Abrir menu principal
A rota de 3 000 km do Desafio Solar Mundial (Austrália).
Nuna 3, Dutch Nuna team
O vencedor do Global Green Challenge 2009, "Tokai Challenger", Japão Tokai University Solar Car Team

O Desafio Solar Mundial é uma corrida de carros solares que ocorre a cada dois anos na Austrália. Nessa competição os carros solares devem percorrer 3 021 km através do deserto australiano, de Darwin a Adelaide.

A corrida atrai muitas equipes ao redor do mundo, a maioria fundada em universidades ou por empresas, mas há também aquelas que são fundadas em escolas de ensino médio.

ObjetivoEditar

O objetivo dessa competição é promover a pesquisa com veículos solares e tecnologias envolvidas. Conta com equipes de universidades e empresariais. Em 2005, 22 equipes de 11 países inscreveram-se para a categoria primária da corrida.

Regras ImportantesEditar

> Como a corrida ocorre em rodovias públicas, os carros devem aderir as regras normais de tráfego. Mas uma nota especial no regulamento oficial marca a tendência dos pilotos a ter vantagem do posicionamento na pista para capturar a máxima quantidade de energia solar. Depois do Meio dia quando o Sol está no oeste, há a vantagem de dirigir no lado direito da pista, providenciando-se, é claro, que não haja tráfego na direção oposta.

> O mínimo de dois e o máximo de 4 pilotos podem ser registrados. Se o peso do piloto (incluindo roupas) for menor que 80 kg, pesos são adicionados ao carro para desfazer a diferença.

> O período de corrida ocorre entre as 8 da manhã até as 5 da tarde. é possível escolher o lugar para passar a noite (ao longo da estrada), também é possível estender esse período em até 10 minutos. Esse tempo extra é compensado com um atraso no dia seguinte.

> Em vários pontos da estradas há os checkpoints, onde os carros devem parar por 30 minutos. Somente é possível realizar manutenção, sem reparos, nessas paradas.

> A capacidade das baterias é limitada pela massa para cada tipo de substância (por exemplo: as baterias de Lítio-Polímero podem ter o peso máximo de 30 kg, enquanto as de Chumbo-Ácido podem chegar até 125 kg). E a capacidade máxima é de 5kWh. No começo da corrida as baterias devem ser carregadas totalmente. Elas não podem ser trocadas durante a corrida, exceto em caso de inutilização. Se ocorrer, uma penalização é aplicada.

> Há um limite pré-estabelecido para as dimensões do veículo, que são: 5m x 1,8m x 1,6m (c x l x a)

> A desaceleração dos dois sistemas de frenagem (travagem) deve ser de, pelo menos, 3,8 m/s²

A competiçãoEditar

Um eficiente balanceamento das reservas e da energia consumida é a chave para o sucesso durante a corrida. A qualquer momento a velocidade ótima de corrida depende do ambiente e da capacidade restante nas baterias. Os membros da equipe nos carros de escolta a gasolina ficam continuamente recebendo informação do carro via telemetria em tempo real, e eles devem desenvolver programas de computador para trabalhar na melhor estratégia de corrida. É requerido também a presença de um Observador Oficial, que vai instalado no primeiro veículo de escolta, sem nenhum computador.

É importante tornar equilibrada a carga das baterias o melhor possível nos períodos do nascer-do-sol e do pôr-do-sol. A captura da maior quantidade de energia solar que possível. Os painéis solares geralmente são direcionados para que a luz incida na perpendicular, obtendo assim máximo aproveitamento.

Mudanças para a corrida de 2007Editar

Em 2005, equipes importantes ultrapassaram o limite de velocidade da Austrália do Sul (estado) de 110 km/h, e foi difícil para as equipes de suporte correr com veículos a 130 km/h. Então as regras foram modificadas para a construção de uma nova geração de carros solares, onde esses não ultrapassam os limites de velocidade australianos, com algumas modificações, podendo ser a base para a prática proposição de transporte sustentável.

Equipes de 2007 podiam escolher entre as classes Adventure e Challenge class. Na Challenge class os carros foram restritos a 6 m² de painéis solares (uma redução de 25%), o acesso do piloto de sua saída ser sem ajuda, a posição do assento mais elevada, o carro controlado por volante e muitos novos requerimentos de segurança foram adicionados. Competidores também deveriam atender ao novo limite de velocidade de 130 km/h através da porção da Stuart Highway no Território do Norte.

Esse evento disponibilizou várias categorias, incluindo a Greenfleet class, que contava com carros não solares, porém com eficiência de combustível bastante alta.

Panasonic foi a principal patrocinadora desta edição.[1]

Edição de 2009Editar

Para essa edição importantes novas regras foram adicionadas, incluindo o uso de novos pneus. Limites de peso da bateria passaram a depender do tipo químico (Lítio-íon, Chumbo Ácido, etc.) utilizado para que todos os competidores possuíssem a mesma capacidade de energia disponível.[2]

HistóriaEditar

A ideia para a competição foi originada pelo dinamarquês Hans Tholstrup. Ele foi o primeiro a circum-navegar o continente australiano com um barco de 16 pés. Em um momento posterior da sua vida ele ficou envolvido e várias competições de carros e caminhões de maior eficiência de combustível. Por volta de 1980, ele ficou alerta para a necessidade de explorar a a energia sustentável com meio de substituir os combustíveis fósseis, nossa atual matriz energética majoritária. Patrocinado pela BP (British Petroleum), ele desenvolveu o primeiro carro solar do mundo, chamado Quiet Achiever, e atravessou os 4052 km entre Sydney e Perth em 20 dias. Esse seria o precursor do Desafio Solar Mundial.

Depois da quarta edição, ele vendeu os direitos ao estado da Austrália Meridional e liderança a corrida foi assumida por Chris Selwood.

A competição ocorria a cada 3 anos até 1999, quando passou a ocorrer a cada 2 anos.

Edição Ano Classe Participantes Vencedor Equipe País Tempo (h:min) Velocidade Média (km/h)
1. 1987 23 Sunraycer General Motors Estados Unidos da América 44:54 66.9
2. 1990 38 Spirit of Biel/Bienne II Engineering College of Biel Suíça 46:08 65.2
3. 1993 55 Dream Honda Japão 35:28 85.0
4 1996 46 Dream Honda Japão 33:53 89.8
5. 1999 43 Aurora 101 Aurora Vehicle Association/RMIT University Austrália 41:06 73.0
6. 2001 37 Alpha Centauri Team
(Nuna 1)
TU Delft Holanda 32:39 91.8
7. 2003 33 Nuon Solar Team
(Nuna 2)
TU Delft Holanda 31:05 97.02
8. 2005 30 Nuon Solar Team
(Nuna 3)
TU Delft Holanda 29:11 102.8
9. 2007 Challenge 23 Nuon Solar Team
(Nuna 4)
TU Delft Holanda 33:00 90.87
Adventure 18 TIGA Ashiya University Japão 32:03 93.57
10. 2009 Challenge 32 Tokai Challenger Tokai University Japão 29:49 100.54
Challenge Class Silicon 25 Sunswift IV University of New South Wales Australia 39:18 76.28

ReferênciasEditar

  1. «World Solar Challenge Homepage». Consultado em 15 de novembro de 2008. Arquivado do original em 21 de novembro de 2008 
  2. Global Green Challenge Homepage

Veja tambémEditar

Outras corridadas de carros solaresEditar

Ligações ExternasEditar