Abrir menu principal

Braskem

(Redirecionado de Copesul)
Broom icon.svg
As referências deste artigo necessitam de formatação (desde setembro de 2017). Por favor, utilize fontes apropriadas contendo referência ao título, autor, data e fonte de publicação do trabalho para que o artigo permaneça verificável no futuro.
Braskem
Razão social Braskem S/A
Empresa de capital aberto
Slogan Estratégica para o Brasil. Inovadora para o mundo
Cotação BM&F Bovespa: BRKM3, BRKM5, BRKM6
NYSE: BAK
Latibex:XBRK
Atividade Química
petroquímica
Gênero Sociedade anônima
Fundação 16 de agosto de 2002 (17 anos)
Sede São Paulo,  Brasil
Proprietário(s) Organização Odebrecht (38,25%)

Petrobras (32,15%)

Presidente Fernando Musa
Empregados 7.656 [1]
Produtos Derivados de Petróleo
Polímeros
Biopolímeros
Petroquímicos
Valor de mercado Aumento R$ 17,62 bilhões (Dez/2015)[2]
Lucro Aumento R$ 2,889 bilhões (2015)[3]
Faturamento Aumento R$ 54 bilhões (2015)[4]
Website oficial www.braskem.com.br

A Braskem, controlada pela Organização Odebrecht com participação expressiva da Petrobras, é uma empresa química e petroquímica brasileira com o escritório central localizado na cidade de São Paulo.[5] A empresa se destaca por ser a líder mundial na produção de biopolímeros e a maior produtora de resinas termoplásticas das Américas (sexta maior fabricante mundial de resinas plásticas).[6]

Em janeiro de 2019, a Braskem anunciou sua adesão à Aliança para o Fim dos Resíduos Plásticos, uma organização sem fins lucrativos, que prevê investir até US$ 1,5 bilhão nos próximos cinco anos em iniciativas para o combate do plástico no meio ambiente.[1]

HistóriaEditar

A Braskem foi constituída no dia 16 de agosto de 2002 já como a maior petroquímica da América Latina, com unidades industriais e escritórios no Brasil, além de bases comerciais nos Estados Unidos e Argentina.[7] A companhia foi formada pela fusão de seis empresas: Copene, OPP, Trikem, Nitrocarbono, Proppet e Polialden.[8] Em 2006, a Braskem adquiriu a Politeno, a terceira maior produtora de polietileno no Brasil por 111 milhões de dólares, dando início à fase de consolidação petroquímica.[9] No ano seguinte, a companhia juntou-se à Petrobras e à Ultrapar no que seria a maior incorporação da história do Brasil, quando as três companhias adquiriram o Grupo Ipiranga pelo valor de US$ 4 bilhões. Enquanto a Petrobras e a Ultrapar compartilharam as operações de distribuição de combustível, a Braskem assumiu a Ipiranga Petroquímica, operação petroquímica do Grupo Ipiranga.[10] A empresa também incorporou em 2009 os ativos da Petroquímica Triunfo. Em 2010, a Braskem concluiu a negociação para a aquisição da Quattor, passo que consolidou o setor petroquímico no Brasil.

Na sequência, a empresa deu início ao seu processo de internacionalização. A Braskem adquiriu os ativos de polipropileno da Sunoco Chemicals, nos Estados Unidos, tornando-se uma das maiores produtoras de resinas naquele país. Em 2011, a Braskem comprou os ativos de polipropileno da Dow Chemical, assumindo duas fábricas nos Estados Unidos e outras duas na Alemanha. Em 2016, a petroquímica brasileira, em conjunto com a empresa mexicana Idesa, começou a produção de polietileno, o maior investimento, orçado em US$ 5,2 bilhões, já realizado por uma companhia brasileira no México. Trata-se de um complexo industrial integrado para a produção de polietileno a partir do gás etano.

Atualmente,[11] a empresa possui 41 unidades industriais, das quais 29 plantas se localizam no Brasil, 6 nos Estados Unidos, 2 na Alemanha e 4 no México. A pro­dução global de re­sinas ter­mo­plás­ticas (PE, PP e PVC) foi de, apro­xi­ma­da­mente, 230 mi­lhões de to­ne­ladas. A Braskem res­pondeu por cerca de 3,5% da pro­dução global de re­sinas e atendeu, em média, a 70% da de­manda bra­si­leira.[12]

