David Neves

David Neves
Nascimento 14 de maio de 1938
Rio de Janeiro
Morte 23 de novembro de 1994 (56 anos)
Rio de Janeiro
Cidadania Brasil
Ocupação diretor de cinema, jornalista, roteirista

David Neves (Rio de Janeiro, 19381994) foi um crítico de cinema, roteirista e diretor de cinema brasileiro.

CarreiraEditar

Admirador da nouvelle vague e de Humberto Mauro, foi um dos idealizadores e uma espécie de "líder afetivo" do Cinema Novo [carece de fontes?]. Foi crítico de cinema no jornal O Metropolitano, ajudando a concretizar o Cinema Novo como um movimento cinematográfico forte.

Teve obra marcada pela abordagem lírica de personagens femininas: Memória de Helena (1969), Lúcia MacCartney, uma garota de programa (1970), Luz del Fuego (1981) e Fulaninha (1985). A este último somou-se Muito prazer (1979) e Jardim de Alah (1988), sua trilogia de crônicas sobre a zona sul do Rio de Janeiro.

Em documentários focalizou personalidades da cultura brasileira e o futebol, como Flamengo paixão, de 1980. Lançou o livro Cinema novo no Brasil[1] em 1966, e a coletânea de digressões e poemas Cartas do meu bar em 1993, onde diz que se esforçava por "atingir a essência da rotina". O livro foi prefaciado pelo ensaísta e crítico paulista Francisco Luiz de Almeida Salles.

Filmografia parcialEditar

Referências

Ligações externasEditar