Cristóvão Alão de Morais

Figura de Cristóvão Alão de Morais, juntamente com a sua assinatura.

Cristóvão Alão de Morais (São João da Madeira, 13 de maio de 1632Porto, 19 de maio de 1693)[1] foi um dos mais importantes e sérios genealogistas portugueses em geral e do século XVII em particular, um escritor clássico e jurisconsulto.[1]

BiografiaEditar

Era filho natural do Capitão-de-Mar-e-Guerra Baltasar Alão de Morais. Aprendeu latim e francês com seu tio Frei António da Purificação. Matriculou-se aos 15 anos em Matemática e Filosofia na Faculdade de Ciências da Universidade de Coimbra, completando depois as Faculdades de Direito Civil e Direito Canónico na mesma Universidade. Foi nomeado inicialmente Juiz de Fora de Torres Vedras e depois para diversos cargos até a posição de Desembargador da Relação do Porto e Corregedor do Cível da mesma cidade.[1]

Escreveu diversas obras, entre as quais uma das mais importantes é a Pedatura Lusitana, em 6 tomos, uma das obras de referência da genealogia portuguesa.[1]

Referências

  1. a b c d Redação (31 de janeiro de 2019). «Quem foi Alão de Morais?». Labor. Consultado em 6 de novembro de 2019 

Ligações externasEditar

  • Pedatura Lusitana (1667), em 6 tomos. Porto: Livraria Fernando Machado, edição em 12 volumes, 1943-1948.
  Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.