Comando de Defesa Aeroespacial da América do Norte

North American Aerospace Defense Command logo.svg

A North American Aerospace Defense Command (NORAD) conhecido até março de 1981 como o Comando de Defesa Aérea da América do Norte, é uma organização conjunta do Estados Unidos e Canadá, que faz o controle aeroespacial, a soberania do ar, e proteção da América do Norte, o quartel-general do NORAD e o centro do NORAD / Comando Norte dos Estados Unidos (USNORTHCOM) estão localizados na Base Aérea de Peterson no Condado de El Paso, perto de Colorado Springs, Colorado. O Complexo da Montanha Cheyenne tem o Centro de Comando Alternativo. O comandante e o vice-comandante do NORAD (CINCNORAD) são, respectivamente, um general quatro estrelas dos Estados Unidos ou equivalente e um general três estrelas canadense ou equivalente.[1]

OrganizaçãoEditar

O CINCNORAD mantém o quartel-general do NORAD na Base Aérea de Peterson, perto de Colorado Springs, Colorado. O Centro de Comando NORAD e USNORTHCOM em Peterson AFB serve como uma instalação central de coleta e coordenação para um sistema mundial de sensores projetado para fornecer ao comandante e à liderança do Canadá e dos EUA uma imagem precisa de qualquer ameaça aeroespacial ou marítima.[2]  NORAD dividiu administrativamente a massa de terra da América do Norte em três regiões:

  • Região do Alasca NORAD (ANR);
  • Região NORAD (CANR) canadense;
  • Região Continental dos EUA (CONR).

Ambas as regiões CONR e CANR são divididas nos setores leste e oeste.[3]

Estados Unidos fora do NORAD: Havaí, Guam e região do PacíficoEditar

O Havaí é o único estado dos Estados Unidos com um Alerta de Emergência pré-programado que pode ser enviado rapidamente para dispositivos sem fio (telefones celulares) se um míssil balístico estiver indo em direção ao Havaí. Se o míssil for disparado da Coreia do Norte, o míssil levaria aproximadamente 20 minutos para chegar ao Havaí. O PACOM levaria menos de 5 minutos para determinar que o míssil poderia atingir o Havaí e, então, notificaria a Agência de Gerenciamento de Emergências do Havaí (HI-EMA). HI-EMA iria emitir a Defesa Civil Aviso (CDW) de que um míssil que se aproxima pode atingir o Havaí e que as pessoas devem se abrigar. As pessoas no Havaí teriam de 12 a 15 minutos antes do impacto. A Federal Emergency Management Agency (FEMA) não precisa ser notificada para aprovação para cancelar um alerta. Os portadores de sinal permitem que as pessoas bloqueiem alertas de agências estaduais e de aplicação da lei, mas não aqueles emitidos pelo presidente. A FEMA pode enviar alertas para públicos-alvo, mas não implementou isso em janeiro de 2018. Outros estados podem levar até 30 minutos para criar, inserir e distribuir um alerta de míssil.[4][5] O sistema nacional de alertas de emergência sem fio para dispositivos móveis foi testado pela primeira vez em 3 de outubro de 2018.

Ver tambémEditar

Referências

  1. NORAD - Fact Sheet Arquivado 2013-11-01 no Wayback Machine
  2. «North American Aerospace Defense Command». web.archive.org. 9 de maio de 2013. Consultado em 24 de julho de 2021 
  3. Schaffel, Kenneth (1991). Emerging Shield: The Air Force and the Evolution of Continental Air Defense 1945–1960 (45MB PDF). General Histories (Report). Office of Air Force History. ISBN 0-912799-60-9
  4. «Federal responsibility in nuclear attack alerts is unclear». Star-Advertiser. Honolulu. Associated Press. 17 de janeiro de 2018. Consultado em 18 de janeiro de 2018 
  5. Wu, Nina (17 de janeiro de 2018). «State education department addresses missile scare». Star-Advertiser. Honolulu. Consultado em 18 de janeiro de 2018 

Ligações externasEditar

  Este artigo sobre tópicos militares é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.