Abrir menu principal
Brasão de Armas da Casa de Castro.

A Casa de Castro tem origem numa linhagem que se crê é proveniente do Reino de Castela e com profundas raízes na Galiza, cuja provável origem se encontra na vila de Castrojeriz, na Província de Burgos.

Origens e breve históriaEditar

Sobre as origens desta casa nobre existem várias teorias, uma das quais a situa no ramo galego dos Castro como descendente do rei Garcia II da Galiza e Portucale (c. 1040-1090).[1]

Dona Maria Álvares, senhora de Castro Xeris, descendente de Laim Calvo (juíz de Castela) e de Salazar de Castro (filho do infante D. Sancho, neto de D. Garcia, rei de Galiza e Portugal, filho terceiro do rei D. Fernando, o Magno, de Castela), teria casado com D. Fernando, que alguns fazem filho do rei de Navarra, e começaram os seus descendentes a usar o apelido Castro.[2]

As vinculações da família Castro na terra de Juarros iniciam-se anteriormente ao século XII com a criação administrativa da Merindad Maior de Castela[3] e com a sua integração na Merindad de Castrojeriz.

No tempos de Gutierre Fernández (século XII), os Castro rivalizavam com outra grande linhagem castelhana, a Casa de Lara, pretendendo a tutela do rei Afonso VIII de Castela.

A falta de herdeiros directos levou a que a linhagem dos Castro passasse a um ramo colateral feminino com origem na Galiza. Este ramo veio a converter-se na estirpe mais poderosa da nobreza da Galiza e numa das mais poderosas de Espanha; tradicionalmente ligada ao Condado de Lemos. As suas mais ilustres representantes foram o "grande Conde de Lemos", Pedro Fernández de Castro e Andrade, VII Conde de Lemos, e o seu tio o Cardeal Rodrigo de Castro Osorio.

(O ramo levava o nome de Castro devido ao casamento de Pedro Alvarez Osorio, IV conde de Lemos com Beatriz de Castro. Filha de Pedro Enriquez de Castilla, conde de Trastâmara e de D. Isabel de Castro esta filha de Álvaro Pires de Castro e de Maria Ponce de León)

No primeiro ramo, é necessário destacar a pessoa de Fernando Ruiz de Castro, "toda a lealtad de Espanha", que apesar de pertencer a uma época tardia, deixou uma memória muito viva no Peru na pessoa de Pedro Antonio Fernández de Castro; este mesmo Fernando Ruiz de Castro vem a ser tio-avô de Beatriz de Castro.

Novamente este ramos e por falta de descendentes directos passou o Condado de Lemos a engrossar os títulos da Casa de Alba e Casa de Fitz-James Stuart.

BibliografiaEditar

Referências

  1. Vázquez, Germán "Historia de Monforte y su Tierra de Lemos".ISBN 84-241-9865-4
  2. António Caetano de Sousa (1755). Oficina Silvânia, ed. Memorias históricas e genealógicas dos grandes de Portugal…. [S.l.: s.n.] p. 98-99. Consultado em 27 de setembro de 2017 
  3. El tronco de toda la Casa de Castro es don Fernando o don Fernán Ruiz de Castro, señor de Castrojeriz por su matrimonio con doña María Álvarez, señora de aquella villa burgalesa. Don Fernando, que vivió a fines del siglo XI, de ignorado pero de regio abolengo, fue tenido por hijo ilegítimo del Rey de Navarra. Otros genealogistas, entre ellos Salazar y Castro, Y Pellicer, lo consideran hijo de Don García, infante de Castilla, rey de Galicia y Portugal, hermano menor del emperador Alfonso VI.(p.202)
 
O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Casa de Castro
  Este artigo é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o. Editor: considere marcar com um esboço mais específico.