Cv Barroso (V-34)

A Cv Barroso (V-34) é uma corveta da Classe de mesmo nome da Marinha do Brasil.

Cv Barroso
Cv Barroso (V-34) C.jpg
Carreira  Brasil
Operador Marinha do Brasil
Fabricante Arsenal de Marinha do Rio de Janeiro, Brasil
Lançamento 20 de dezembro de 2002
Comissionamento 19 de agosto de 2008
Estado Em serviço
Características gerais
Tipo de navio Corveta
Classe Classe Barroso
Tonelagem 1 785 padrão / 2 350 plena carga
Largura 11,4 m
Comprimento 103,4 m
Calado 5,3 m
Propulsão CODOG (Combined Diesel or Gas) com 1 turbina a gás GE LM 2500 de 27.490 shp; 2 motores MTU 1163 TB93 de 4.000 bhp cada, acoplados a dois eixos e dois hélices passo variável.
Velocidade 20,5 nós (38 km/h)
Armamento 1 canhão Vickers Mk 8 de 4.5 polegadas/55 calibres (114mm); 1 canhão Bofors Trinity Mk2 de 40 mm, em um reparo singelo; 4 lançadores de mísseis superfície-superfície MM 40 Exocet Block 1/2 e 2 lançadores triplos ARES SLT Mod.400 de torpedos A/S de 324mm.
Aeronaves 1 helicóptero Westland AH-11A Super Lynx
Equipamentos especializados 1 radar de vigilância combinada tipo Alenia RAN-20S; 1 radar de superficie Terma Scanter; 1 radar de navegação Furuno FR 8252; 1 radar de direção de tiro Orion RTN-30X; 1 diretora eletro-ótica/laser Saab EOS 400/10B; 1 alça óptica de emergência; CME ET/SLQ-1A; MAGE ET/SLR-1X Defensor; Sistema de Navegação Inercial SAGEM Sigma 40 INS; 2 lançadores SLDM de chaffs/flares; sonar de casco EDO-997C.
Tripulação 25 oficiais e 125 praças.
Nota: Este artigo é sobre o navio do tipo corveta Barroso de 2008; para outros navios, veja Barroso (desambiguação).

Histórico e construçãoEditar

A Corveta Barroso (V-34), é o quinto navio a ostentar esse nome na Marinha do Brasil, em homenagem ao Almirante Francisco Manuel Barroso da Silva, Barão do Amazonas. A Barroso foi a única de sua classe. Foi ordenada em 1994, sendo construída no Arsenal de Marinha do Rio de Janeiro (AMRJ), Ilha das Cobras, Rio de Janeiro, a um custo final estimado em US$ 263 milhões. O casco n.º 126, teve sua quilha batida em 21 de dezembro de 1994 e foi lançada ao mar em 20 de dezembro de 2002, em cerimônia presidida pelo Vice-Presidente da República Dr. Marco Antônio de Oliveira Maciel, tendo como madrinha a Sra. Solange Garcia Lopes Serpa, esposa do AE Ivan da Silveira Serpa, Ministro da Marinha no período compreendido entre 8 de outubro de 1992 a 1º de janeiro de 1994. A construção do navio esteve praticamente parada entre 2003 e 2005, por falta de recursos.

Em 17 de abril de 2008, realizou provas de mar, perfazendo vários circuitos dentro da Baia da Guanabara, testando os sistemas de geração de energia e propulsão, sendo acompanhado de rebocadores, mas mesmo, assim chegando a navegar de forma autônoma. Durante a saída, esteve a bordo uma equipe do CAAML, para realizar inspeção de segurança e conduzir adestramentos com a tripulação. Em 19 de agosto de 2008, em cerimônia realizada no AMRJ que contou com a presença do Ministro da Defesa, Nelson Jobim, do Comandante da Marinha, AE Júlio Soares de Moura Neto e do Chefe do Estado-Maior da Armada, AE Julio Saboya de Araujo Jorge, foi submetida a Mostra de Armamento e Incorporada a Armada, passando a subordinação da Diretoria-Geral de Material da Marinha, para dar prosseguimento a Avaliação Operacional do meio. [1][2][3]

Origem do nomeEditar

O navio é uma homenagem ao herói nacional Almirante Francisco Manuel Barroso da Silva, Barão do Amazonas. Serviu na Marinha Imperial do Brasil, e teve importante papel na Batalha do Riachuelo, na Guerra do Paraguai. Outros quatro navios ostentaram esse nome na Armada do Brasil, são eles: Encouraçado Barroso (1865), Cruzador Almirante Barroso (1880), Cruzador Barroso (C-1) (1895) e C Barroso (C-11) (1935).

CaracterísticasEditar

A corveta tem as seguintes características físicas e de armamento:[4]

DimensõesEditar

  • Deslocamento : 1.785 ton (padrão), 2.350 ton (carregado)
  • Dimensões : 103.4 m de comprimento, 11.4 m de boca e 5.3 m de calado.
  • Tripulação: 154 homens, sendo 15 oficiais (estimado)
  • Construtor: Arsenal de Marinha do Rio de Janeiro - Ilha das Cobras

DesempenhoEditar

 
Cv Barroso (V-34) lançamento ao mar
AMRJ- dezembro de 2002
  • Velocidade máxima (nós): 29
  • Propulsão: CODOG - Turbina a gás ou motor a Diesel - 2 motores a Diesel MTU Friedrichshafen (20V 1163 TB83) para velocidades de cruzeiro ou 1 Turbina a Gás para alta velocidade General Electric (LM2500)
  • Raio de Ação (km): 7.200 a 14 nós
  • Eletricidade: 4 geradores diesel Siemens de 500 kW cada

Sistemas de armas e eletrônicaEditar

  • Armamento:
    • Sistema de lançamento MM40L para 4 x EXOCET MM-40 Block II ou MM-40 Block III
    • 2 lançadores de torpedos anti-submarinos Mk.32(3) - 6 x Alliant Techsystems MK-46 mod.5
    • 1 canhão de 4,5 polegadas (114,3mm) L55 Mk 8 com alcance de 22 km.
    • 1 canhão BAE Systems Bofors Trinity Mk 3 40mm com alça optrônica EOS-400 e com alcance de 10 km.
  • Radares
    • Diretor de tiro: SELEX Sistemi RTN-30X com alcance de 39 km
    • Navegação: RACAL-DECCA TM-1226C com alcance de 27 km
    • Pesquisa aérea: SELEX Sistemi RAN 20S com alcance de 117 km
  • Sonar: EDO Corp. 997(F) - Pesquisa ativa/ataque
  • Sistema: Sistema de Controle Tático, Comando e Controle SICONTA Mk III do IPqM .
  • Guerra Eletrônica: Jammer CME ET/SLQ-2 integrado ao MAGE B1BW e ao SLDM (Sistema de Lançamento de Despistadores de Mísseis) chaff, ou flare anti-IR e torpedo, todos desenvolvidos pelo IPqM .
  • Helicóptero: 1 AH-11A Westland Lynx ou 1 UH-12/13 Helibrás Esquilo

Ver tambémEditar

Notas

  1. «Cv Barroso - V 34». naval.com.br. Consultado em 12 de agosto de 2021 
  2. [1] Notícias da Marinha - Corveta "Barroso" foi ao mar pela 1ª vez
  3. [2] Arquivado em 7 de junho de 2009, no Wayback Machine. Corveta Barroso, uma sobrevivente - Poder Naval OnLine
  4. [3] Ficha do Navio - Marinha do Brasil
  Este artigo sobre a Marinha do Brasil é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.