Case 39

filme de 2009 dirigido por Christian Alvart

Case 39 (bra Caso 39[1]) é um filme américo-canadense dos gêneros terror psicológico e suspense lançado no ano de 2009 e dirigido por Christian Alvart. É estrelado por Renée Zellweger e Jodelle Ferland, contando também com as participações de Ian McShane, Bradley Cooper, Callum Keith Rennie e Kerry O'Malley.

Case 39
Pôster promocional
No Brasil Caso 39
 Estados Unidos Canadá
2009 •  cor •  109 min 
Direção Christian Alvart
Produção Lisa Bruce
Steve Golin
Alix Madigan
Kevin Misher
Coprodução Lisa Bruce
Alix Madigan
Roteiro Ray Wright
Elenco Renée Zellweger
Jodelle Ferland
Ian McShane
Bradley Cooper
Callum Keith Rennie
Kerry O'Malley
Gênero terror psicológico, suspense
Música Michl Britsch
Cinematografia Hagen Bogdanski
Edição Mark Goldblatt
Companhia(s) produtora(s) Misher Films
Anonymous Content
Paramount Vantage (não creditado)
Distribuição Paramount Pictures
Lançamento Nova Zelândia 13 de agosto de 2009
Brasil 9 de abril de 2010[1]
Estados Unidos 1 de outubro de 2010
Idioma inglês
Orçamento US$ 26 milhões[2]
Receita US$ 28.189.979[3]
Site oficial

SinopseEditar

A idealista assistente social Emily Jerkins resgata a garotinha Lilith Sullivan de seus pais abusivos, passando a cuidar dela. Mais tarde, descobre que a menina não é tão inocente quanto parece, e que ela se envolveu numa situação mais perigosa do que possa imaginar.

ElencoEditar

ProduçãoEditar

Atrasos e ocorrênciasEditar

No dia 31 de outubro de 2006, um incêndio começou no set do filme em Vancouver durante uma das cenas envolvendo fogo. Ninguém do elenco estava no set na hora do acidente e ninguém ficou gravemente ferido, embora os cenários e o estúdio tenham sido destruídos.[4] O filme foi filmado em Vancouver no final de 2006 e foi lançado primeiramente na Nova Zelândia em 13 de agosto de 2009; a estreia nos Estados Unidos estava programada para ocorrer em agosto de 2008, mas acabou sendo adiada por duas vezes até finalmente ser lançado em 1º de outubro de 2010.

Final alternativoEditar

O DVD do filme contém dentro de seus bônus o final alternativo rodado para o filme. Nele, Emily arrebenta o portão do píer com o carro em alta velocidade e o joga na água, assim como na versão teatral; o carro afunda e chega até o fundo completamente cheio de água ficando submerso. De repente, um homem nada até o carro, abre a porta do passageiro e leva Lillith até a superfície, deixando Emily para trás. Emily tenta, sem sucesso, abrir a porta do carro e perde a consciência; o homem reaparece e também a salva. Enquanto uma ambulância leva Emily embora, uma transmissão de notícias na TV detalha o evento e Margaret Sullivan é vista assistindo o caso no hospital psiquiátrico. Na cena final, Emily aparece algemada na prisão, implorando freneticamente ao seu advogado para lhe dizer onde está Lillith, enquanto Lillith é vista com sua nova família adotiva chegando em sua casa nova.

RecepçãoEditar

ComercialEditar

Caso 39 foi lançado nos cinemas da Nova Zelândia em 13 de agosto de 2009 e em seu fim de semana de abertura ficou em 12º lugar arrecadando trita e cinco mil e cinquenta e seis dólares neozelandeses.[5] Com uma média de NZ$ 1.845 nas 19 salas de cinema em que foi lançado, o filme não conseguiu emplacar comercialmente. O filme estreou num circuito amplo na Austrália, sendo exibido em 85 cinemas. O filme ficou na posição #12 em seu fim de semana de abertura, com uma média de dois mil e setenta e sete dólares australianos por sala de cinema, Case 39 arrecadou um total bruto de AU$ 176.526. Comentários populares extremamente negativos no país contribuíram com o fiasco do filme na Austrália, causando uma redução de 70% de lucro em seu segundo fim de semana; quando saiu de cartaz, o filme arrecadou um total de AU$ 332.956. O filme arrecadou um total de US$ 14.926.149 internacionalmente.[6]

Em seu fim de semana de estreia nos Estados Unidos o filme estreou em 7º lugar arrecadando cerca de US$ 5.350.000 em 2.211 cinemas, com uma média de US$ 2.420 por sala.[7]

CríticaEditar

Case 39 recebeu diversas críticas negativas. No site agregador Rotten Tomatoes o filme tem uma classificação de 21%, com base em 75 comentários, com o consenso afirmando: "O diretor Christian Alvert tem um certo estilo, mas ele é desperdiçado no enredo sem graça e sem originalidade de Case 39".[8] No Metacritic o filme tem uma pontuação de 25/100, com base em 15 críticas, indicando "avaliações geralmente desfavoráveis".[9]

Margaret Pomeranz do programa de TV australiano At the Movies deu ao filme uma de cinco estrelas, chamando-o de "um dos filmes menos assustadores e mais idiotas que já viu em muito tempo".[10]

Referências

  1. a b «Caso 39». AdoroCinema. Consultado em 31 de janeiro de 2019 
  2. Fritz, Ben (30 de setembro de 2010). «Movie projector: 'Social Network' looks strong; 'Let Me In' and 'Case 39' will struggle». Los Angeles Times. Tribune Company. Consultado em 30 de setembro de 2010 
  3. «Case 39 (2010)». Box Office Mojo. Consultado em 3 de outubro de 2010 
  4. Robert Matas (2 de novembro de 2006). «Special-effects fire destroys movie set». globeandmail.com. Consultado em 7 de abril de 2008. Arquivado do original em 30 de setembro de 2007 
  5. Box Office Mojo - Case 39 New Zealand Box Office
  6. Case 39 (2010) - Box Office Mojo
  7. «'Social Network' No Wallflower in Its Debut». Box Office Mojo. Consultado em 3 de outubro de 2010 
  8. «Case 39». Rotten Tomatoes. Consultado em 1 de novembro de 2018 
  9. metacritic.com
  10. At the Movies (Australia): Case 39
  Este artigo sobre um filme de horror é um esboço relacionado ao Projeto Entretenimento. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.