Abrir menu principal

Duarte de Portugal, 5.º Duque de Guimarães

Text document with red question mark.svg
Este artigo ou secção contém fontes no fim do texto, mas que não são citadas no corpo do artigo, o que compromete a confiabilidade das informações (desde abril de 2017). Ajude a melhorar este artigo inserindo fontes.
Duarte de Portugal, 5.º Duque de Guimarães
Nascimento 1541
Almeirim
Morte 1576 (35 anos)

O infante Duarte de Portugal, também conhecido como Duarte II, 5º Duque de Guimarães (Pronunciação IPA[du'aɾt(ɨ)]) (Almeirim, Março de 1541 - Évora, 28 Novembro de 1576), foi um Infante de Portugal, filho do Infante Dom Duarte I, 4º duque de Guimarães e de sua esposa, Dona Isabel de Bragança.

Pelo seu pai, era neto do rei D. Manuel I de Portugal; pela mãe, era neto de Jaime, 4º Duque de Bragança.

Nasceu póstumo e herdou a casa e os títulos de seu pai: o Ducado de Guimarães. Foi um dos mais influentes nobres na corte de seu tio, o rei D. João III de Portugal, e na de seu primo, o rei D. Sebastião.

Em 1555 tornou-se o 10.º Condestável de Portugal. Em 1557, quando o rei D. João III morreu, Duarte era um dos três descendentes masculinos legítimos vivos do rei D. D. Manuel I (para além do seu primo, o rei D. Sebastião, e de seu tio, o cardeal-infante D. Henrique).

Como membro do Conselho de Estado votou, em 1569, a favor do casamento de D. Sebastião com Margarida de Valois (que mais tarde veio a ser a primeira mulher do rei Henrique IV de França) e, em 1574, acompanhou o rei D. Sebastião na sua primeira viagem a Tânger, no norte de África.

O rei D. Sebastão tinha ciúmes de D. Duarte pela sua popularidade e, por diversas vezes desrespeitou a sua posição. Quando o rei não convidou o primo para a tourada real organizada em Xabregas (Lisboa), Duarte ficou aborrecido acabando por se retirar da Corte, indo viver para Évora onde, alguns meses depois, morreu solteiro e sem descendência, aos 35 anos. Está sepultado no Colégio da Companhia de Évora.

Duarte II tinha duas irmãs mais velhas, ambas casadas com admiráveis nobres da Renascença:

Uma vez que era casada com um Português, a Infanta Catarina de Guimarães herdou os direitos de seu irmão ao Ducado de Guimarães. Durante a crise sucessória de 1580, Catarina e o seu marido, João I de Bragança, foram importantes pretendentes ao trono de Portugal.

Ver tambémEditar

BibliografiaEditar

"Nobreza de Portugal e do Brasil" – Vol. II, pág. 651. Publicado por Zairol Lda., Lisboa 1989.


Precedido por
Duarte I, 4º Duque de Guimarães
 
Duque de Guimarães

1541—1576
Sucedido por
João II de Bragança, 6º Duque de Guimarães
Precedido por
D. Luís, Duque de Beja
Condestável de Portugal
1555 - 1576
Sucedido por
João I, 6º Duque de Bragança