Abrir menu principal

Castelo de Folgosinho

castelo medieval em Folgosinho, Portugal
Castelo de Folgosinho
Folgosinho1.jpg
Castelo de Folgosinho, Portugal: guarita e ameias.
Mapa de Portugal - Distritos plain.png <div style="position:absolute;top:Erro de expressão: Operador * inesperadopx; left:Erro de expressão: Operador * inesperadopx; width:3px; height:3px; background:#FF0000" title="Localização" onmouseover="width:5px;height:5px;">
Construção ()
Estilo
Conservação Bom
Homologação
(IGESPAR)
IIP
Aberto ao público Sim

O Castelo de Folgosinho, na Beira Alta, localiza-se na vila e freguesia de Folgosinho, concelho de Gouveia, distrito da Guarda, em Portugal.

Na vertente norte da serra da Estrela, o castelo é o ex libris da povoação, cuja fundação é atribuída ao lendário Viriato, que aqui teria nascido. Juntamente com o de Linhares e com o de Celorico, o castelo de Folgosinho compunha um triângulo defensivo do vale do rio Mondego.

HistóriaEditar

AntecedentesEditar

A primitiva ocupação humana dos sítios do castelo e da povoação remonta a dois castros pré-romanos. Não foram localizadas informações sobre possíveis ocupações subsequentes.

O castelo medievalEditar

À época da Reconquista cristã da Península Ibérica, o rei D. Sancho I (1185-1211) outorgou-lhe carta de foral em 1187, tendo em vista, a sua posição estratégica e a necessidade de povoamento e defesa da região. O seu sucessor, D. Afonso II (1211-1223), confirmou-lhe o foral (1217). Alguns autores referem que D. Dinis (1279-1325) repetiu o ato.

No século XVI, D. Manuel I (1495-1521) concedeu-lhe Foral Novo (1512). Nesse período, sendo a vila e seu termo, por força de seus forais, consideradas como Terra de El - Rei, tiveram como donatários, os marqueses de Arronches, os duques de Lafões e os condes de Miranda do Corvo. Constituía-se ainda em Comenda da Ordem de Cristo.

Do século XIX aos nossos diasEditar

Em virtude da reformulação administrativa do reino em 1836, Folgosinho deixou de ser sede de Concelho, em favor de Gouveia.

No século XX, o seu castelo foi classificado como Imóvel de Interesse Público por Decreto publicado em 25 de Março de 1936.[1] Atualmente bem conservado, constitui-se em atração turística regional.

CaracterísticasEditar

Erguido em posição dominante na cota de novecentos e trinta e três metros acima do nível do mar, o castelo foi erguido com pedra de quartzo branco-rosado, o que lhe confere uma beleza singular.

Referências

  1. «Pesquisa de Património: Castelo de Folgosinho». igespar.pt. Consultado em 12 de outubro de 2011 

Ligações externasEditar