Abrir menu principal
Cneu Pompeu Colega
Cônsul do Império Romano
Consulado 71 d.C.

Cneu Pompeu Colega (em latim: Gnaeus Pompeius Collega) foi um senador romano nomeado cônsul sufecto para o nundínio de novembro a dezembro de 71 com Quinto Júlio Córdio[1].

CarreiraEditar

Sua carreira política é conhecida apenas parcialmente. Colega foi legado da Legio IV Scythica, estacionada na Síria em 70[2]. O recém-empossado governador, Lúcio Júnio Cesênio Peto, ainda não havia chegado e, como o mais sênior dos oficiais na região, Colega atuava como governador. Neste período, um incêndio irrompeu em Antioquia e, segundo Flávio Josefo, todo o mercado, as cortes legais e os edifícios civis vizinhos foram destruídos. A comunidade judaica local foi acusada de ser a causadora do incêndio e os cidadãos de Antioquia começaram a atacá-los. Depois de muita dificuldade, Colega conseguiu conter a população e iniciou uma investigação para descobrir a causa do incêndio. Ele descobriu que os judeus não apenas eram inocentes, mas que o fogo foi "obra de patifes que, pressionados por suas dívidas, imaginaram que se queimassem o mercado e os registros públicos, estariam livres de todas as dívidas"[3]. É provável que esta atuação tenha lhe valido a nomeação para o consulado no ano seguinte.

O outro cargo conhecido de Colega foi o de governador da Galácia, onde duas inscrições diferentes atestam sua administração. Uma é um miliário[4] e a outra, uma dedicação em Antioquia na Pisídia celebrando seu patrocínio da cidade[5]. Werner Eck data seu mandato na região entre os anos de 73 e 77[6].

FamíliaEditar

Colega tem sido identificado como sendo o pai de Sexto Pompeu Colega, cônsul em 93.

Ver tambémEditar

Referências

  1. Giuseppe Camodeca, "Novità sui fasti consolari delle tavolette cerate della Campania", Publications de l'École française de Rome, 143 (1991), pp. 57–62
  2. Werner Eck, "Jahres- und Provinzialfasten der senatorischen Statthalter von 69/70 bis 138/139", Chiron, 12 (1982), pp. 287-289
  3. Flávio Josefo, Antiguidades Judaicas VII.53-61
  4. ILS, 8904
  5. CIL III, 6817
  6. Werner Eck, "Jahres- und Provinzialfasten", pp. 293-298