Abrir menu principal
Edouard Saouma
Diretor-Geral da FAO FAO logo.svg
Período 1976-1993
Antecessor Addeke Hendrik Boerma
Sucessor Jacques Diouf
Dados pessoais
Nascimento 6 de novembro de 1926
Beirute
Líbano
Morte 1 de dezembro de 2012 (86 anos)
Beirute
Líbano
Profissão Diplomata

Edouard Victor Saouma (Beirute, 6 de novembro de 1926Beirute, 1 de dezembro de 2012) foi Diretor-Geral da Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO) por três mandatos consecutivos, de 1976 a 1993.

Índice

CarreiraEditar

Após completar seus estudos na Escola Nacional de Agricultura de Montpellier em 1952, Saouma tornou-se diretor do Centro Agrícola Experimental do Vale do Beqaa, no Líbano até 1962, quando tornou-se deputado regional da FAO para a Ásia e o Extremo Oriente, cargo que ocupou até 1965. Em seguida, foi diretor da Divisão da FAO para Desenvolvimento da Terra e da Água, de 1965 a 1975, quando foi eleito para dirigir a FAO.

Grupo de CamberlyEditar

As nações que buscavam substituir o Dr. Saouma nas eleições de 1987 concentraram sua estratégia em reuniões secetas do que ficou conhecido como Grupo de Camberly,[1] em referência à cidade inglesa que sediou a primeira reunião, em 1986. Os membros originais do grupo eram Alemanha Ocidental, Austrália, Canadá, Dinamarca, Finlândia, Grã-Bretanha, Holanda, Japão, Noruega, Suécia e Suíça. Os Estados Unidos foram excluídos de início, em virtude do forte apoio dado a Saouma pelo seu embaixador Millicent Fenwick (ex-member do Congresso). Os esforços do Grupo de Camberly provaram-se inúteis, e Saouma foi re-eleito.[2]

LegadoEditar

A passagem de Saouma pela FAO foi marcada pela sua dedicação expressa aos países do terceiro mundo, pelo apoio desses mesmos países à sua administração,[3] suas numerosas iniciativas[carece de fontes?], e sua independência dos principais contribuidores, como Estados Unidos, Canadá e Austrália. A administração Reagan, por meio da Heritage Foundation, tentou desesperadamente desacreditá-lo, quando de sua reeleição para o terceiro mandato. Muitos peritos em alimentação afirmam que parte do sucesso de Saouma veio de seu esforço em identificar a FAO com a luta contra a fome mundial.[4]

Sua liderança controversa é melhor retratada por uma mensagem do Departamento de Estado estadunidense aos diplomatas daquele país, a respeito de Saouma, publicada em 1987 pelo jornal The New York Times.[5]

Em reconhecimento ao seu papel decisivo, a Conferência da FAO estabeleceu, em novembro de 1993, o Prêmio Edouard Saouma.[6]

Principais iniciativasEditar

Primeiro mandato (1976-1981)Editar

Saouma começou sua gestão criando o Programa de Cooperação Técnica (TCP) da FAO, em 1976. No ano seguinte, participou da Conferência da FAO que desenvolveu o novo programa Prevention of post harvest food losses, com um capital inicial de 20 milhões de dólares. Lançou o Relatório de Alimentos do Quarto Mundo (1978), estimando em 455 milhões de subnutridos entre os habitantes dos países em desenvolvimento.

Em 1979, organizou a primeira Conferência Mundial sobre Reforma Agrária e Desenvolvimento Rural, na sede da FAO, em Roma. A conferência concordou com uma Declaração de Princípios e um Programa de Ação para combate à pobreza no campo, e estabeleceu o Dia Mundial da Alimentação,[7] a ser observado anualmente por todos os países-membros, em 16 de outubro, aniversário de fundação da FAO. O primeiro Dia Mundial da Alimentação ocorreu em 1981, e foi observado por 50 países-membros.

