Abrir menu principal
Question book-4.svg
Esta página cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde abril de 2017). Ajude a inserir referências. Conteúdo não verificável poderá ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Clube do Balanço
Informação geral
Origem São Paulo
País  Brasil
Gênero(s) MPB, samba, samba rock, sambalanço, samba funk, soul, funk
Período em atividade 1999 - data presente
Afiliação(ões) Bebeto, Paula Lima, Luís Vagner, Marku Ribas, Max de Castro, Wilson Simoninha, Erasmo Carlos, Nei Lopes, Seu Jorge, Ivo Meirelles
Integrantes
  • Marco Mattoli
  • Tereza Gama
  • Edu Peixe
  • Gringo Pirrongeli
  • Fred Prince
  • Marcelo Maita
  • Reginaldo 16
  • Tiquinho
Página oficial www.clubedobalanco.com.br

O Clube do Balanço é um conjunto musical paulistano de samba-rock, sambalanço, samba funk e soul. A história do Clube do Balanço é bem peculiar, não tem nada em comum com a trajetória de outras bandas, não surgiu numa mesa de bar e nem é resultado de uma reunião de amigos da escola. O Clube do Balanço foi criado, em 1999, para uma festa inspirados no baile de sexta-feira do Grenn Express, local onde se manteve viva a cultura do samba-rock. Nenhum dos músicos envolvidos sabia bem no que ia dar, a tradição das ultimas duas décadas ate o surgimento da banda desses bailes era a discotecagem mas aceitaram a divertida empreitada.

A idéia era fazer um baile que além de uma discotecagem tradicional, também, tivesse música ao vivo como era nos anos 70 e 80, época considerada como a era de ouro dos bailes de salão. O local escolhido para a festa foi a COHAB I,[1] localizada em Arthur Alvim, periferia de São Paulo. A divulgação foi feita pelo “boca-a-boca” e por cartazes improvisados.

A apresentação foi um sucesso e a pista ficou pequena para comportar todos os que queriam dançar. A coisa deu tão certo que logo eles tiveram que procurar novos espaços para tocar, e lá se foram rumo à Vila Madalena - bairro boêmio de São Paulo- com a proposta de fazer uma domingueira. Começaram no Grazie a Dio, onde permaneceram por 2 anos. A partir daí o Clube do Balanço não parou mais.

As domingueiras comandadas pelo Clube reunia admiradores saudosos do samba-rock e também uma garotada que tinha acabado de descobrir este estilo musical, ali era, literalmente, um espaço democrático. Diversos cantores passaram por lá para curtir a festa e acabaram participando dos shows, alguns deles tornaram-se parceiros do CDB entre eles: Bebeto, Paula Lima, Luís Vagner, Marku Ribas, Max de Castro, Wilson Simoninha e outros tantos.[2]

O primeiro álbum do Clube do Balanço - Swing & Samba rock -foi lançado em 2001, os integrantes da banda o definiram como “o fruto de uma feliz, divertida e inusitada formação de uma comunidade artística, a fim de redescobrir e revigorar o baile de samba-rock”.

O lançamento deste disco aconteceu no extinto Blen Blen e bateu recorde de público. A festa, assim como o álbum, contou com diversas participações especiais, entre elas a do "Tremendão"- Erasmo Carlos. A crítica especializada quando ouviu o repertório passou a considerá-lo: uma obra “auditiva enciclopédica” com “o melhor da produção suingueira nacional do fim dos anos 60 e começo dos 70”.

Em 2005 veio o segundo disco - Samba Incrementado - mais autoral e sem participações. Em julho de 2009 o Clube do Balanço lançou seu terceiro álbum Pela Contramão, as 12 canções que compõem o disco são totalmente autorais e têm umas pitadas de jazz e soul. O álbum Menina da Janela de 2014, traz uma parceria com o sambista Nei Lopes,[nota 1] co-autor de "Time contra".[3]

Índice

DiscografiaEditar

Ver tambémEditar

Notas

  1. Artista de samba tradicional, Lopes havia elogiado a banda em seu blog, o texto está disponível no Internet Archive: O sambalanço saúda o dia do samba

Referências

Ligações externasEditar