Constantínos Apóstolos Doxiádis

Constantínos Apóstolos Doxiádis, em grego Κωνσταντίνος Απόστολος Δοξιάδης, (Asenovgrad, 14 de maio de 1913Atenas, 28 de junho de 1975) foi um importante arquiteto e urbanista grego.

Constantínos Apóstolos Doxiádis
Κωνσταντίνος Απόστολος Δοξιάδης
Constantínos ensinando princípios de equística
Conhecido(a) por pioneiro da teoria equística
Nascimento 14 de maio de 1913
Stanimaka (Asenovgrad), Reino da Bulgária
Morte 28 de junho de 1975 (62 anos)
Atenas, Grécia
Nacionalidade argentino
Alma mater
Campo(s) Arquitetura e urbanismo

Pioneiro da teoria equística, de planejamento urbano, Constantínos o principal responsável pelo projeto da capital do Paquistão, Islamabad, e, depois, de sua fusão linear com Rawalpindi. Liderou o movimento chamado equística, e formulou o conceito da ecumenópolis. É reputado pela sua elevada contribuição para o "alto" modernismo na arquitetura.

BiografiaEditar

Constantínos nasceu em Asenovgrad, que até 1934 se chamava Stanimaka, na época pertencente ao Reino da Bulgária, em 1913. Era filho de Apostolos e Evanthia (Mezeviri) Doxiadis. Seu pai foi pediatra e Ministro dos Refugiados, Seguridade Social e da Saúde Pública, tendo organizado vários serviços sociais e de saúde em seu mandato, especialmente para crianças. Constantínos formou-se em arquitetura e engenharia pela Universidade Técnica Nacional de Atenas em 1935, e obteve um doutorado pela Universidade Técnica de Berlim, um ano depois.[1]

CarreiraEditar

Em 1937, ele foi indicado como diretor do escritório planejamento urbano da região metropolitana de Atenas e, durante a guerra (1940-1945) foi diretor do departamento regional e de planejamento urbano do Ministério de Obras Públicas, além de ter servido como cabo no Exército Grego. Durante a ocupação da cidade, ele foi chefe do movimento nacional de resistência, o Hephaestus, e também publicava uma revista chamada "Planejamento Regional, Urbano e Equistica", a única revista técnica clandestina publicada em territórios ocupados no mundo.[1]

Na época da libertação da Grécia, em 1945, Constantínos deixou o exército e com o posto de capitão. Em seguida, viajou para San Francisco, para a conferência de paz, como membro da representação grega. Em 1945, ele trabalhou como representante grego na Inglaterra, França e Estados Unidos, empenhado em resolver problemas de reconstrução pós-guerra.[1]

Entre 1945 e 1951, Constantínos foi um dos principais líderes da restauração dos tempos de paz na Grécia, primeiro com vice-secretário e depois como diretor-geral do Ministério de Habitação e Reconstrução (1945-48) e, subsequentemente, como coordenador ministerial do programa de reconstrução e vice-secretário do Ministério da Coordenação Social. Também foi chefe da delegação grega na conferência das Nações Unidas para Habitação, Planejamento e Reconstrução (1947) e chefe da delegação na Conferência de Reparações na Guerra Greco-Italiana (1949-50).[1]

Em 1953, Constantínos fundou a Doxiadis Associates, empresa privada de consultoria em engenharia e arquitetura, com uma equipe de arquitetos com quem ele já tinha trabalho nos programas nacionais de reconstrução pós-guerra. A empresa cresceu rápido, chegando a ter escritórios em cinco continentes e projetos em mais de 40 países. Em 1958, Constantínos fundou a Athens Technological Organization (ATO) e em 1963 a Athens Center of Ekistics. De 1958 a 1971, ele lecionou os princípios da equistica na ATO, além de ser professor convidado em várias universidades dos Estados Unidos, bem como em Oxford e Dublin.[1]

No Brasil, em 1964, foi o responsável pelo chamado Plano Doxiadis, de reformulação urbanística e de desenvolvimento do estado da Guanabara.[2] Entre 1963 e 1964, foi representante grego em vários comitês das Nações Unidas, em Nova Iorque e chefe da sessão de problemas urbanos da conferência da ONU.[1]

Últimos anos e morteEditar

Em seus últimos anos, Constantínos foi acometido pela esclerose lateral amiotrófica, o que levou a uma paralisia gradual, depois completa, em um período de três anos. Ainda assim, ele escrevia e analisava sua própria doença, na esperança de que viesse a ajudar aos médicos a melhor lutar contra ela. Constantínos morreu na manhã de 28 de junho de 1975, em sua casa em Atenas, aos 62 anos.[1][3]

Publicações de DoxiadisEditar

LivrosEditar

  • Doxiadis, Constantinos A. (1960). Dynapolis The City Of The Future / Dynapolis, a cidade do futuro[4]
  • Doxiadis, Constantinos A. (1966). Emergence and Growth of an Urban Region: The Developing Urban Detroit Area / Emergência e crescimento de uma região urbana: a área urbana em desenvolvimento de Detroit. Detroit: Detroit Edison.
  • Doxiadis, Constantinos A. (1966). Urban Renewal and the Future of the American City / Renovação Urbana e o Futuro da Cidade Americana. Chicago: Serviço de Administração Pública.
  • Doxiadis, Constantinos A. (1968). Ekistics: An Introduction to the Science of Human Settlements / Ekistics: Uma introdução à ciência dos assentamentos humanos. Nova York: Oxford University Press.
  • Doxiadis, Constantinos A. (1974). Anthropopolis: City for Human Development / Antropópolis: Cidade para o Desenvolvimento Humano. Nova York: WW Norton.
  • Doxiadis, Constantinos A.; Papaioannou, JG (1974). Ecumenopolis: The Inevitable City of the Future / Ecumenópolis: a cidade inevitável do futuro. Atenas: Athens Center of Ekistics.
  • Doxiadis, Constantinos A. (1975). Building Entopia / Construindo Entopia. Atenas: Centro de Publicação de Atenas.
  • Doxiadis, Constantinos A. (1976). Action for Human Settlements / Ação para Assentamentos Humanos. Nova York: WW Norton.

Artigos de periódicosEditar

Publicações sobre DoxiadisEditar

  • Kyrtsis, Alexandros-Andreas (2006). Constantinos A. Doxiadis: texts, design drawings, settlements. Athens: Ikaros
  • Tsiambaos, Kostas (2018). From Doxiadis' Theory to Pikionis' Work: Reflections of Antiquity in Modern Architecture. London & New York: Routledge 
  • Amygdalou, K., Kritikos, C. G., Tsiambaos, K. (2018). The Future as a Project: Doxiadis in Skopje. Athens: Hellenic Institute of Architecture 

Referências

  1. a b c d e f g «Biographical Note». Doxiádis Official Website. Consultado em 26 de junho de 2020 
  2. «Guanabara and Rio de Janeiro Master Plan». Doxiádis Official Website. Consultado em 26 de junho de 2020 
  3. Wolfgang Saxon (ed.). «Constantinos Doxiadis, City Planner, Is Dead at 62». The New York Times. Consultado em 26 de junho de 2020 
  4. Doxiadēs, Kōnstantinos Apostolou (1960). Dynapolis, the city of the future. Athens: Doxiadis Associates 

Ligações externasEditar