Abrir menu principal
Cosmotron
Álbum de estúdio de Skank
Lançamento 2003
Gravação 2003, nos Estúdios Ferretti, Belo Horizonte e na Toca do Bandido, Rio de Janeiro
Gênero(s) Rock, pop rock, música popular brasileira
Duração 62:47
Gravadora(s) Sony Music(selo Epic)
Produção Skank & Tom Capone
Cronologia de Skank
MTV Ao Vivo em Ouro Preto
(2001)
Radiola
(2004)
Singles de Cosmotron
  1. "Dois Rios"
    Lançamento: 2003
  2. "Vou Deixar"
    Lançamento: 2003
  3. "Amores Imperfeitos"
    Lançamento: 2004

Cosmotron é o sexto álbum de estúdio da banda brasileira de rock Skank lançado em 2003. Contém notável influência dos Beatles e do Clube da Esquina. Este disco é considerado como um grande salto na carreira do quarteto, refletindo um amadurecimento tanto nas melodias quanto nas letras.[1]

Conduzido pela canção "Dois Rios", o disco recebeu originalmente criticas mistas positivas citando o flerte da banda entre a MPB e a música pop britânica. Este disco vendeu por volta de 210.000 cópias, segundo o site da própria banda.[2]

RecepçãoEditar

O álbum recebeu criticas mistas geralmente positivas dos especialistas musicais. Pedro Alexandre Sanches da Folha de S.Paulo citou "Dois Rios", de Nando Reis, Samuel Rosa e Lô Borges, como sua síntese: "é onde os rapazes dizem tudo o que querem dizer em Cosmotron: viramos gente grande, ainda somos o Skank". Entretanto notou certo saudosismo do grupo por músicos do passado: "Ficamos ligeiramente sem saber qual é de fato a identidade da banda que toca essas belas canções."[3] A revista ISTOÉ Gente, por meio do portal eletrônica Terra, em um artigo escrito por Mauro Ferreira, deu ênfase ao "flerte aprofundado da banda com a MPB". E ainda cita letras de "Águas de Março" de Tom Jobim, e "Formato Mínimo" que evoca "Construção", de Chico Buarque, "ao terminar cada verso com palavras proparoxítonas."[1] Philip Jandovský da Allmusic escreveu que "a maioria das canções são bastante calmas, músicas melodiosas em que as guitarras acústicas e elétricas impulsionam a música à frente. Além da influência britânica evidente neste álbum".[4]

FaixasEditar

Todas as letras escritas por Chico Amaral, exceto onde indicado, todas as músicas compostas por Samuel Rosa, exceto onde indicado

.

N.º TítuloCompositor(es) Duração
1. "Supernova"  Samuel Rosa, Fausto Fawcett 4:37
2. "As Noites"    4:52
3. "Pegadas na Lua"  S. Rosa, Humberto Effe 4:35
4. "Amores Imperfeitos"    4:13
5. "Por um Triz"  S. Rosa, Rodrigo F. Leão 4:08
6. "Dois Rios"  S. Rosa, Lô Borges, Nando Reis 4:43
7. "Nômade"    6:53
8. "Vou Deixar"    4:34
9. "Formato Mínimo"  S. Rosa, R. Leão 5:12
10. "Resta um Pouco Mais"  Lelo Zaneti, C. Amaral 3:51
11. "Os Ofendidos"    3:47
12. "É Tarde"    4:05
13. "Um Segundo"    4:05
14. "Sambatron"    5:10

CréditosEditar

Skank
  • Samuel Rosa - voz, guitarra e violão
  • Henrique Portugal - teclados
  • Lelo Zaneti - baixo
  • Haroldo Ferretti - bateria
  • Paco Pigalle - voz em "Nômade"
  • Paulo Márcio e Jorge Echevarria - trompetes em "É Tarde"
  • Marcelo Sussekind - Guitarra Right e Ebow
  • Doca Rolim - Guitarra, Violão e Vocais
Produção
  • Tom Capone - produção, gravação e mixagem
  • Skank - produção
  • Fernando Furtado - produção executiva
  • Ronaldo Viana - direção artística
  • Álvaro Alencar - mixagem
  • Ricardo Garcia - masterização
  • Renato Cipriano, Bruno Ferretti e Marco Diniz - gravação
  • Marcus Barão - projeto gráfico
  • Weber Pádua - projeto gráfico e fotos
  • Daniela Conolly - supervisão gráfica

Referências

  Este artigo sobre um álbum de Skank é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.