Ciro do Espírito Santo Cardoso

militar brasileiro

Cyro do Espírito Santo Cardoso (Lapa, 24 de agosto de 1898Belo Horizonte, 31 de agosto de 1979) foi um militar brasileiro, Ministro da Guerra durante o governo constitucional de Getúlio Vargas.[1]

Cyro do Espírito Santo Cardoso
Dados pessoais
Nascimento 28 de agosto de 1898 Paraná Lapa
Morte 31 de agosto de 1979 (81 anos) Minas Gerais Belo Horizonte
Vida militar
Força Exército
Hierarquia Marechal.gif Marechal
Comandos

Carreira MilitarEditar

Filho de Augusto Inácio do Espírito Santo Cardoso e de Ana Fernandes Cardoso, concluiu o curso da Escola Militar do Realengo, em 1918.[1]

Em julho de 1922, instrutor da escola, participou do movimento tenentista, sublevando a escola. Foi preso, condenado a um ano e quatro meses de reclusão. Fato que segurou sua carreira militar até a vitória da Revolução de 1930, com a anistia concedida em novembro de 1930.[1]

Entre 1948 e 1950, comandou a Escola Militar de Resende, sendo transferido, em maio, para Fortaleza, como comandante da 10ª Região Militar.[1]

Durante o governo constitucional de Getúlio Vargas, foi chefe do Gabinete Militar, de 31 de janeiro de 1951 a 31 de março de 1952.[1]

Em seguida, foi ministro da Guerra de 26 de março de 1952 a 23 de fevereiro de 1954. Depois da divulgação do Manifesto dos Coronéis, foi exonerado do cargo.[2]

Além disso, exerceu o cargo de diretor de Ensino do Exército até o final de 1954. Posteriormente, esteve no comando da 4ª Região Militar, em Juiz de Fora até o início de 1956. Retornou-se ao Rio de Janeiro em março de 1956 sendo diretor-geral do Serviço Militar; contudo, em dezembro daquele mesmo ano, tornou-se diretor-geral de Material Bélico, trabalhando nesta função até maio de 1957.[1]

Entre 3 de abril e 7 de agosto de 1959, foi Chefe do Departamento-Geral do Pessoal.[3]

Passou para a reserva em julho de 1959.

Faleceu em Belo Horizonte no dia 31 de agosto de 1979.

Referências

  1. a b c d e f «Biografia de Ciro do Espírito Santo Cardoso no site do CPDOC/FGV». Consultado em 3 de abril de 2021 
  2. «Comandantes do Exército Brasileiro». Consultado em 3 de abril de 2021 
  3. «Galeria de antigos Chefes do DGP». Consultado em 3 de abril de 2021 

Ligações externasEditar


Precedido por
Álvaro Pratti de Aguiar
 
4º Comandante da Escola Militar de Resende

1948–1950
Sucedido por
Manuel de Azambuja Brilhante
Precedido por
Newton de Andrade Cavalcanti
 
13º Chefe do Gabinete Militar da Presidência da República

1951–1952
Sucedido por
Aguinaldo Caiado de Castro
Precedido por
Newton Estillac Leal
 
34º Ministro da Guerra do Brasil (República)

1952–1954
Sucedido por
Euclides Zenóbio da Costa
Precedido por
Jaime de Oliveira
 
3º Chefe do Departamento-Geral do Pessoal

1959
Sucedido por
Nestor Souto de Oliveira