Classe Niterói

A classe Niterói é uma classe de fragatas da Marinha do Brasil, atualmente sucedida pela Classe Tamandaré.

Classe Niterói
Fragata Constituição (F-42)
Visão geral    Bandeira da marinha que serviu
Nome Classe Niterói
Operador(es) Naval Jack of Brazil.svg Brasil
Construtor(es) Vosper Thornycroft
Arsenal de Marinha do Rio de Janeiro
Sucedida por Classe Tamandaré
Subclasses NE Brasil (U-27)
Unidade inicial F Niterói (F-40)
Unidade final F União (F-45)
Lançamento 1975
Em serviço 1976 -
Características gerais
Tipo Fragata
Deslocamento 3.200 Ton. (padrão) e 3.800 Ton. (carregado)
Comprimento 129,20 m
Boca 13,50 m
Calado 5,50 m
Propulsão CODOG (Combinação Diesel ou Gás), Com 2x turbinas a gás Rolls-Royce, Olympus TM-3B com 28.000hp cada, 4x motores MTU 16V956 TB91 com 3.940hp cada, acoplados a dois eixos.
Velocidade 30 nós
Autonomia 5 300 a 17 nós
Sensores Sistema de combate SICONTA Mk.2
Contramedidas electrônicas Omnisys ET/SLQ-1A
Radar de pesquisa aérea SELEX Sistemi RAN 20S (2D) alcance médio de 117km
Radar diretor de tiro SELEX Sistemi RTN-30X com alcance médio de 39Km
Sonares EDO Corp. 997(F) / Pesquisa activa/ataque
Armamento Mísseis antinavio MM-40 EXOCET Block I
Sistema de lançamento Albatros para mísseis ALENIA-Marconi Aspide-2000
1 canhão Vickers Mk 8 mod.0 4,5 polegadas (115 mm) com alcance de 22 Km
2 canhões antiaéreo BAE Systems Bofors Trinity Mk 3
lançadores para torpedos Mk-46.
Aeronaves Um helicóptero Westland AH-11A Super Lynx ou UH-12/13 Esquilo
Tripulação 217
Disambig grey.svg Nota: Se procura outros significados de Niterói, veja Niterói (desambiguação).

HistóriaEditar

No alvorecer da década de 1970 a Marinha do Brasil abriu uma concorrência internacional para uma nova série de navios, destinada a substituir unidades mais antigas, de origem americana, construídas durante a Segunda Guerra Mundial.

Foi especificado que esses novos navios deveriam possuir grande autonomia operacional e ser capazes de manter velocidades que os habilitassem à escolta de comboios rápidos, assim como, quando necessário, desenvolver altas velocidades.

A concorrência foi vencida pela empresa britânica Vosper Thornycroft com o projeto da Vosper Mk10, de 3 500 toneladas, concebida como uma plataforma multifuncional com alguma ênfase em guerra anti-submarina. Foram assim construídas seis unidades, as quatro primeiras nos estaleiros da Vosper e os dois últimos no Arsenal de Marinha do Rio de Janeiro (AMRJ).

A autorização para a construção foi dada pelo governo brasileiro em setembro de 1970, como parte do Programa de Renovação e Ampliação de Meios Flutuantes da Marinha. As novas fragatas entraram em serviço entre 1976 e 1980, e passaram por extenso programa de modernização iniciado em 1997, chamado ModFrag, realizado no Arsenal de Marinha.

MissãoEditar

São Navios-Escolta. Podem localizar e destruir aeronaves, navios de superfície e submarinos inimigos, além de efetuar patrulhas nas nossas águas.[1]

Vosper Mk 10Editar

Vosper Mk 10 é a designação britânica do projeto das fragatas classe Niterói da Marinha do Brasil. O estaleiro britânico Vosper Thornycroft, ao longo das décadas de 1960 e 1970, projetou e construiu uma série de corvetas/fragatas. O projeto MK 10 foi a evolução definitiva e mais avançada dessa linha de unidades navais de combate.

