Eazy-E

Rapper, produtor musical e empresário americano

Eazy-E (nome artístico de Eric Lynn Wright; Compton, 7 de setembro de 1964Los Angeles, 26 de março de 1995) foi um rapper, produtor e empresário americano. Fez parte do grupo N.W.A. entre 1986 e 1991.

Eazy E
Eazy-E em 1993
Informação geral
Nome completo Eric Lynn Wright
Também conhecido(a) como "E"
"Eazy"
"The Godfather of Gangsta Rap"
Nascimento 7 de setembro de 1964
Origem Compton, Califórnia
País Estados Unidos
Gênero(s) West Coast hip hop
Gangsta rap
Período em atividade 1986-1995
Gravadora(s) Ruthless Records (1987-1998)
Priority Records (1988-1993)
Relativity Records (1993-1995)
Afiliação(ões) N.W.A, Bone Thugs-n-Harmony, DJ Yella, The D.O.C., Kokane, B.G. Knocc Out, Dresta, Frost, MC Ren , Above the Law, Ice Cube, Rhythum D, Sylk-E. Fyne, Brownside, Arabian Prince, Bobby Jimmy. Naughty By Nature, Dr. Dre, K-Loc, Roger Troutman, Paperboy
Página oficial http://eazy-ecpt.com/

BiografiaEditar

Eric nasceu em Compton, Califórnia, em 7 de setembro de 1964, filho de Richard e Kathie Wright.[1][2] Seu pai era um carteiro e sua mãe uma secretária de escola primária.[3] Cresceu na periferia de Los Angeles convivendo com a violência e a pobreza, onde tornou-se um gângster, tendo se tornado traficante e membro da crip Kelly Park Compton. Eazy também se associou com crips de outros sets (posse).[4] Em 1979, na época de estudante, largou a escola no 10º ano e começou a traficar para se sustentar.[5] Eazy depois investiu seu lucro dando a Ruthless Records.[6] Ele mais tarde recebeu um diploma do supletivo.[7]

N.W.AEditar

Após isso, criou o grupo de gangsta rap N.W.A (Niggaz With Attitude, em português Negros Com Atitude ou Manos com Atitude). Ele era integrado por Eazy-E, Ice Cube (compositor), Dr. Dre, DJ Yella (produtores), MC Ren e Arabian Prince. O sucesso foi gigantesco, pois o grupo era independente e apesar do fato da mídia não apoiá-los, seu número de fãs aumentava a cada dia e suas músicas logo se tornaram hits nos guetos da Costa Oeste, Meio-oeste e no Sul dos Estados Unidos. Seguindo carreira com o N.W.A, Eazy lançou seu primeiro álbum solo em 1988, intitulado "Eazy-Duz-It".

O clássico "Fuck Tha Police" do grupo NWA, acabou resultando em uma advertência do FBI, o qual através de uma carta, avisou a gravadora Ruthless Records que deveria maneirar nas letras. Este incidente foi considerado por muitos o pontapé inicial para a popularização do estilo Gangsta Rap.

O rapper Sir Jinx disse uma vez que Eric não era conhecido como "Eazy-E", e sim como "Rat", por causa de suas orelhas grandes, sua voz fina e sua baixa estatura, e que ele inventou o apelido "Eazy-E" pela necessidade de ter um nome artístico depois que começou a fazer rap.[8]

Carreira soloEditar

Em 1991, o grupo N.W.A. chegou ao fim, e Eazy-E seguiu carreira solo em definitivo. No ano seguinte, lançou o seu segundo álbum, 5150: Home 4 tha Sick, o qual teve vendas em um número considerável. O álbum ganhou disco de ouro dois meses depois do lançamento. Mais tarde, Dr. Dre deixou a Ruthless Records e fundou seu próprio selo ao lado de Suge Knight, a Death Row Records. Com isso, Eazy, que havia discutido com Dre ocasionando o encerramento da banda, decretou Dre seu inimigo e lançou o álbum It's On (Dr. Dre) 187um Killa, o qual conteve inúmeras ofensas a Dr. Dre e Snoop Dogg. "Real Muthaphukkin' G's" foi o destaque do CD, resposta à música "Fuck With Dre Day" de Dr. Dre e Snoop. O álbum foi certificado platina 2 vezes pela RIAA.

Em abril de 1994, Eazy-E estreou um programa numa rádio de Los Angeles intitulado The Ruthless Radio Show, o qual era apresentado nas noites de sábado, com a parceria de DJ Yella. No mesmo ano, produziu ao lado de DJ Yella o aclamado EP do grupo Bone Thugs-N-Harmony "Creepin on ah Come Up".

MorteEditar

 
Graffiti de Eazy-E na Holanda

Eazy-E mantinha relações sexuais com inúmeras mulheres e nesta época, o vírus da AIDS começava a disseminar-se nos Estados Unidos. À época da sua morte, sua gravadora pagava pensão alimentícia para seis mulheres, que eram as mães de sete dos seus filhos.[9] Ele contraiu o vírus HIV mas não sabia. Uma demonstração desse desconhecimento foi que ele prosseguiu com as suas atividades e no dia 24 de fevereiro de 1995, Eazy-E estava em estúdio com a dupla de rappers B.G. Knocc Out & Gangsta Dresta, quando sofreu um provável ataque de asma e foi internado no Hospital Cedars-Sinai Medical Center, em Los Angeles, Califórnia.

