guarulhos começa a funcionar após 14 anos de atraso». G1. 31 de março de 2018. Consultado em 30 de junho de 2019 
  32. «Guarulhos terá duas estações do prolongamento da Linha 2-Verde - saopaulo - versaoimpressa - Estadão». 30 de dezembro de 2013. Consultado em 1 de fevereiro de 2017 
  33. «Guarulhos -- Estações Ferroviárias do Estado de São Paulo». www.estacoesferroviarias.com.br. Consultado em 31 de agosto de 2020 
  34. disse, Abilio Augusto (16 de fevereiro de 2018). «Linha 13-Jade: a primeira construída e operada pela CPTM». Plamurb. Consultado em 1 de setembro de 2020 
  35. «Ranking_Todo o Brasil» (PDF). Consultado em 30 de maio de 2016 
  36. «Guarulhos.org - História da Bibliotéca Municipal Monteiro Lobato». www.guarulhos.org. Consultado em 12 de junho de 2019. Cópia arquivada em 11 de junho de 2019 
  37. «Sobre». Consultado em 30 de junho de 2019 
  38. GruCultura (3 de janeiro de 2017). «Teatro Nelson Rodrigues - Mapas Culturais». GruCultura. Consultado em 30 de junho de 2019 
  39. «Casarão de José Maurício de Oliveira». São Paulo Antiga. 28 de abril de 2009. Consultado em 30 de junho de 2019 
  40. «Patrimônio está aos pedaços em Guarulhos - São Paulo» . Estadão. Estado de S. Paulo. Consultado em 30 de junho de 2019 
  41. «Sesc Guarulhos abre com programação gratuita que inclui Nação Zumbi e Arnaldo Antunes». Guia Folha. 10 de maio de 2019. Consultado em 30 de junho de 2019 
  42. «Sesc inaugura unidade em Guarulhos em 11 de maio | Arte ao Redor». VEJA SÃO PAULO. Consultado em 30 de junho de 2019 

Ligações externasEditar

Outros projetos Wikimedia também contêm material sobre este tema:
  Categoria no Commons
  Guia turístico no Wikivoyage