Abrir menu principal
Eberardo
Duque da Baviera
Ducado da Baviera à época de Arnulfo
Duque da Baviera
Reinado 937-938
Antecessor(a) Arnulfo, o Mal
Sucessor(a) Bertoldo da Baviera
 
Dinastia Leopoldina
Nascimento 905/910
Morte 940
Pai Arnulfo I da Baviera
Mãe Judite de Frioul

Eberardo da Baviera (nascido por volta de 905/910940(?)) é o filho mais velho, do duque Arnulfo I da Baviera e sua esposa Judite de Frioul. Ele sucedeu seu pai em 937 como duque da Baviera, mas em 938 o rei Otão I da Germânia o removeu.

Índice

BiografiaEditar

OrigemEditar

Eberardo é o filho do duque Arnulfo, Duque da Baviera com sua esposa Judite de Sulichgau chamado Frioul, filha do conde Evrard de Sulichgau, sendo este último o filho de Unroch III de Frioul.

Eberardo, duque da BavieraEditar

Em 934 os adversários do rei Hugo de Arles apelaram para Arnulfo da Baviera e Eberardo realizarem campanha na Lombardia , onde a nobreza local ofereceu-lhe a coroa real por causa de sua ascendência materna, que liga a dinastia dos Unrochides. Os Bávaros são derrotados perto de Verona, e e desistem dessa tentativa sem precedentes de estabelecer um reino ítalo-bávaro muito prejudicial para a unidade do reino da Germânia .[1] Em 935 seu pai Arnulfo, com o consentimento da nobreza na baveira, que lhe homenageia, o designa como seu sucessor. Foi neste momento que ele se casou com uma certa Liutgarda.

Relações com o rei Otão IEditar

Após a morte de Arnulfo em 937, Otão aproveitou a oportunidade para afirmar o direito real de investidura e convoca os três filhos do falecido por que ele deseja apropriar do ducado. Eberardo responde proclamando-se duque da Baviera pelo direito hereditário. O conflito com o rei Otão I é inevitável. Depois de duas campanhas na primavera e no outono de 938 , Otão remove Eberardo de sua posição de duque e este é banido. O rei aproveitando-se de sua vitória, elimina os outros concorrentes e proclama duque Bertoldo, irmão do duque Arnulfo, que deve renunciar importante privilégios de nobreza, que tinha sido mantido por Henrique I  da Germânia; como o direito de nomeação dos bispos. O irmão de Eberardo; Arnulfo II da Baviera, filho e homônimo do ex-duque, foi perdoado por Otão, e nomeado conde palatino, cujas funções incluem a administração das propriedades do rei e direitos reais sobre a Baviera,  terminando as prerrogativas ducais .[2] Ignora-se o destino posterior do conde Eberardo, o lugar de seu banimento e a data de sua morte.

Referências

  1. Robert Folz La naissance du Saint-Empire Albin Michel Paris Le Mémorial des Siècles (1967) p. 91
  2. Joseph Calmette Histoire de l'Empire Allemand au Moyen Age Payot Paris (1951). p. 60

BibliografiaEditar

  • Joseph Calmette, Histoire de l'Empire Allemand au Moyen Âge, Payot, Paris,  (1951).
  • Robert Folz, La naissance du Saint-Empire',' Albin Michel, Paris, Le Mémorial des Siècles, (1967)
  • Anthony Stokvis, Manuel d'histoire, de généalogie et de chronologie de tous les États du globe, depuis les temps les plus reculés jusqu'à nos jours, préf. H. F. Wijnman, éditions Brill Leyde 1890-1893 réédition 1966, Volume III, chapitre VIII Duc amovibles de Bavière p. 168.
  • Kurt Reindel, ed. (1959). «Eberhard (Herzog von Bayern)». Neue Deutsche Biographie (NDB) (em alemão). 4. Berlim: Duncker & Humblot . p. 227.

Ligações externasEditar