Também em 1981, a FAO passou a adotar o Mapa Mundial do Solo, que indica as ações necessárias para proteger e restaurar o solo e prevenir a desertificação.


HomenagensEditar

Saouma recebeu homenagens de diversos países.

Homenagem País
Grande Croix de l'ordre National du Cedre   Líbano
Prix Said Akl Prize   Líbano
Chevalier Merite Agricole   França
Commandeur de la Légion d'Honneur   França
Cavaliere di Gran Croce   Itália
Grand Officier de l'Ordre National   Chade
Grand Officier de l'ordre du Volta   Gana
Grand-Croix de I'Ordre National de la Haute Volta   Burkina Faso
Grande Croix Merite Agricole   Espanha
Knight Commander of the Order of Merit   Grécia
Order del Merito Agricola   Colômbia
Gran Cruz de la Orden Nacional al Mento   Colômbia
Gran Official de Orden de Vasco Nuiiez de Balboa   Panamá
Orden al Merito Agricola   Peru
Order of Merit   Egito
Ordre du Merite   Maurícia
Grand Officier de I'Ordre de la Republique   Tunísia
Grand Officier de I'Ordre National   Madagáscar
Gran Orden de Rio Branco   Brasil
Banda Aquila Azteca   México
Grande Croix Andres Bello   Venezuela

Também recebeu títulos de doutor honoris causa de várias universidades.

Universidade País
Universidade de Gembloux   Bélgica
Universidade de Ciências Agrícolas de Godolla   Hungria
Universidade de Keszphely   Hungria
Universidade Agrícola Punjab   Índia
Universidade de Jacarta   Indonésia
Universidade de Bolonha   Itália
Universidade de Florença   Itália
Universidade de Seul   Coreia do Sul
Universidade Nacional Autônoma   Nicarágua
Universidade Agrícola Faisalabad   Paquistão
Universidade de La Molina   Peru
Universidade de Los Baiios   Filipinas
Universidade de Varsóvia   Polónia
Universidade do Uruguai   Uruguai
Universidade Agrícola de Praga   República Checa
Instituto Tropical e Sub-Tropical   República Checa
Universidade Católica da América   Estados Unidos
Universidade de Montpellier   França
Instituto Superior Ciencias Agropecuarias de la Habana   Cuba
Universidade da Mongólia   Mongólia

FamíliaEditar

Era casado com Ines Forero e pai de Galia Saouma-Isar, Victor Saouma e Samia Saouma-Hetzler.

Referências

  1. Lewis, Paul (15 de junho de 1987). «Ouster is Sought at U.N. Farm Unit» (em inglês). The New York Times. Consultado em 22 de dezembro de 2009 
  2. Weitz, Charles H (1996). Who Speaks for the Hungry? How FAO Elects Its Leader (PDF) (em inglês) 2 ed. Uppsala: Brian Urquhart e Erskine Childers. 47 páginas. ISBN 91-85214-25-6. Consultado em 22 de dezembro de 2009. Arquivado do original (PDF) em 10 de junho de 2011 
  3. Pérez, Elson Concepción (10 de setembro de 1996). «Admiración por Cuba de Edouard Saouma» (em espanhol). España Roja. Consultado em 22 de dezembro de 2009 
  4. Crittenden, Ann (9 de novembro de 1981). «Donor Nations Challenge Food Agency's Activities:» (em inglês). The New York Times. Consultado em 22 de dezembro de 2009 
  5. Suro, Roberto (1 de novembro de 1987). «U.N. Agency Faces a Bitter Election» (em inglês). The New York Times. Consultado em 22 de dezembro de 2009 
  6. «The Edouard Saouma Award for Excellence in TCP Project Implementation» (em inglês). FAO. Consultado em 22 de dezembro de 2009 
  7. «World Food Day». Consultado em 23 de dezembro de 2009 

Ver tambémEditar

Ligações externasEditar