Branca de Castela (1319–1375)

Disambig grey.svg Nota: Não confundir com Branca de Castela, Rainha de França (1188-1252)

Branca de Castela (em castelhano: Blanca de Castilla; agosto de 13191375), a única filha de Pedro, infante de Castela e de Maria, infanta de Aragão, foi prometida em 1329 em casamento a Pedro I de Portugal mas o casamento não se chegou a realizar. Depois foi nomeada senhora do Mosteiro de Las Huelgas.

Branca de Castela
Senhora do Mosteiro de Las Huelgas
Nascimento agosto de 1319
  Alcocer, Guadalajara Espanha
Morte 1375 (56 anos)
  Mosteiro de Las Huelgas
Sepultado em Mosteiro de Las Huelgas
Casa Anscáridas
Pai Pedro, infante de Castela
Mãe Maria, infanta de Aragão
Religião Catolicismo

BiografiaEditar

Nascida em Alcocer, em agosto de 1319,[1] Branca era a única e póstuma filha de Pedro, infante de Castela e de Maria, infanta de Aragão. Seus avós paternos foram Sancho IV de Leão e Castela e Maria de Molina e os maternos Jaime II de Aragão e Branca de Anjou.

Seu pai, o infante Pedro, era senhor de Cameros, Almazán, Berlanga, Monteagudo e Cifuentes, e o mordomo de seu irmão o rei Fernando IV de Castela.[2] Após a morte deste, em 1312, Pedro tornou-se tutor de seu sobrinho, Afonso XI de Castela. O próprio Pedro faleceu em 1319, combatendo os mouros em Granada, com apenas vinte anos de idade, deixando a sua esposa que estava esperando um bebé.

 
Mosteiro de Las Huelgas

Após a morte do infante Pedro, Garci Lasso de la Vega — que mais tarde se tornou favorito do rei Afonso XI — escreveu ao rei Jaime II de Aragão que seu genro prometeu-lhe que a sua criança por nascer seria criada por si como seu aio.

Logo no ano seguinte à morte de Pedro, Maria levou Branca para o Reino de Aragão. Em 1322, a mãe de Branca e Garcilaso de la Vega, administrador das posses de Branca em Castela, concordaram em casá-la com seu primo, o rei Afonso XI, quando ambos atingissem a maioridade. Em 1325, porém, o avô de Branca, o rei Jaime II, planejou dá-la em casamento a João de Haro o Torto, senhor da Biscaia e adversário do infante Filipe de Castela — tio paterno de Branca como um dos filhos do rei Sancho IV e da rainha Maria de Molina — então regente em nome de seu sobrinho. Afonso XI no mesmo ano atingiu a maioridade e desbaratou o acordo de casamento, pois temia que João o Torto, fosse empossado dos territórios de Branca, os quais estavam situados na fronteira entre Castela e Aragão. No ano seguinte, Afonso assassinou João.

Branca foi prometida em 1329 em casamento a Pedro I de Portugal mas, dada a sua debilidade e incapacidade, o casamento não se chegou a realizar.[3][4] Depois foi nomeada senhora do Mosteiro de Las Huelgas, em Burgos, cargo que ocupou até o fim de sua vida, em 1375. A herança que seu pai lhe deixou foi dissipada por Afonso XI, que, desde 1336, foi dando como apanágios a seus filhos ilegítimos com Leonor de Gusmão.

Referências

  1. García Fernández 1998, p. 165.
  2. Salazar y Acha 2000, p. 383.
  3. Rodrigues Oliveira 2010, p. 223.
  4. Caetano de Sousa 1735, pp. 379–380, Livro II, Cap. IV.

BibliografiaEditar

Ligações externasEditar