Centro Ciência Viva do Alviela - Carsoscópio

espaço interativo de divulgação científica e tecnológica em Louriceira, Alcanena

O Centro Ciência Viva do Alviela - Carsoscópio localiza-se na freguesia da Louriceira, concelho de Alcanena, distrito de Santarém, em Portugal. Na fronteira entre a Estremadura e o Ribatejo, encontra-se junto à nascente do rio Alviela, uma das mais importantes nascentes cársicas de Portugal, na Praia Fluvial dos Olhos de Água do Alviela, um espaço de lazer com parque de merendas, parque infantil, parque de campismo, restaurante, circuito de manutenção e vários percursos pedestres e de BTT.

Centro Ciência Viva do Alviela - Carsoscópio
Tipo Museu de ciência
Inauguração 15 de dezembro de 2007 (13 anos)
Visitantes 120000 (2016)[1]
Diretor Paula Robalo
Website http://www.alviela.cienciaviva.pt/
Geografia
País Portugal Portugal
Cidade Alcanena
Localidade Louriceira
Zona envolvente.

O Centro Ciência Viva do Alviela é um espaço interativo de divulgação científica e tecnológica, o 17º integrante da rede Ciência Viva.

HistóriaEditar

Foi inaugurado em 15 de dezembro de 2007 pelo presidente da República, Aníbal Cavaco Silva, e pelo ministro da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, José Mariano Gago. Encontra-se sob a responsabilidade do município de Alcanena.[2]

No interior do edifício encontra-se uma exposição interativa permanente, dividida em três partes: o Geódromo, o Carso e o Quiroptário. O edifício dispõe ainda de auditório, sala de formação, centro de alojamento, receção e loja.

Além da exposição permanente, o Centro atua como dinamizador de exposições temporárias, eventos científicos e atividades lúdico-pedagógicas de interior e exterior.

A implementação do Centro valeu ao município de Alcanena o prémio "Geoconservação 2010", outorgado pela Associação Europeia para a Conservação do Património Geológico com o apoio da National Geographic-Portugal. Instituída em 2004, essa premiação contempla projetos desenvolvidos pelas autarquias portuguesas vocacionados para a preservação, estudo e valorização do património geológico.[3]

O Centro Ciência Viva do Alviela foi também um dos 26 bens culturais, no Médio Tejo, certificado pela Herity (entidade internacional, reconhecida pela UNESCO, para a avaliação e certificação da qualidade na gestão do património cultural em todo o mundo).

Entre 2007, data de sua abertura ao público, e 2016, o Centro recebeu mais de 120 mil visitantes.[3][4]

Exposição permanenteEditar

GeódromoEditar

O Geódromo é um simulador de realidade virtual com 16 lugares, que faz uma viagem no tempo ao longo de 175 milhões de anos, permitindo observar a evolução geológica do Maciço Calcário Estremenho - o mais importante do país - desde a época dos dinossauros até à aos nossos dias. As áreas do conhecimento científico aqui abordadas compreendem:

CarsoEditar

No Carso, é possível viajar em 3D sobre a zona que envolve a nascente do Alviela e desvende os percursos subterrâneos da água. Nesta exposição é também possível, através de módulos interativos, fazer chover sobre o carso e observar a circulação subterrânea das águas da chuva. Observe também o que acontece quando um camião cisterna derrama gasolina sobre uma região calcária. As áreas do conhecimento científico aqui abordadas compreendem:

QuiroptárioEditar

O Quiroptário é um conjunto de módulos interativos sobre morcegos, um dos símbolos das regiões cársicas devido à quantidade e diversidade de grutas existentes. Os módulos permitem aos visitantes desfazer alguns dos mitos relacionados com estas espécies notívagas, bem como conhecer melhor o seu modo de vida e as características que os tornam tão peculiares, como por exemplo repousarem de cabeça para baixo ou orientarem-se através do eco. As áreas do conhecimento científico aqui abordadas abrangem:

ParceirosEditar

ReferênciasEditar

  1. http://www.alviela.cienciaviva.pt/centro/visitantes/
  2. Site do. «Centro Ciência Viva do Alviela - Carsoscópio». Alviela.cienciaviva.pt 
  3. a b Ambiente: Carsoscópio do Alviela. in: National Geographic Portugal. Nr. 111, Junho de 2010
  4. Ciência Viva: Os Morcegos do Alviela, in: Correio da Manhã. 10/01/2016

Ligações externasEditar