No dia seguinte, as primeiras páginas dos jornais estampavam a notícia sobre o rapper, sendo que Eazy-E continuava internado no que para ele, era "a maior batalha da vida".[10] O vírus agravou sua condição, e no dia 26 de março do mesmo ano, sua morte foi anunciada, a causa foi atribuída à pneumonia induzida pela AIDS.[11][10] Fato curioso, é que no leito de sua morte, Dr. Dre e Ice Cube fizeram as pazes com ele, apesar de DJ Yella ter sido o único membro do N.W.A a ir ao funeral de Eazy,[carece de fontes?] os mesmos fizeram vários tributos a Eazy ao passar dos anos. Eazy foi enterrado no Rose Hills Memorial Park Cemetery, Califónia, EUA.

Após a morteEditar

Após a morte de Eazy-E diversas coisas mudaram de rumo. A sua gravadora, a Ruthless Records, tornou-se peça principal para o sucesso do grupo Bone Thugs-n-Harmony, e também da esposa de Eazy-E, Tomica Woods Wright. Na disputa pelo selo, ambos entraram na justiça, com a vitória de Tomica, a qual demitiu vários funcionários devido a má administração. Após a sua morte foi lançado o CD póstumo: "Str8 off tha Streetz of Muthaphukkin Compton", o qual foi produzido por DJ Yella. Mais além, foi a vez de "Eternal E".

Dois de seus filhos hoje são rappers; um usa o nome artístico de Lil Eazy-E, e outro é sua filha, que gravou uma música em tributo ao pai. Lil' Eazy-E fez músicas com The Game e participou da trilha sonora do jogo True Crime com a música Get It Crackin. No videoclipe da música "Um Bom Lugar" do cantor brasileiro Sabotage (1973 - 2003), uma foto de Eazy-E aparece em um mural. Ryder Wilson, um personagem do jogo Grand Theft Auto: San Andreas foi inspirado no rapper Eazy-E e os produtores do jogo comprovam que Ryder foi criado em homenagem ao rapper.[carece de fontes?] Foi criado em 2008 na cidade natal do cantor, em Compton, o "Dia de Eazy-E", celebrado em 7 de abril.

DiscografiaEditar

Ao todo, Eazy-E lançou 1 álbum durante sua vida, 2 EPs, 1 álbum póstumo, 1 EP póstumo, 4 compilações e 4 álbuns em tributo e vendeu pouco mais que 10 milhões de álbuns pelo mundo todo.

Álbuns com o N.W.AEditar

Álbuns soloEditar

Ano Título Posição nas paradas Certificações
US
[12]
US R&B
[12]
NZ
[13]
1988 Eazy-Duz-It
  • Lançado: 16 de setembro de 1988
  • Label: Ruthless/Priority
41 12
1996 Str8 off tha Streetz of Muthaphukkin Compton 3 10 20
"—" denotes a release that did not chart.

EPsEditar

Ano Título Posição nas paradas Certificações
US
[12]
US R&B
[12]
1992 5150: Home 4 Tha Sick 70 15
1993

It's On (Dr. Dre) 187um Killa

5 1
2002 Impact of a Legend 113
"—" denotes a release that did not chart.

CompilaçõesEditar

Álbuns em tributoEditar

Referências

  1. Hochman, Steve (28 de março de 1995). «Rap Star, Record Company Founder Eazy-E Dies of AIDS Music: Singer, entrepreneur helped popularize `gangsta' style with the group N.W.A. and later became a top-selling solo artist». Los Angeles Times. Pqarchiver.com 
  2. «Hip-Hop News: Remembering Eric 'Eazy-E' Wright». Rap News Network. Rapnews.net. 26 de março de 2006 
  3. Harris, Carter (junho–julho de 1995). «Eazy Living». Vibe. 62 páginas 
  4. Pareles, Jon (28 de março de 1995). «In Eazy-E biography». Eazye.info. Arquivado do original em 21 de julho de 2011 
  5. «Straight Outta Left Field». Dallas Observer. 12 de setembro de 2002. Consultado em 6 de janeiro de 2010 
  6. Hunt, Dennis (22 de outubro de 1989). «Dr. Dre Joins an Illustrious Pack In the last year, producer has hit with albums for N.W.A, Eazy-E, J. J. Fad and the D.O.C.». Los Angeles Times. Pqasb.pqarchiver.com 
  7. Pareles, Jon (). «Eazy-E, 31, Performer Who Put Gangster Rap on the Charts» (em inglês). The New York Times [ligação inativa]
  8. Blogs.phoenixnewtimes.com http://blogs.phoenixnewtimes.com/uponsun/2010/03/sir_jinx_nwa_and_the_posse.php?page=2  Em falta ou vazio |título= (ajuda)
  9. Los Angeles Times. 24 de abril de 1995 https://www.latimes.com/archives/la-xpm-1995-04-24-ca-58278-story.html. Consultado em 18 de julho de 2020  Em falta ou vazio |título= (ajuda)
  10. a b Soraya Nadia McDonald (26 de agosto de 2015). «Eazy-E's son thinks Suge Knight killed his father by infecting him with HIV. Here's why that's highly unlikely.». The Washington Post. Consultado em 16 de dezembro de 2019 
  11. «News Flash: March 26, 1995». Vibe. Consultado em 16 de dezembro de 2019 
  12. a b c d «Eazy-E» (em inglês). allmusic. Rovi Corporation. Consultado em 30 de novembro de 2010 
  13. «Discography Eazy-E» (em inglês). Charts.org.nz. Hung Medien. Consultado em 1 de dezembro de 2010 
  14. a b c d «Searchable Database» (em inglês). Recording Industry Association of America. Consultado em 28 de novembro de 2010 
  15. Str8 Off tha Streetz of Muthaphu**in Compton - Eazy-E | Songs, Reviews, Credits | AllMusic (em inglês), consultado em 30 de abril de 2021 

Ligações externasEditar

 
O Wikiquote possui citações de ou sobre: Eazy-E