Evolução do ProjetoEditar

O projeto inicial, conhecido como Mk 1, resultou numa corveta com 500 t de deslocamento. Duas unidades foram construídas para a Marinha de Gana em 1964/1965 e outra para a Líbia em 1966. Posteriormente veio a Mk 3, um pouco maior (660 t), com duas unidades entregues à Marinha da Nigéria em 1972. Nesta mesma época a Marinha do Irã recebeu as quatro unidades da classe MK 5, conhecidas naquele país como classe Saam (de 1540 t). A evolução do projeto Mk 5 levou ao desenvolvimento do projeto Mk 7, legeiramente maior que seu antecessor (uma única unidade encomendada pela Líbia). Duas unidades Mk 9 ainda foram projetadas para a Marinha da Nigéria. Lançadas em 1980 e 1981, estas duas unidades eram bem menores (780 t), mas fortemente armadas.

O maior sucesso comercial da família de projetos da Vosper foi a classe Tipo 21 ou Amazon. Oito unidades foram construídas para a Marinha Real Britânica sendo que sete navios participaram da Guerra das Malvinas e dois foram afundados. O projeto Mk 10 deriva muito das fragatas Tipo 21.

ControvérsiasEditar

Segundo documentos liberados pelo governo britânico em 2009, a compra das fragatas foi superfaturada pelo estaleiro Vosper Thornycroft em £ 500 mil. Apesar do governo britânico ter iniciado uma investigação em 1979 (após o processo de nacionalização do estaleiro), tendo oferecido o ressarcimento do valor, o governo brasileiro recusou. [2]

Lista de navios[1]Editar

Número de Amura Nome Batimento de Quilha Lançamento Comissionamento Descomissionamento/Status Construtores
F-40[3] Niteroi 8 de junho de 1972 8 de fevereiro de 1974 20 de novembro de 1976 28 de junho de 2019[4] Vosper Thornycroft
F-41[5] Defensora 14 de dezembro de 1972 27 de março de 1975 5 de março de 1977 Em serviço ativo Vosper Thornycroft
F-42[6] Constituição 13 de março de 1974 15 de abril de 1976 31 de março de 1978 Em serviço ativo Vosper Thornycroft
F-43[7] Liberal 2 de maio de 1975 7 de fevereiro de 1977 18 de novembro de 1978 Em serviço ativo Vosper Thornycroft
F-44[8] Independência 11 de junho de 1972 2 de setembro de 1974 3 de setembro de 1979 Em serviço ativo Arsenal de Marinha do Rio de Janeiro
F-45[9] União 11 de junho de 1972 14 de março de 1975 12 de setembro de 1980 Em serviço ativo Arsenal de Marinha do Rio de Janeiro
U-27[10] Brasil 18 setembro de 1981 23 de setembro de 1983 21 de agosto de 1986 Em serviço ativo Arsenal de Marinha do Rio de Janeiro

Referências

  1. a b admin (20 de fevereiro de 2019). «Fragatas (Classe Niterói)». Marinha do Brasil. Consultado em 16 de agosto de 2022 
  2. Daniel Buarque (2 de junho de 2018). «Ditadura abafou apuração de corrupção dos anos 70, revelam documentos britânicos». Folha de S. Paulo. Consultado em 2 de junho de 2018 
  3. «NGB - Fragata Niterói - F 40». www.naval.com.br. Consultado em 16 de agosto de 2022 
  4. Galante, Alexandre (24 de junho de 2019). «Mostra de Desarmamento da Fragata Niterói - F40». Poder Naval - Navios de Guerra, Marinhas de Guerra, Aviação Naval, Indústria Naval e Estratégia Marítima. Consultado em 16 de agosto de 2022 
  5. «NGB - Fragata Defensora - F 41». www.naval.com.br. Consultado em 16 de agosto de 2022 
  6. «NGB - Fragata Constituição - F 42». www.naval.com.br. Consultado em 16 de agosto de 2022 
  7. «NGB - Fragata Liberal - F 43». www.naval.com.br. Consultado em 16 de agosto de 2022 
  8. «NGB - Fragata Independência - F 44». www.naval.com.br. Consultado em 16 de agosto de 2022 
  9. «NGB - Fragata União - F 45». www.naval.com.br. Consultado em 16 de agosto de 2022 
  10. «NGB - Navio Escola Brasil - U 27». www.naval.com.br. Consultado em 16 de agosto de 2022 

Ver tambémEditar

Ligações externasEditar

O Commons possui imagens e outros ficheiros sobre Classe Niterói



  Este artigo sobre a Marinha do Brasil é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.