Abrir menu principal

Pierre de Coubertin

importante no movimento olímpico
Question book-4.svg
Esta página cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde abril de 2013). Ajude a inserir referências. Conteúdo não verificável poderá ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Barão de Coubertin
Barão de Coubertin
Presidente do Comitê Olímpico Internacional (COI)
Período 18961925[1]
Antecessor Dimítrios Vikélas
Sucessor Henri de Baillet-Latour
Dados pessoais
Nascimento 1 de janeiro de 1863
Paris, França
Morte 2 de setembro de 1937 (74 anos)
Genebra, Suíça
Nacionalidade França Francês
Alma mater Instituto de Estudos Políticos de Paris
Cônjuge Marie Rothan
Filhos 2 (Jacques e Renée)
Profissão Pedagogo, historiador
Assinatura Assinatura de Pierre de Coubertin
Foto de Pierre de Coubertin feita, aproximadamente, em 1900.

Pierre de Frédy (Paris, 1 de janeiro de 1863Genebra, 2 de setembro de 1937), mais conhecido pelo seu título nobiliárquico de Barão de Coubertin, foi um pedagogo e historiador francês, que ficou para a história como o fundador dos Jogos Olímpicos da era moderna.[2]

Índice

BiografiaEditar

Nascido em Paris, a capital francesa, em uma família aristocrática, descendente de Fernando III de Castela, Pierre de Frédy foi inspirado pelas suas visitas a colégios ingleses e americanos, e propôs-se a melhorar os sistemas de educação. Acredita-se que foi ele quem teve a ideia de reiniciar com os Jogos Olímpicos.

A certo ponto, após ter idealizado uma competição internacional para promover o atletismo, e tirando partido de um crescente interesse internacional nos Jogos Olímpicos da Antiguidade, alimentado por descobertas arqueológicas nas ruínas de Olímpia, o barão de Coubertin concebeu um plano para fazer reviver os Jogos Olímpicos.[2]

Jogos OlímpicosEditar

Para publicar os seus planos, organizou um congresso internacional em 23 de Junho de 1894 na Sorbonne em Paris. Então, propôs que fosse reinstituída a tradição de realizar um evento desportivo internacional periódico, inspirado no que se fazia na Grécia antiga. Este congresso levou à constituição do Comitê Olímpico Internacional(COI), do qual o barão de Coubertin seria secretário geral entre (1896-1925). Foi também decidido que os primeiros Jogos Olímpicos da era moderna teriam lugar em Atenas, na Grécia e que a partir daí, tal como na antiguidade, seriam realizados a cada quatro anos uma Olimpíada. Dois anos depois realizaram-se os Jogos Olímpicos de Verão de 1896, que foram um sucesso.

Após os Jogos de 1896, Demetrius Vikelas abandonou o posto de presidente do COI e Pierre de Coubertin tomou o seu lugar na frente da organização. Apesar do sucesso dos primeiros jogos, o Movimento Olímpico enfrentaria tempos difíceis, com os Jogos Olímpicos de 1900 e de 1904 a serem completamente obscurecidos pelas exposições mundiais em que foram integrados, e passando completamente despercebidos.

A situação melhorou com a realização dos Jogos Olímpicos de Verão de 1906 que, utilizando o pretexto de comemorar os 10 anos da primeira edição, serviram para limpar a imagem e promover os Jogos como um evento internacional por excelência. A partir de então os Jogos Olímpicos continuariam a ganhar audiência, tornando-se o mais importante evento desportivo mundial. Pierre de Coubertin abandonou a presidência do COI após os Jogos Olímpicos de Verão de 1924, realizados em Paris, a sua cidade natal, e com um sucesso muito maior que a anterior edição de 1900. Foi sucedido no cargo por Henri de Baillet-Latour.[2]

MorteEditar

Coubertin morreu em 2 de setembro de 1937, em Genebra. Foi enterrado em Lausanne (local da sede do COI), mas o seu coração foi sepultado separadamente, num monumento perto das ruínas da antiga Olímpia.[1]

Referências

  1. a b COI. «The Organisation - Presidents» (em inglês). Consultado em 21 de abril de 2010 
  2. a b c Uol. «Olimpíadas 2004 - Barão de Coubertin». Consultado em 25 de agosto de 2017 

Ligações externasEditar