Abrir menu principal

Empresa Metropolitana de Águas e Energia

EMAE - Empresa Metropolitana de Águas e Energia
Logo da Empresa Metropolitana de Águas e Energia S/A
Razão social Empresa Metropolitana de Águas e Energia S/A
Empresa estatal
Atividade Produção de Energia Elétrica e controle de cheias
Fundação São Paulo, Estado de São Paulo
1998
Fundador(es) Mário Covas
Sede São Paulo,  São Paulo
 Brasil
Proprietário(s) Governo do Estado de São Paulo
Produtos Energia Elétrica
Subsidiárias Sociedade de Propósito Específico Pirapora Energia S/A
Antecessora(s) Light S.E.S.A. e Eletropaulo

A EMAE - Empresa Metropolitana de Águas e Energia (BM&F Bovespa: EMAE3, EMAE4)[1][2][3][4] é uma empresa estatal brasileira vinculada ao governo do estado de São Paulo, encarregada de controlar o volume de água do Rio Pinheiros, através da Usina Elevatória de Traição, da Represa de Guarapiranga e da Represa Billings, além da geração de energia elétrica na Usina Hidrelétrica Henry Borden, entre outras usinas paulistas.[5][6]

HistóriaEditar

A EMAE foi fundada em 1 de abril de 1998, a partir da cisão da antiga estatal Eletropaulo. Além desta, que continuou sendo estatal, foram criadas (e posteriormente privatizadas) as empresas abaixo citadas.

EstruturaEditar

Ver tambémEditar

Referências

  1. «EMAE - EMPRESA METROP.AGUAS ENERGIA S.A.». BM&FBOVESPA - A Nova Bolsa (salvo em archive.is). 15 de abril de 2014. Consultado em 27 de março de 2018 
  2. «EMAE PN (EMAE4) Preço da ação». www.br.advfn.com. ADVFN. Consultado em 1 de abril de 2018 
  3. Ryngelblum, Ivan (9 de agosto de 2018). «Emae reverte prejuízo e tem lucro de R$ 16,3 milhões no 2º trimestre». www.valor.com.br. Valor Econômico (salvo em Wayback Machine). Consultado em 3 de fevereiro de 2019 
  4. «Emae reverte prejuízo e tem lucro de R$ 16,3 milhões no 2º trimestre» (PDF). www.empresaspublicas.imprensaoficial.com.br. Governo do Estado de São Paulo - Secretaria da Fazenda. 14 de março de 2018. Consultado em 3 de fevereiro de 2019 
  5. «EMAE - Empresa Metropolitana de Águas e Energia S.A.». EMAE - Empresa Metropolitana de Águas e Energia S.A. Consultado em 1 de abril de 2018 
  6. «Empresa Metropolitana de Águas e Energia S.A.» (PDF). Governo do Estado de São Paulo - Secretaria da Fazenda. 2010. Consultado em 1 de abril de 2018 
  7. Mendonça de Barros, Luiz Carlos (1 de março de 2005). «A privatização da Eletropaulo e o BNDES». www1.folha.uol.com.br. Tendências/Debates - Folha de S.Paulo. Consultado em 1 de dezembro de 2018 
  8. Maia, Camila (3 de dezembro de 2018). «Eletropaulo muda de nome e se torna Enel Distribuição São Paulo». Valor Econômico. Consultado em 4 de dezembro de 2018 
  9. Trevisan, Cláudia (18 de setembro de 1998). «Sem disputa, Bandeirante é vendida pelo preço mínimo». www1.folha.uol.com.br. Folha de S.Paulo. Consultado em 1 de dezembro de 2018 
  10. Portes, Ivone (28 de junho de 2006). «São Paulo privatiza empresa de transmissão de energia por R$ 1,193 bilhão». www1.folha.uol.com.br. Folha Online - Dinheiro - Folha de S.Paulo. Consultado em 1 de dezembro de 2018 

Ligações externasEditar