ProdutosEditar

A Braskem ocupa a liderança na produção de resinas termoplásticas nas Américas.[13] Com 40 plantas industriais distribuídas por Brasil, Estados Unidos, Alemanha e México, a Braskem produz mais de 16 milhões de toneladas de resinas termoplásticas e outros produtos petroquímicos por ano. A empresa é ainda a maior produtora mundial de biopolímeros, através de sua planta de PE Verde, que possui capacidade de produção anual de 200 mil toneladas de polietileno a partir de etanol de cana-de-açúcar.[14]

Petroquímicos BásicosEditar

 
Planta Braskem

A Braskem controla os três maiores polos petroquímicos do Brasil, localizados nas cidades de Camaçari (Bahia), Mauá (São Paulo) e Triunfo (Rio Grande do Sul).[15] Além desses três complexos petroquímicos, a Braskem controla ainda o polo petroquímico de Duque de Caxias (Rio de Janeiro), que utiliza gás como matéria-prima ao invés de nafta. Suas unidades de petroquímicos básicos fornecem eteno e propeno para as unidades de polímeros da companhia localizadas na região. A Braskem produz ainda outros produtos químicos, tais como benzeno, butadieno, tolueno, xileno e isopreno. Estes compostos são vendidos principalmente para empresas fabricantes de produtos químicos localizadas em tais complexos, como Innova, Elekeiroz e Dow Chemical.

 
PE Verde da Braskem

Embora sua principal matéria-prima seja a nafta, a Braskem mantém e opera uma planta de Eteno Verde, inaugurada em setembro de 2010. Esta planta representa um passo importante em sua estratégia de tornar-se a líder mundial em química sustentável. Trata-se da maior unidade produtora do mundo, em escala industrial, de eteno a partir de matéria-prima 100% renovável – a cana-de-açúcar. O projeto foi concebido e implantado em menos de dois anos, utilizando tecnologia proprietária da Braskem.

Localizada no Polo Petroquímico de Triunfo, no Rio Grande do Sul, a unidade tem capacidade de produção de 200 mil toneladas de eteno verde, que serão transformadas em volume equivalente de plástico verde.[16]

PolímerosEditar

A Braskem é a maior produtora de polietileno, polipropileno e PVC do Brasil, com capacidade de produção de 5,7 milhões de toneladas em território brasileiro. Possui, ainda, a Planta de Cloro-Soda, Pólo Cloroquímico, Planta de Mineração de Salgema e um Porto para escoar produção, localizados no Estado de Alagoas.[17] A companhia é também a líder no mercado de polipropileno dos EUA, com capacidade de produção de 1,5 milhão de toneladas.[18] A Braskem possui ainda capacidade de produção de 545 mil toneladas de polipropileno na Alemanha.[19]

Em abril de 2016, a empresa começou a operar o complexo petroquímico integrado no México que inclui uma craqueadora com base em etano e três plantas integradas de polietileno com capacidade combinada de 1,05 milhão de toneladas por ano. Desenvolvido em joint venture com o grupo mexicano Idesa, o projeto irá aumentar a participação de gás na matriz de matéria-prima da companhia, fortalecendo sua competitividade e o custo do investimento é de 5,2 bilhões de dólares.[20]

AquisiçõesEditar

Em 22 de janeiro de 2010, a Braskem anunciou a incorporação total da Quattor, a segunda maior petroquímica do Brasil por 870 milhões de reais, por meio da aquisição da participação de 60% detida pela Unipar. Com isso, tornou-se a segunda maior petroquímica da América e a oitava maior do mundo.[21] Em 23 de fevereiro de 2011 o Conselho Administrativo de Defesa Econômica (CADE) aprovou integralmente a aquisição da Quattor Participações S.A., da Unipar Comercial e Distribuidora S.A., e da Polibutenos S.A. Indústrias Químicas.

A Braskem anunciou no dia 1.º de fevereiro de 2010 a aquisição dos ativos de PP da Sunoco Chemical, 4.º maior produtor desta resina nos EUA. Este foi um avanço importante para fortalecer sua estratégia de internacionalização, que combina ainda o crescimento da Companhia no mercado norte-americano, com alternativas de acesso a matéria prima competitiva e aos principais mercados consumidores. Com esta aquisição, a Braskem se tornou o 3.º maior player global de PP.

