Abrir menu principal

Castelo de Valongo

Searchtool.svg
Esta página ou seção foi marcada para revisão, devido a incoerências e/ou dados de confiabilidade duvidosa (desde março de 2016). Se tem algum conhecimento sobre o tema, por favor, verifique e melhore a coerência e o rigor deste artigo.
Castelo de Valongo
Valongo03.jpg
Castelo de Valongo, Portugal.
Mapa de Portugal - Distritos plain.png <div style="position:absolute;top:Erro de expressão: Operador * inesperadopx; left:Erro de expressão: Operador * inesperadopx; width:3px; height:3px; background:#FF0000" title="Localização" onmouseover="width:5px;height:5px;">
Construção ()
Estilo
Conservação
Homologação
(IGESPAR)
MN
Aberto ao público

O Castelo de Valongo, também referido como Castelo Real de Montoito, no Alentejo, localiza-se na freguesia de Nossa Senhora de Machede, no concelho e distrito de Évora, em Portugal.

Ergue-se posição dominante sobre uma elevação na Herdade da Grã, próximo ao ribeiro da vila.

HistóriaEditar

AntecedentesEditar

A primitiva ocupação humana do seu sítio remonta à época Romana, posteriormente sucedidos por Visigodos e Muçulmanos. Foram estes últimos os responsáveis pela fortificação do local, conforme o atestam algumas inscrições islâmicas em seu interior.

O castelo medievalEditar

À época da Reconquista cristã da Península Ibérica, a sua estrutura foi reconstruída em fins do século XIV ou mesmo início do XV.

Do século XX aos nossos diasEditar

Classificado como Monumento Nacional por Decreto publicado em 23 de Junho de 1910, encontra-se atualmente em ruínas.

CaracterísticasEditar

O castelo apresenta planta quadrada, reforçada nos vértices por quatro torres também quadrangulares. O topo das muralhas é percorrido por adarve defendido por ameias, estas também de secção quadrangular.

A Torre de Menagem é dividida internamente em três pavimentos, assentes sobre abóbadas em cruzaria de ogiva, em tijolos. Pelo lado Oeste, ergue-se uma outra torre, de menores dimensões adossada à muralha, onde se rasga uma entrada lateral. As seteiras, de tipologia típicamente medieval, atestam uma fase reconstrutiva do monumento que remete para os séculos XIV e XV.

Ligações externasEditar