Abrir menu principal
Question book-4.svg
Esta página cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde fevereiro de 2010). Ajude a inserir referências. Conteúdo não verificável poderá ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Dimítrios Vikélas
Dimítrios Vikélas
Presidente do Comitê Olímpico Internacional (COI) Comitê Olímpico Internacional
Período 1894 - 1896[1]
Sucessor Pierre de Coubertin
Dados pessoais
Nascimento 15 de fevereiro de 1835
Hermópolis
Morte 20 de julho de 1908 (73 anos)
Atenas
Nacionalidade Grécia grego
Profissão empresário, escritor

Dimítrios Vikélas, em grego Δημήτριος Βικέλας, (Hermópolis, 15 de fevereiro de 1835Atenas, 20 de julho de 1908) foi um empresário e escritor grego, célebre por ter sido o primeiro presidente do Comité Olímpico Internacional (COI). É frequentemente referido como Demetrius Vikelas ou Bikelas.

BiografiaEditar

Nascido na ilha grega de Siro, Vikélas representava o Clube Pan-Helênico de Ginástica no congresso organizado em Paris por Pierre de Coubertin em 1894, onde o Movimento Olímpico foi fundado.

Inicialmente, a ideia de Coubertin era celebrar os primeiros Jogos Olímpicos da era moderna em Paris no ano de 1900, mas Vikelas persuadiu o recém criado "Comité Olímpico Internacional" de que seria melhor realizar os primeiros jogos em Atenas. Como na altura os estatutos do COI requeriam que o presidente da organização tivesse a nacionalidade do país onde se realizariam os jogos seguintes, Vikelas acabou sendo o primeiro presidente do COI.

Após o sucesso da realização dos primeiros Jogos Olímpicos em 1896, Vikelas retirou-se da presidência do COI e dedicou-se à promoção e generalização da educação básica na Grécia, que considerava uma prioridade. Em 1905, aceita representar a Universidade de Atenas no congresso de Bruxelas.

Foi um empenhado nacionalista grego, tendo escrito dois estudos sobre o papel da Grécia moderna no médio oriente: "Le röle et les aspirations de la Grece dans la question d'Orient" (1885) e "La Grèce byzantine et moderne" (1893). Escreveu também duas obras de ficção: "Louki Laras" (1881) e "Tales from the Aegean" (1894).

Referências