Cleônimo

Cleônimo (português brasileiro) ou Cleónimo (português europeu) (em grego: Κλεώνυμος; romaniz.: Kleốnumos) é o pai do rei ágida Leônidas II de Esparta,[1][2] ele era filho do rei Cleômenes II.[3][4] Reinou na viragem do século IV para o século III a.C.

Cleônimo
Nascimento século IV a.C.
Morte Desconhecido
Progenitores
Cônjuge Quilônis
Filho(s) Leónidas II
Irmão(s) Acrótato (filho de Cleômenes II)
Ocupação líder militar

Cleômenes tinha dois filhos, Acrótato e Cleônimo.[4][5] Acrótato morreu antes de Cleômenes,[4][5] e o próximo rei ágida passou a ser Areu I, filho de Acrótato.[4][5]

Cleônimo ficou furioso por ter sido preterido por seu sobrinho Areu, e, para pacificá-lo, o éforos deram-lhe várias honras, como o comando do exército.[6]

Cleônimo foi enviado à Itália para auxiliar a colônia espartana de Tarento, que estava em guerra com Lucânia e os romanos.[7] Segundo Diodoro Sículo, ele agiu de forma indigna de Esparta, vivendo em luxo e escravizando os que confiaram nele.[8]

Apesar de ter ganho o comando do exército, ele cometeu atos contra Esparta, trazendo Pirro, rei do Epiro, para invadir a Lacônia.[6]

Outro motivo para a traição de Cleônimo, segundo Plutarco, foi porque ele tinha uma jovem mulher, Quilônis filha de Leotíquides (o texto não dá mais detalhes; há vários espartanos com este nome), mas esta preferia Acrótato, filho do rei Areu I.[9]

Ver tambémEditar

Árvore genealógica baseada em Plutarco e Pausânias:

Referências

  1. Plutarco, Vidas Paralelas, Vida de Ágis, 3.5
  2. Pausânias (geógrafo), Descrição da Grécia, 3.6.7
  3. Plutarco, Vidas Paralelas, Vida de Ágis, 3.3
  4. a b c d Pausânias, Descrição da Grécia, 3.6.2
  5. a b c Plutarco, Vidas Paralelas, Vida de Ágis, 3.4
  6. a b Pausânias, Descrição da Grécia, 3.6.3
  7. Diodoro Sículo, Biblioteca Histórica, Livro XX, 104.1
  8. Diodoro Sículo, Biblioteca Histórica, Livro XX, 104.4
  9. Plutarco, Vidas Paralelas, Vida de Pirro, 26.8