Cobadim de Xiraz
Conhecido(a) por Almagesto
Nascimento outubro de 1236
Cazerum, Pérsia
Morte 7 de fevereiro de 1311 (74 anos)
Tabriz, Irã
Nacionalidade iraniano
Religião Islamismo

Cobadim[1] de Xiraz (em persa: قطبالدین محمود بن مسعود شیرازی; transl.: Qut(a)b al-Din al-Shirazi; Cazerum, outubro de 1236Tabriz, 7 de fevereiro de 1311) foi um cientista, filósofo e poeta persa, o qual fez contribuições intensivas no campo da astronomia, matemática, medicina, física, teoria musical e sufismo.[2] Publicou inúmeras obras em todos seus campos de trabalho: na matemática, traduziu textos de Naceradim de Tus em quinze capítulos; na astronomia, apresentou um modelo planetário, influenciado pelos estudos de Ptolomeu, discutindo a então possibilidade do heliocentrismo; na filosofia, escreveu um trabalho enciclopédico para o governador da terra iraniana de Gilam, incluindo como tema misticismo e teologia; na medicina, traduziu um comentário abrangente no Kolliyāt de O Cânone da Medicina e propôs um tratado sobre hanseníase; e, em outros ramos, estudou o impacto social do Alcorão, dedicou-se a pesquisas sobre a sintaxe árabe e também analisou a filosofia retórica.[3]

Cobadim de Xiraz nasceu em Cazerum em uma família de tradição sufista. Seu pai, Ziadim Maçude de Cazerum, era médico e líder da ordem sufi. O filho, portanto, seguiu a formação profissional do progenitor e começou a estudar medicina com o mesmo, no hospital Mozafari em Xiraz. Seu pai morreu quando Cobadim tinha 14 anos e, a partir daí, começou a ter lições com seus tios, com quem leu O Cânone da Medicina. Como estudante, resolveu inúmeros problemas na companhia de Naceradim de Tus. Nessa companhia, conseguiu construir um observatório de astronomia, o qual lhe possibilitou a conclusão de uma nova tabela astronômica.[4]

Em seus estudos, viajou para Maraga, Caspim, Ispaã e Bagdá; em seguida, compilou os livros al-Meftah Meftah e Ekhtiārāt al-moẓaffariya, além de escrever e revisar textos de governadores do Irã e do Egito. Sua última viagem foi a Tabriz, onde permaneceu até a morte, em 7 de fevereiro de 1311. Foi enterrado no Cemitério Municipal de Čarandāb.[5]

Referências

  1. Barros 1945, p. 52.
  2. Fred Espenak, Six Millennium Catalog of Venus Transits 
  3. S. M. Razaullah Ansari (2002), History of oriental astronomy: proceedings of the joint discussion-17 at the 23rd General Assembly of the International Astronomical Union, organised by the Commission 41 (History of Astronomy), held in Kyoto, August 25–26, 1997, ISBN 1-4020-0657-8, Springer, p. 137 
  4. Nasr, Seyyed Hossein (2008) [1970-80]. «Quṭb Al-Dīn Al-Shīrāzī». Complete Dictionary of Scientific Biography. Encyclopedia.com 
  5. Ragep, F. Jamil (2007). «Shīrāzī: Quṭb al‐Dīn Maḥmūd ibn Masʿūd Muṣliḥ al‐Shīrāzī». In: Thomas Hockey; et al. The Biographical Encyclopedia of Astronomers. New York: Springer. pp. 1054–5. ISBN 978-0-387-31022-0 

BibliografiaEditar

  • Barros, João de (1945). Ásia de João de Barros: Dos Feitos, Que Os Portugueses Fizeram no Descobrimento, e Conquista Dos Mares, e Terras do Oriente. Lisboa: Divisão de Publicações e Biblioteca, Agência geral das Colónias 
  Este artigo sobre um(a) cientista é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.