Abrir menu principal
A Ciclovia Rio Pinheiros

A Ciclovia Rio Pinheiros é uma ciclovia localizada em São Paulo, na margem leste do Rio Pinheiros, correndo paralelamente a um trecho da Linha 9 da CPTM. Atualmente, ela conta com 21,2 quilômetros de extensão[1], sendo, portanto, a maior ciclovia da região metropolitana de São Paulo e cobrindo quase a totalidade da extensão do Rio Pinheiros. Ela é uma alternativa para o deslocamento diário e opção de lazer.

A ciclovia foi inaugurada no dia 27 de fevereiro de 2010, pelo então governador José Serra, contando inicialmente com catorze quilômetros.[2] Ela foi construída aproveitando uma estrutura pré-existente da Empresa Metropolitana de Águas e Energia (EMAE).[3]

O horário de funcionamento da ciclovia é limitado, das 5h30 às 18h30. Durante o horário de verão, o horário de funcionamento é estendido em uma hora e meia, funcionando das 5 horas às 19h30[4]. Veículos autorizados em serviço podem trafegar na pista ao lado do Rio Pinheiros com velocidade limitada e procedimentos de cautela. Nessas situações, o ciclista deve utilizar apenas a pista ao lado das vias do trem da CPTM. O ciclista também deve estar atento para evitar a aproximação e o contato com animais silvestres, como capivaras, frequentes no local. Seguranças da CPTM fazem a vigilância da ciclovia com bicicletas e viaturas.[5]

Acessos e pontos de apoioEditar

A Ciclovia do Rio Pinheiros tem a característica peculiar de estar isolada do tráfego de pessoas e veículos, já que de um lado está o rio e do outro está a linha de trem da CPTM e a Marginal Pinheiros. Logo, para entrar e sair da ciclovia é necessário utilizar acessos específicos, que passam por cima da linha de trem e da via expressa. No momento existem cinco acessos à ciclovia[5]:


Estão previstos dois novos acessos, ligando a ciclovia aos parques do Povo e Villa-Lobos. O acesso ao Parque do Povo deverá ser construído pela empresa WTorre, como contrapartida viária à construção do complexo comercial que engloba o Shopping JK Iguatemi. A empresa já construiu cerca de 4,8 quilômetros da ciclovia, também como parte das contrapartidas viárias.[1]

Além disso, os ciclistas também têm à disposição seis pontos de apoio (Av. Miguel Yunes, Vila Olímpia, Santo Amaro, Cidade Jardim, Cidade Universitária e Villa Lobos-Jaguaré) com banheiro, bebedouro e atendimento.[1]

Planos futurosEditar

A CPTM tem planos de instalar na ciclovia um sistema de iluminação noturna composto de 764 lâmpadas LED, o que permitiria que a ciclovia funcionasse à noite. Tal sistema estava previsto para ser instalado no primeiro semestre de 2012[6], mas ainda não foi iniciado.

A ciclovia também é parte do projeto Parque Linear Pinheiros, sob responsabilidade da EMAE. No projeto consta a construção de uma ciclovia na outra margem do Rio Pinheiros e de nove travessias sobre o rio, localizadas próximo às estações de trem Jurubatuba, Santo Amaro, Granja Julieta, Berrini, Cidade Jardim, Pinheiros e Ceasa, aos parques Villa-Lobos e Burle Marx e à Ponte João Dias, além de uma travessia sobre o Rio Guarapiranga.[7]

A ampliação do horário de funcionamento da ciclovia, juntamente com a construção de travessias para a outra margem do Rio Pinheiros e um maior número de acessos, aumentariam seu potencial de utilização como meio de deslocamento diário, e não apenas de lazer.

Referências

Ligações externasEditar