Em 27 de julho de 2011, a Braskem anunciou a aquisição do negócio de polipropileno (PP) da Dow Chemical. O negócio contemplou 4 unidades industriais, 2 plantas nos Estados Unidos e 2 plantas na Alemanha. Os ativos dos Estados Unidos, localizados em Freeport e Seadrift, no estado do Texas, possuem juntos uma capacidade de produção de 505 mil toneladas, o que representou um aumento de 50% na capacidade anual de produção de PP no país, totalizando 1.425 mil toneladas. Os ativos da Alemanha, localizados nas cidades de Wesseling e Shckopau, têm capacidade anual de produção de 545 mil toneladas. Em 30 de setembro de 2011 a aquisição foi aprovada pelas autoridades antitrustes dos Estados Unidos e Europa - Comissão Federal de Comércio e Divisão Antitruste do Departamento de Justiça norte-americano e União Europeia. Esta transação representou um importante passo na consolidação do processo de internacionalização da Companhia, posicionando-a como maior produtora de PP nos EUA.[22]

A Braskem America é a maior produtora de polipropileno dos Estados Unidos, contando com cinco unidades de produção nos estados do Texas, Pensilvânia e West Virginia, além de um Centro de Tecnologia e Inovação na cidade de Pittsburgh, Pensilvânia. Com sede na Filadélfia, a Braskem America é uma empresa controlada pela Braskem S.A.

Já a Braskem Europe, empresa controlada pela Braskem S/A, tem sede em Frankfurt, Alemanha e possui duas plantas nas cidades de Schkopau e Wesseling.[23]

Referências

  1. https://www.braskem.com.br/relatorioanual2016?utm_source=Site&utm_medium=Banner-pt&utm_campaign=RelatorioAnual2016-Brasil
  2. https://www.google.com.br/webhp?sourceid=chrome-instant&ion=1&espv=2&ie=UTF-8#q=braskem%20valor%20de%20mercado
  3. http://www.braskem-ri.com.br/portal/RI/arquivos/imagens/ER_4T15_Port.pdf
  4. http://www.braskem-ri.com.br/portal/RI/arquivos/imagens/ER_4T15_Port.pdf
  5. Gamez, Milton (1 de maio de 2014). «Braskem planta o seu futuro - ISTOÉ DINHEIRO». ISTOÉ DINHEIRO 
  6. «Braskem». www.braskem.com.br. Consultado em 28 de setembro de 2017 
  7. http://planetasustentavel.abril.com.br/noticia/desenvolvimento/conteudo_265718.shtml
  8. «Consolidação do setor petroquímico levou décadas». Extra Online. 22 de janeiro de 2010 
  9. http://www3.braskem.com.br/site/portal_braskem/pt/sala_de_imprensa/sala_de_imprensa_detalhes_3232.aspx
  10. «G1 > Economia e Negócios - NOTÍCIAS - Petrobras, Braskem e Ultra compram Ipiranga por US$ 4 bilhões». g1.globo.com. 19 de março de 2007. Consultado em 28 de setembro de 2017 
  11. «Relatório Anual 2014». Braskem. Junho de 2015. Consultado em 8 de junho de 2015 
  12. Braskem (junho de 2014). «Relatório anual Braskem 2014». Braskem. Consultado em 15 de junho de 2015 
  13. «Braskem anuncia construção de nova fábrica de UTEC® nos Estados Unidos - Alagoas 24 Horas: Líder em Notícias On-line de Alagoas». Alagoas 24 Horas: Líder em Notícias On-line de Alagoas. 27 de junho de 2014 
  14. http://www.ideiasustentavel.com.br/2014/05/plastico-verde-da-braskem-chega-ao-mercado-argentino/
  15. http://www.clebsonsmith.com.br/ciclo-produtivo-da-resina-pet/petroquimicas/imagens-petroquimicas/braskem/braskem-companhia/
  16. http://www.petroequimica.com.br/edicoes/ed_333/333_mc.html
  17. http://g1.globo.com/Noticias/Economia_Negocios/0,,MUL184639-9356,00-BRASKEM+AVALIA+RS+E+BA+PARA+PRODUZIR+PLASTICO+DE+CANA.html
  18. Marcondes, Carolina (27 de julho de 2011). «Com ativos da Dow, Braskem vira líder em polipropileno nos EUA». Redação Reuters. BR 
  19. «Braskem compra 4 fábricas da Dow nos EUA e Alemanha | VEJA.com». VEJA.com 
  20. «Obra de US$ 3,2 bilhões da Braskem no México entra em nova fase - Empresas - iG». Economia 
  21. «G1 > Economia e Negócios - NOTÍCIAS - Braskem compra controle da Quattor e cria maior petroquímica das Américas». g1.globo.com. Consultado em 28 de setembro de 2017 
  22. «Braskem - Relações com Investidores». www.braskem-ri.com.br. Consultado em 28 de setembro de 2017 
  23. reserved, Copyright Haufe-Lexware GmbH - all rights. «Braskem Europe eröffnet Firmensitz in Frankfurt | Immobilien | Haufe». Haufe.de News und Fachwissen (em alemão) 

Ligações externasEditar