Abrir menu principal
Cavalo com alças
Iván San Miguel.png
O espanhol Iván San Miguel
Olímpico desde: 1896
Desporto: Ginástica artística
Praticado por: Homens
Campeão Olímpico
Rio 2016
Max Whitlock
 Grã-Bretanha
Campeão do Mundo
Doha 2018
Xiao Ruoteng
 China


Cavalo com alças ou cavalo com arções é um aparelho utilizado na ginástica artística apenas por atletas masculino, composto de um corpo prisma mais estreito na parte inferior, montado horizontalmente sobre uma base, com duas alças sobrepostas ao corpo.

É neste aparelho que os homens executam as suas rotinas nas provas por equipes, concurso geral e finais por aparelhos individuais.

HistóriaEditar

A descrição mais antiga da ginástica a respeito de um cavalo artificial data de mais de 600 anos de idade. Ele foi escrito por Vegécio, que, em seu quarto volume de “A visão geral do exército romano”, descreve soldados usando um cavalo de madeira para a prática da montaria.

Mais adiante, no século XVII, fora desenvolvida a arte da acrobacia equestre em cima desta prática. Jahn, conhecido como “pai da ginástica”, ele não foi o criador do aparelho para a modalidade, mas o desenvolveu em seus centros de treinamento. Em seguida, no início do século XIX, o material que o compunha modificou-se e com isso, as rotinas puderam se aprimorar e se dinamizar.

O cavalo com alça foi introduzido no programa olímpico nos Jogos de Atenas em 1896, tendo como o primeiro campeão, o suíço Louis Zutter.

AparelhoEditar

O formato e dimensões do cavalo com alça são regulamentados pelo documento Apparatus Norms publicado pela FIG.

Originalmente, o aparelho era composto por uma armação de aço e um corpo em formato de cavalo feito de madeira, recoberta por couro. Como composição posterior, a armação e o corpo eram feitos de plásticos de alta resistência. Mais tarde, o aparelho foi revestido com couro ou camurça. Hoje, o material usado é uma espécie de cobertura maleável, semelhante a usada na mesa de saltos e na trave de equilíbrio. Suas alças são feitas de plástico resistente e metal. Todos os cantos eram e são arredondados. As alças ainda são cilíndricas e formam um arco com cantos arredondados e topo horizontal.

O cavalo está a 1,15 m do chão. Seu comprimento é de 1,60 m e a largura é de 35 cm. As alças possuem 12 cm de altura e estão ajustavelmente distanciadas entre 40–45 cm.

Características da competiçãoEditar

Sua sigla, para provas internacionais regulamentadas pela Federação Internacional de Ginástica, é PH.

Um exercício típico no cavalo com alças envolve trabalhos tanto com uma, quanto com ambas as pernas. Em geral, os movimentos mais comuns que envolvem uma única perna, chamam-se tesouras, nas quais, apoiado nas alças, o ginasta joga uma perna de cada vez para frente e para trás do corpo do aparelho, utilizando de adequada postura.

No entanto, o principal da rotina do atleta, são os trabalhos executados com as duas pernas. O ginasta pode balançar as pernas em um movimento circular perfeito, seja no sentido horário ou no anti-horário, na ponta ou “caminhando” sobre toda a extensão do aparelho.

 
o austríaco Thomas Zimmermann, na final da Copa do Mundo de 2000, em Stuttgart.

Assim, pode-se dizer que uma série típica no cavalo com alça envolve tesouras e movimentos circulares. Os movimentos circulares são feitos com as duas pernas juntas, tendo como os mais comuns destes, as chamadas russas, que consistem em apoio direto sobre o corpo do cavalo enquanto gira-se do tronco para baixo, as pernas estendidas.

Para tornar o exercício mais desafiador, os ginastas incluem ainda variações do giro básico, com variações no posicionamento das pernas, das mãos e do tronco (virado para cima ou para a direção do aparelho). A série termina com o desmonte que pode ser feito com um balanço de corpo para fora do aparelho, ou executando uma parada de mão (feita obrigatoriamente sobre impulso e não força) seguida por um salto simples: carpado, grupado ou esticado (estendido). Durante toda a série, somente as mãos podem tocar o aparelho.

O cavalo com alças é considerado por diversos ginastas como o mais difícil das seis modalidades masculinas.[1] Embora seja consenso que todas as modalidades requerem uma combinação de força muscular e técnica, o cavalo tende a favorecer a técnica. Isso se deve ao fato de que a maioria dos movimentos no cavalo com alças são executados com balanço sobre os ombros e que praticamente não há exercícios estáticos, a não ser a parada de mão. Dessa forma, menos força é necessária do que seria requerida em outros aparelhos. O que de fato requer este aparelho é o equilíbrio e a postura do ginasta.

A forma consiste em manter as pernas estendidas e juntas durante todos os movimentos, exceto nas tesouras (que as pernas afastam-se uma da outra), nas paradas de mãos e nos exercícios de giro, semelhantes ao Thomas realizado no solo, no qual o ginasta, apoiado nas mãos, gira, em ângulo, da cintura para baixo com as pernas abertas.

Para obter uma nota limpa — ou seja, sem descontos graves —, o ginasta precisa realizar exercícios com as pernas afastadas e juntas (os volteios), giros, parada de mãos, percorrer toda extensão do aparelho, executar elementos mistos (nomeados pelos primeiros ginastas executantes) e o desmonte — limitada a três saídas distintas: parada de mãos, loop e salto.

Os descontos decorrem, assim como nos demais aparelhos, na faixa de 0,1 à 1,0. O ginasta será penalizado:

  • pela falta de postura das pernas (sempre retas);
  • por se desgarrar do aparelho;
  • por subir à parada de mãos na força (invés do impulso);
  • caso não realize os movimentos obrigatórios citados acima.

Ginastas de destaqueEditar

Referências

Ver tambémEditar

Ligações externasEditar