Abrir menu principal

A Consulta Popular é uma organização política e movimento popular de cunho socialista.[1] Foi fundada em 1997 por militantes de 350 movimentos populares atuantes no Brasil.[2] Próximos do Partido dos Trabalhadores e do Movimento dos Sem-Terra, mas com um distanciamento crítico em relação às estratégias eleitorais petistas, seus idealizadores julgavam ser necessário mobilizar a sociedade brasileira em torno de um projeto de esquerda para além das eleições.[3] Dentre seus fundadores figuram personalidades como João Pedro Stédile, Plínio de Arruda Sampaio e César Benjamin.[2]

Atualmente, a Consulta Popular compõe a Frente Brasil Popular, articulação de movimentos sociais e partidos políticos de esquerda que busca construir uma alternativa política popular para a sociedade brasileira.[4] Em 2016, tal frente se colocou ativamente contra o processo de destituição de Dilma Rousseff.[5]

Levante Popular da JuventudeEditar

A partir de 2012, o setor de juventude da Consulta Popular passou a se organizar no chamado Levante Popular da Juventude.[1] O principal objetivo do grupo seria o de organizar politicamente a juventude das periferias das grandes cidades e do campo, vista por seus militantes como sem voz.[6] No contexto de instalação da Comissão Nacional da Verdade e dos cinquenta anos do golpe de 1964, alguns dos primeiros atos desse coletivo foram a organização de escrachos públicos contra antigos torturadores atuantes durante o regime militar, notadamente Dulene Aleixo Garcez dos Santos, Aparecido Laertes Calandra e Carlos Alberto Brilhante Ustra.[7][8] Também sofreram escrachos do grupo o médico legista Harry Shibata, os deputados federais Jair Bolsonaro, André Moura e Eduardo Cunha, e o presidente Michel Temer.[9][10]

Referências

  Este artigo sobre política ou um cientista político é um esboço relacionado ao Projeto Ciências Sociais. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.