Abrir menu principal
"Como Dois e Dois"
Canção de Roberto Carlos
do álbum Roberto Carlos
Publicação 1971
Lançamento 1971
Gravação 1971
Gênero(s) Soul, MPB, Romântico
Duração 3:23
Gravadora(s) CBS
Letra Caetano Veloso
Faixas de Roberto Carlos
12
Faixas de Roberto Carlos
"Detalhes"
(1)
"A Namorada"
(3)

"Como Dois e Dois" é uma canção de Caetano Veloso e lançada por Roberto Carlos, de 1971. Na música Caetano esclarece em alguns versos que demonstra seus sentimentos em suas canções: "Tudo é igual quando eu canto e sou mudo/Mas eu não minto, não minto, estou longe e perto/Sinto alegrias tristezas e brinco" esclarecendo fatos de que canta sem emoção, na canção ele rebate o fato dizendo entrelinha que pode cantar sem emoção, mas na composição ponha sua emoção. Essa uma das músicas românticas do Roberto Carlos que não tem a ver com a filosofia, com a sua vida, com os direitos humanos, com a ética ou com a religião cristã. Roberto Carlos gravou a canção no estúdio da CBS em St. Louis, e, não foi por menos, ao se escolher o ritmo "blues", se desejou colocar todos os ingredientes ideológicos que denunciassem a falta de liberdade e expressão imposta pela ditadura do Brasil, e assim temendo qualquer ingerência ou censura no trabalho, Roberto e sua equipe de produção, não tiveram dúvidas e partiram para os EUA onde foi feita a gravação, que, curiosamente, contou com uma original banda de blues e um característico coral feminino, mesmo não havendo esse planejamento da equipe.

A canção também foi gravada por Gal Costa figurando no álbum Fa-Tal - Gal a Todo Vapor de 1971 e em Live in London '71, lançado em 2014.[1]

Mesmo a canção sendo composta em 1971 apenas em 2007 Caetano a gravou oficialmente no álbum: "Cê - Ao Vivo".

Pela sua dualidade entre o plano romântico e político, "Como Dois e Dois" gerou influência para a sentença popular "tudo certo como dois e dois são cinco" para expressar quando algo ou algum momento não vai bem. Também serviu de fonte de inspiração para os títulos dos livros Como Dois e Dois São Cinco: Roberto Carlos (& Erasmo & Wanderléa) (2004), de Pedro Alexandre Sanches,[2] e, Tudo em volta está deserto: encontros com a literatura e a música no tempo da ditadura (2017), de Eduardo Jardim.[3]

Referências

  1. Vieira, Renato (16 de agosto de 2014). «CD recupera show inédito de Gilberto Gil e Gal Costa». Estadão. Consultado em 14 de julho de 2018 
  2. Matias, Alexandre (7 de dezembro de 2004). «Livro revê a trajetória de Roberto Carlos». Folha de S.Paulo. Consultado em 14 de julho de 2018 
  3. Guimarães, Cleo (22 de novembro de 2017). «Foto rara de Gal Costa é destaque em livro». O Globo. Consultado em 14 de julho de 2018 

BibliografiaEditar

=

  Este artigo sobre uma canção é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.